Ame-se como deseja ser amado – A mente é maravilhosa

Ame-se como deseja ser amado

18, março 2015 em Emoções 4310 Compartilhados
ser amado

Sentirmo-nos amados é uma das maiores necessidades do ser humano, uma vez que isso nos reafirma como pessoas e seres sociais. É possível dizer que grande parte de nossa vida gira em torno desse sentimento, e grande parte das atividades que realizamos tem esse objetivo. Desde a maquiagem que nós mulheres usamos até o fato de nos cercarmos de pessoas que nos fazem bem.

No entanto, por mais que façamos tudo para que os outros nos aceitem e nos deem o amor que desejamos, nossos esforços podem ser insuficientes se faltar o mais importante: o amor que dedicamos a nós mesmos. Geralmente esquecido e deixado em segundo plano, o amor próprio é muito mais importante do que os que os outros nos dedicam. Esse amor é o que nos permite seguir em frente quando enfrentamos uma rejeição social e continuar quando os sentimentos negativos aparecem.

Aprenda a se amar como quer ser amado

Vivemos em uma sociedade em que os ideais de beleza são extremos, a competição entre companheiros é incentivada e nos ensinam que nada é o bastante. Tudo isso faz com que exijamos mais de nós mesmos dia após dia, gerando frustração em todos ou em grande parte dos âmbitos da nossa vida. É por tudo isso que, no fim das contas, não nos amamos tanto quanto deveríamos.

Para aprender a se amar, é necessário:

Reconhecer que temos qualidades além de defeitos. É muito comum nos compararmos com os ideais estabelecidos pela sociedade. Ainda que essa situação ocorra principalmente em relação ao físico, pode acontecer também com qualquer característica emocional. Uma excelente atividade é fazer uma lista das qualidades e dos defeitos que se tem e depois pedir a alguém que a revise e dê sua opinião. Essa atividade pode nos ajudar a ver qualidades que antes nem sequer havíamos percebido como tal.

 Respeitarmo-nos como seres únicos e individuais. As pessoas que se amam e que têm autoestima elevada se respeitam, o que implica não desejarem se parecer com ninguém por saberem que cada uma de suas características as torna especiais. Das características mais especiais às mais comuns, todas nos tornam únicos.

Encontrarmos em nós mesmos o foco central de nossa vida. Ainda que este ponto pareça estranho, é importante lembrá-lo, uma vez que muitas pessoas colocam outros como centro de suas vidas: filhos, trabalho, companheiro, esporte etc. Ainda que haja responsabilidades ou metas a cumprir, nunca devemos esquecer que o centro de nossa vida somos nós mesmos, e que, se não fizermos o necessário para nos sentirmos plenos e felizes, ninguém mais o fará.

Esses três conselhos são a base do amor a nós mesmos. Precisamos esquecer a culpa ou a crença de que devemos estar em segundo plano, já que cada pessoa deve ser responsável por viver sua vida e amar-se a si próprio. Quando se coloca isso em prática, invariavelmente se começa a sentir uma aprovação maior e um amor maior por parte dos outros.

Recomendados para você