O alto custo da intransigência

A intransigência é uma atitude que pode ser muito destrutiva. Por que alguém fecharia sua mente e se recusaria a ver razões ou evidências que poderiam livrá-lo de um erro?
O alto custo da intransigência

Última atualização: 21 Agosto, 2021

A intransigência, como muitos outros atributos, é uma daquelas características que nos ajuda quando é exercida na medida certa. Do contrário, torna-se um veneno muito perigoso.

Talvez a definição essencial de intransigência seja a de uma atitude na qual existe uma vontade de não ceder. Não é o mesmo que obstinação ou teimosia, mas pode levar a elas.

A obstinação se refere à limitação que leva a pessoa a considerar apenas um ponto de vista. Por sua vez, a teimosia tem a ver com agarrar-se a alguma ideia, sentimento ou desejo contra todas as evidências.

No caso da intransigência, vários pontos de vista podem ser considerados, inclusive apoiados por evidências. No entanto, o que difere significativamente do ponto de vistaas evidências que comprovem uma posição diferente não são levados em consideração.

A atitude intransigente é mais indicativa de incerteza interior do que de convicção profunda.”
-Eric Hoffer-

Casal tendo uma discussão

A intransigência é uma atitude

Independentemente de uma ideia, uma opinião ou um desejo ser ou não razoável, o que prevalece na intransigência é a tola recusa em ceder. Portanto, não é uma forma de raciocínio ou preconceito como tal, mas sim uma atitude que bloqueia qualquer possibilidade de conciliação com outras posições.

O que há nessa atitude é falta de flexibilidade. Nesse sentido, está relacionada com a rigidez mental ou com motivações que não podem ou não querem ser explicitadas, como o próprio ego, o desejo de se impor aos outros ou algum interesse oculto.

A intransigência acarreta um alto custo pessoal ou social em muitas circunstâncias. Às vezes, faz com que uma pessoa se machuque desnecessariamente, e também pode causar muitos danos a nível social.

Um estudo realizado pela Universidade de Sussex mostrou que, durante a Primeira Guerra Mundial, as autoridades não queriam abraçar o conceito de “neurose de guerra”. Aqueles que sofriam de seus sintomas eram considerados simples “covardes”. A intransigência prevalecente impedia os soldados de receberem um tratamento adequado às suas reais circunstâncias.

O alto custo da intransigência

A Stony Brook University, em Nova York, conduziu um estudo no qual as atitudes de vários indivíduos em relação à negociação foram avaliadas. Pessoas que pensavam de forma diferente e com interesses divergentes foram tomadas como base. O objetivo era ver em que medida eles conseguiram chegar a acordos e fechar uma negociação efetiva, ou seja, aquela em que ambas as partes ganham alguma coisa.

Em princípio, foi proposta uma negociação estritamente econômica. O resultado foi animador, pois 62% dos envolvidos foram flexíveis. 84% foram capazes de tomar decisões que favoreciam seus oponentes para levar a negociação a bom porto.

No entanto, mais tarde as mesmas pessoas tiveram que iniciar uma negociação associada à política. Aí entraram em jogo os valores morais dos participantes e 60% foram muito mais radicais. As atitudes foram mais extremas, fazendo com que mais da metade das negociações fracassassem.

Casal brigado

A relação com a insegurança

O filósofo Eric Hoffer falou de forma muito lúcida sobre a verdadeira natureza da intransigência negativa. Ele disse que “A postura intransigente é dirigida mais contra a dúvida interna do que contra o agressor externo”. Na verdade, tudo indica que essa atitude está muito mais associada à autodefesa do que à convicção.

É muito comum que atitudes intransigentes não nasçam de valores e opiniões fortes, mas que estejam associadas a um ego que se sente ameaçado e reage radicalizando.

A intransigência tende a revelar medo ou insegurança naquilo em que se acredita ou que se deseja.

Muitas vezes a função da teimosia é encerrar o diálogo, cortar a comunicação. O objetivo é que as crenças não sejam questionadas ou que a sua fragilidade seja revelada. Em ambientes altamente incertos, as pessoas também tendem a se tornar mais radicais. Portanto, pode-se argumentar que o antídoto para a intransigência negativa é a autoconfiança.

Pode interessar a você...
A autoexigência e a necessidade de controle
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
A autoexigência e a necessidade de controle

Vivemos repletos de exigências profissionais, sociais e familiares, além de exigências pessoais. Hoje, falaremos sobre a autoexigência e o controle...



  • Eberle, A. S. (2021). Intransigencia radical, ética pública y «democracia exigente» en el sudoeste provincial.