9 tipos de trabalhadores: qualidades e defeitos de cada um

· agosto 31, 2018

Todas as empresas têm, entre os seus funcionários, tipos de trabalhadores muito diferentes entre si. Alguns acabam sendo fundamentais para o desenvolvimento e a expansão da sua marca, enquanto outros deixariam uma ausência pouco notada ou, em certos casos, até apreciada. Saber diferenciá-los pode ser uma tarefa difícil, ainda mais quando os menos competentes utilizam técnicas perversas para disfarçar a sua escassa contribuição profissional.

Por outro lado, saber que nossa contribuição profissional é importante para a empresa se reflete diretamente na autoestima. Faz com que nos sintamos úteis e necessários, além de aumentar nosso amor próprio graças aos elogios pelo trabalho bem feito. Infelizmente, nem todo mundo compartilha essas ideias de realização pessoal ou as entende de uma maneira adequada.

Existem pessoas visivelmente problemáticas, que procuram conseguir o máximo com o mínimo esforço. Muitos delas, inclusive, tentam passar por cima dos seus próprios colegas de trabalho para alcançar o que desejam. Às vezes essas técnicas são respeitadas pelos chefes, que preferem contar com indivíduos pouco confiáveis, mas que gerem maiores benefícios.

Nesse sentido, em um mercado de trabalho tão competitivo, é muito difícil encontrar trabalhadores que realmente valham a pena. As pessoas trabalhadoras, responsáveis, assertivas e nobres não têm necessidade de adotar comportamentos desprezíveis, como pisar na contribuição alheia para atingir grandes conquistas.

Permitir que uma empresa cresça através do incômodo dos seus próprios funcionários é pouco ético. Além disso, acaba gerando uma fama ruim e faz com que os próprios trabalhadores procurem outros empregos mais adequados às suas capacidades.

Para saber identificar quem vale a pena e com quem é melhor ter cuidado, nós elaboramos uma tipologia específica. Graças a ela, será muito mais fácil estabelecer os prós e os contras de cada funcionário.

Pessoa trabalhando

Tipos de trabalhadores: qualidades e defeitos

1. O tóxico

É uma pessoa da qual é preciso manter distância. É invejoso, mesquinho, ciumento e manipulador.

Dependendo das pessoas que o rodeiam, pode ser mais ou menos perigoso. Se o grupo de trabalho conta com pessoas assertivas e honestas, ele não terá nenhum poder.

Se, pelo contrário, ele está em uma posição superior, irá usá-la em seu próprio benefício. As pessoas tóxicas gostam de humilhar e menosprezar quem elas consideram inferior. Não se importam em passar por cima dos seus próprios colegas para alcançar seus objetivos. Possivelmente este funcionário acabará sendo uma pessoa isolada, mas também pode ter muitas influências conseguidas através do seu comportamento venenoso.

2. O líder

Entre todos os tipos de trabalhadores, o líder é aquele que mais se assemelha a um chefe. É motivador, empreendedor, tem muitas ideias e tenta fazer os outros se sentirem confortáveis. Sempre tentará se aproveitar de qualquer situação, por mais complicada que seja. Costuma ter a mesma quantidade de admiradores e críticos, já que desperta muita inveja.

Ele tem uma ótima relação com seus chefes, mas sem ser bajulador nem pretensioso. Gosta do seu trabalho, e acha muito importante que tanto ele quanto seus companheiros façam tudo da melhor forma possível. Isso faz com que, às vezes, seja muito exigente com pessoas que não são subordinadas a ele, o que pode incomodá-las.

“Uma máquina pode fazer o trabalho de 50 homens comuns, mas não existe nenhuma máquina que possa fazer o trabalho de um homem extraordinário”.
– Elbert Hubbard –

3. O pessimista

O trabalhador pessimista está sempre aborrecido. Nunca para de reclamar e qualquer decisão lhe parece ruim. Não sabe se adaptar às mudanças e seu comportamento pode causar conflitos entre os outros funcionários. É incapaz de ver além dos extremos, o que o transforma em alguém muito catastrofista, que dificilmente vai celebrar uma boa notícia ou diminuir o impacto de uma má notícia.

Apesar de todos os seus defeitos, o pessimista não é uma pessoa ruim, nem um mau funcionário. Costuma realizar o seu trabalho de forma correta (apesar de nunca estar de acordo com os resultados). É uma pessoa com os pés no chão, madura e que pode evitar que os seus colegas não enxerguem a realidade.

