7 tipos de violência que enfrentamos

· outubro 22, 2017

A violência é uma das epidemias que conhece poucos limites ou fronteiras. Infelizmente, adotou muitas caras e é possível encontrá-la em qualquer lugar do planeta. Desde algumas fórmulas às quais somos expostos até as guerras mais cruas onde centenas de vidas são cobradas em tantos lugares. Além disso, mesmo não participando de forma direta de muitos casos, somos testemunhas dos vários tipos de violência que acabam nos afetando em diferentes graus.

Parece que a agressividade, ou parte dela, está inscrita na nossa herança genética; contudo, a violência, que é uma forma de manifestação dessa agressividade, é cultural. Se aprende e se reproduz (e portanto é ensinada e validada). Além disso, e pelos mesmos motivos, também pode ser desaprendida e não ser fomentada.

“A violência é o medo aos ideais dos outros”.
-Mahatma Gandhi-

Para alcançar isso, um dos passos mais importantes é identificar as formas que ela usa para se manifestar. A seguir, traçamos um pequeno inventário dos tipos de violência mais comuns.

Tipos de violência presentes em nossas vidas

1. Violência econômica

Este é um dos tipos de violência que tem duas caras. Uma delas é direta e outra encoberta. A violência econômica direta é aquela exercida abertamente contra os seus bens ou o seu patrimônio. Os furtos, os assaltos, os golpes, e todas aquelas ações onde as suas finanças acabam sendo afetadas de uma forma ilegal e injusta.

Violência econômica

A violência econômica encoberta corresponde aos mecanismos internos do sistema econômico que afetam os seus interesses. Acontece quando, por exemplo, a dinâmica do mercado de trabalho reduz os salários e você se vê obrigado a enfrentar uma concorrência desleal (outros cobram pouco e são contratados mais facilmente). Também, obviamente, quando você se vê sujeito a medidas aparentemente equitativas que na verdade servem aos interesses alheios.

2. Violência política e institucional

A violência política compreende todo o conjunto de práticas que um determinado partido político pode realizar contra os seus interesses ou nas quais você é usado como instrumento. Por exemplo, quando você é um militante e ao mesmo tempo vítima de uma classe política corrupta.

A violência institucional tem a ver com os maus-tratos ou abusos dos quais você pode ser vítima com relação a alguma instituição. É o caso de um serviço mal prestado, lhe causando prejuízos. Ou também a violência das instituições médicas onde muitas vezes a sua dor é ignorada ou minimizada.

3. Violência sexual e/ou de gênero

Embora estejamos no século XXI, não apenas persiste a violência contra a mulher, mas em alguns casos ela tem aumentado. Este tipo de agressão tem motivação de gênero propriamente dito. Isto significa que ocorre porque a mulher faz ou não faz o que os homens, ou outras mulheres, esperam ou exigem dela.

Violência de gênero

Os homens também são vítimas de violência sexual e emocional por parte das mulheres e de outros homens. Às vezes aparecem preconceitos ou rejeição pelo simples fato de ser homem. Infelizmente também aumentaram as denúncias de abusos sexuais a menores por parte das mulheres.

4. Violência cultural

A publicidade, em boa parte, propõe um estilo de vida que muitos acabam copiando. É considerada um dos tipos de violência quando instaura uma espécie de hegemonia que acaba alimentando a intolerância e o desprezo pelos modelos de realidade ou de vida que não se adequam ao estereótipo promovido.

Da mesma forma, ainda existem muitas sociedades no mundo que aprovam e legitimam a violência contra determinados segmentos da população, coletivos ou minorias. Ali cabe a perseguição que se dá contra etnias, comunidades LGTBI, etc.

5. Violência religiosa

Muitos são os grupos religiosos e seitas que operam hoje no mundo e que lutam em ganhar poder e adeptos. Embora alguns deles possam ser uma expressão genuína de fé, o fato é que o interesse que existe por trás de muitas delas é o financeiro, das pessoas que definem e administram os mandamentos de tal fé, não duvidando em fazer negócio com a esperança das pessoas que os seguem.

Violência religiosa

Estes tipos de seitas se valem do medo e da confusão dos seguidores para obter dinheiro deles, seja de forma direta ou indireta (com seu trabalho ou disposição para captar mais seguidores). Costumam ser os emissários de mensagens macabras sobre o fim do mundo e a destruição da raça humana. A partir deles, e usando o temor que podem vir a inspirar, quebram a vontade dos crentes e obtêm aquilo que pretendem.

6. Cyberbullying

Com a aparição das redes sociais, começou a se proliferar uma nova forma de bullying e assédio. De uma maneira ou de outra, as novas tecnologias facilitam o trabalho dos assediadores, já que dão cobertura de anonimato aos mais covardes. De forma semelhante, a legislação dos diferentes países ainda não é muito clara em torno do assunto, e por isso muitos comportamentos violentos ficam impunes.

Da mesma forma, a possibilidade de captar imagens e emiti-las em tempo real está ao alcance de todos; uma possibilidade usada por muitos e que deu lugar a novas formas de violência. Uma delas é que você pode ser filmado e seu vídeo divulgado, usando a sua imagem como zombaria ou tentando mostrar que um comportamento isolado é algo que o define. Até a hora de você descobrir e vir a exigir os seus direitos, é possível que milhares de pessoas já tenham visto as suas imagens e tenham tirado conclusões distorcidas.

7. Violência informativa

A agenda de muitos meios de comunicação inclui uma boa dose de notícias violentas. Parece que quanto mais truculenta for a informação, mais impacto provoca e atrai mais espectadores. Às vezes, assistir a um telejornal ou abrir um jornal equivale a receber uma enxurrada de dados que, por sua seleção e difusão, distorcem a imagem que nos chega da realidade.

O pior é que se os meios de comunicação a oferecem é porque existe um público que a consome e que, de alguma forma, se acostumou ao impacto que provoca. Do mesmo jeito, os meios sempre estão à caça da informação que venha a superar o impacto da anterior. A dor, a morte, as torturas e todo tipo de fatos terríveis se transformaram pouco a pouco em espetáculos.

Violência informativa

As mencionadas são apenas algumas formas pelas quais a violência se manifesta. A lista total é muito mais longa. Contudo, apresentamos os principais tipo de violência coletiva que, pela magnitude e impacto, acabam influenciando a todos nós.