8 formas para libertar a sua criança interior e ser mais feliz

· agosto 7, 2016

A infância é uma época da vida da qual costumamos nos lembrar com muito carinho. A razão é que, quando somos crianças, temos uma fonte inesgotável de entusiasmo; qualquer objeto pode se transformar em um brinquedo, qualquer atividade pode ser uma aventura. Com o tempo, nos tornamos adultos, o estresse e as responsabilidades passam a dominar nossas vidas, e com frequência nos esquecemos de guardar um espaço de tempo para brincar, para nos conectarmos com nossa criança interior.

É importante dar a  mão a esta criança que todos temos dentro de nós. Alguns estudos demonstram que dedicar um tempo a atividades próprias da infância, que não envolvam responsabilidade ou competitividade, mas sim desinibição e brincadeira, está relacionado a maiores níveis de felicidade e menores níveis de estresse.

É preciso reaprender a levar a vida como um mundo de brincadeiras e jogos. Para fazer isso, compartilhamos a seguir oito maneiras diferentes de libertar a criança interior que temos dentro de nós.

Atividades para conectar-se com a sua criança interior

Colorir

Talvez você esteja familiarizado com o fenômeno dos livros de mandalas para colorir. Caso não esteja, pergunte a respeito na livraria mais próxima e você vai se surpreender.

Não se trata de uma simples moda passageira. Quando colorimos, mergulhamos em um estado de concentração e desconexão dos problemas do dia a dia que nos ajuda a reduzir o estresse.

criança-interior-colorir

Brincar ao ar livre

As crianças, especialmente em ambientes abertos, correm, pulam, sobem em tudo que encontram pela frente. No entanto, quando adultos o que fazemos na natureza costuma ser mais passivo: comemos algo, caminhamos e, em alguns casos, praticamos esportes.

Ainda que todas estas atividades sejam benéficas, a chave neste ponto é fazer atividades mais desestruturadas, que rompam com a nossa rotina e que coloquem o corpo em situações pouco comuns, para praticarmos habilidades como o equilíbrio.

É bom, por exemplo, subir nas árvores, balançar-se em um balanço, pular corda, etc, porque são estados físicos não comuns. As brincadeiras ao ar livre nos tiram da vida sedentária que muitos de nós levamos.

Estas práticas e brincadeiras não apenas reduzem o estresse e despertam áreas esquecidas de nosso cérebro, mas, uma vez que são praticadas, liberam endorfinas, nos entusiasmam e se conectam com nosso lado aventureiro.

Sonhar acordado

Sonhar acordado é o equivalente a tomarmos um tempo para nós mesmos, sem nada para fazer, no qual deixemos nossa mente vagar livre.

Pode ser em qualquer situação: deitados no parque, tomando banho, ou simplesmente sentados no sofá em casa olhando pela janela.

A chave é não se sentir culpado por estar “perdendo tempo” e dedicar um momento para deixar tranquila a nossa mente, longe do fluxo de responsabilidades contínuas do dia a dia.

Sonhar acordado não apenas nos dá um respiro, mas também é um bom mecanismo para potencializar a criatividade, já que, com frequência, quando deixamos as ideias voarem elas se reorganizam e fazem conexões que nos permitem ver a realidade e os problemas que temos em nossas mãos de uma forma diferente.

Criar

Falando em criatividade, qualquer atividade relacionada a ela é um estimulante perfeito para o humor positivo. Foi demonstrado que as pessoas com um hobby criativo ficam menos estressadas enquanto o praticam.

As crianças pintam, fazem colagens, colares de macarrão, quebra-cabeças… o importante aqui é liberar a nossa criatividade, nosso desejo de produzir algo, ainda que não vá trazer nenhum benefício material e, inclusive, que acreditemos que não levamos jeito para a coisa.

Você gosta de cozinhar, desenhar, construir maquetes? Pode escolher o que quiser, o importante é trabalhar com as mãos em atividades que nos ajudam a levar a vida menos a sério, pelo menos durante um período de tempo, e a nos conectarmos com nossa criança interior.

Abraçar

As crianças são muito mais desinibidas na hora de manter contato físico. Infelizmente, conforme vamos nos tornando mais velhos, colocamos mais barreiras físicas entre nós.

No entanto, abraçar, dar as mãos, demonstrar carinho para as pessoas que amamos através do contato são fontes de felicidade.

Abraçar estreita os laços afetivos, ajuda a criar um clima de intimidade e, quando há problemas envolvidos, é uma boa forma de suavizar o ambiente.

criança-interior

Dormir bem

Às vezes sacrificamos as horas de sono para podermos realizar todas as atividades que nos propomos a fazer, mas dormir bem e descansar o corpo e a mente é fundamental para a saúde, tanto física quanto mental.

Quando dormimos nos regeneramos, e é a única forma de alcançar um estado ótimo de energia para enfrentarmos os desafios do dia a dia. Às vezes um cochilo pode ser uma forma de renovar as forças para o resto do dia.

Assim, não pense que você está perdendo tempo enquanto dorme. Na realidade, você está investindo em si mesmo.

Não ter medo de errar

Quando somos crianças, estamos aprendendo tudo e é normal errarmos várias vezes: isso faz parte do aprendizado.

Por alguma razão, quando adultos tendemos a ver os erros como falhas e não como partes do caminho, o que faz com que o medo de errar nos paralise e nos distancie de nossos desejos e metas.

Errar não é um fracasso, é o sintoma de que tentamos e uma boa forma de seguir aprendendo.

Sempre que puder, desfaça-se dos seus preconceitos, brinque, corra, pule, perca o equilíbrio e faça atividades sem nenhum fim prático ou econômico. Você verá como irá recuperar parte da ilusão e do entusiasmo que certamente recorda como um tesouro da infância.

A criança interior que você tem dentro de si está esperando que você a pegue pela mão e a leve para se divertir.

(Texto inspirado neste artigo)