4. O eterno otimista

O eterno otimista, ao contrário do pessimista, sempre está de bom humor. Tudo para ele parece ótimo, apesar de não concordar com sugestões ou propostas. É muito difícil que ele fique desanimado ou arrasado, e sempre é capaz de dar soluções. Diante da adversidade própria ou alheia, é o primeiro a esboçar um sorriso e dizer que “poderia ser muito pior”.

Sua atitude, muitas vezes, pode parecer um pouco ingênua. O ser humano gosta das pessoas otimistas, mas até um certo ponto. Todos nós temos problemas e precisamos sentir que os outros se solidarizam conosco. Por isso, escutar as sugestões ambíguas e bem-intencionadas do otimista pode nos levar a uma desconexão emocional com essa pessoa. Afinal, a vida está cheia de altos e baixos.

Ambiente de trabalho descontraído

5. O bajulador

No começo, o bajulador pode parecer simpático. Dependendo do seu nível de inteligência, ele saberá com quem demonstrar seu comportamento e com quem ocultá-lo de forma sutil. No entanto, geralmente acaba sendo descoberto. Querem parecer agradáveis aos olhos de todos, por isso não hesitam em dar presentes, fazer elogios e felicitar aqueles que querem conquistar.

Sua única intenção é chegar a uma posição de chefia, por isso, às vezes acaba sendo muito difícil distinguir as diferenças entre os trabalhadores tóxicos e eles. A principal distinção é que um bajulador não necessariamente é uma pessoa ruim, nem tenta passar a perna nos outros durante o seu caminho para o sucesso.

6. O simpático

O simpático é o melhor colega de trabalho que alguém pode ter. É alegre, mas sem ser muito infantil, como o otimista. É generoso, não hesita em ajudar os outros e se adapta muito bem aos acontecimentos à sua volta. Pode passar despercebido, especialmente porque não tem um comportamento excêntrico ou preocupante.

É uma pessoa nobre, mas tem as suas limitações. Não deixa que o humilhem e sabe quando deve se defender. Seu trabalho é importante para ele, mas a sua dignidade é ainda mais.

7. O gênio

O gênio passa muito tempo isolado. Quase não se relaciona com os outros colegas de trabalho e seu comportamento é classificado como estranho ou excêntrico. Não gosta de gente e, às vezes, parece que seria muito mais feliz se pudesse trabalhar em casa ou em um quarto anexo. Costuma ser um pouco impertinente e chato, gerando grandes confusões entre os outros funcionários.

Apesar disso, sua capacidade mental é incrível. Suas ideias são inovadoras e muito criativas, é muito trabalhador e, além disso, o trabalho que realiza é sempre impecável. Na maioria das vezes, perdoam os seus inconvenientes devido às suas capacidades, que não deixam de ter um grande valor.

Pausa no expediente de trabalho

8. O vagabundo

De todos os tipos de trabalhadores que existem, este é o pior. Ninguém sabe como ele conseguiu esse emprego, porque é uma pessoa preguiçosa, folgada e imatura. Na maior parte do tempo ele fica passeando de mesa em mesa, chateando os outros com comentários ou piadas que interferem o trabalho individual.

Na hora do almoço, costuma ser a pessoa que sai primeiro e chega por último, e é possível que já tenha levado uma repreensão por isso. Geralmente, não são bons funcionários e podem chegar a causar vários prejuízos. Sua única qualidade é a capacidade inata de não se importar com o que os outros pensam dele, contanto que não seja demitido.

9. O fofoqueiro

O fofoqueiro sempre sabe tudo que acontece na empresa. É o primeiro a saber de todas as notícias, sejam relacionadas ao trabalho ou à vida pessoal dos funcionários. Ele gosta de ser o centro das atenções e quer estar próximo de todos para conhecer os segredos das pessoas ao seu redor.

Apesar da sua popularidade, os outros tipos de trabalhadores costumam evitá-lo na hora de confiar seus assuntos importantes. A percepção dos seus colegas de trabalho é de que não se pode contar com ele, já que poderia revelar informações exclusivas e confidenciais.

Apesar desses tipos de trabalhadores englobarem 9 personalidades, eles poderiam se subdividir em mais de cem. Geralmente, a maioria das empresas conta com um ou vários membros que podem se encaixar entre os anteriormente citados.

Se você se sente identificado com algum deles e não gosta do que descobriu, ainda está em tempo de mudar. Ser mais otimista, deixar a fofoca de lado ou tentar ser um funcionário melhor são qualidades que nunca é tarde para praticar.