Anandamida, um neurotransmissor que gera felicidade

· outubro 2, 2018

A anandamida é um composto que o nosso próprio organismo fabrica. Curiosamente, essa substância tem algumas propriedades muito similares às do THC, o princípio ativo da maconha. Por isso, muitos dizem que esse neurotransmissor é uma “maconha natural” que o corpo humano produz.

A anandamida tem um efeito similar ao da maconha sobre o corpo. Sua ação é basicamente relaxante. Ela acalma e regula o sistema cardiovascular. Além disso, também gera uma sensação de felicidade. Seu nome, na verdade, é derivado da palavra “ananda”, que significa “portador da paz e da felicidade interna”, em sânscrito. Ela está presente no cérebro humano e também no chocolate.

“A felicidade frequentemente entra por uma porta que você não sabia que estava aberta”.
– John Barrymore –

Os mecanismos de ação da anandamida

No ano de 2017 foi realizado um estudo sobre os efeitos desse neurotransmissor em ratos. Uma dose de anandamida foi injetada nesses animais, e seu comportamento mudou ao receber a substância. Mostraram-se mais interessados em resolver problemas cognitivos propostos, mais motivados a encontrar uma solução, e também mais habilidosos para fazê-lo.

Acredita-se, no entanto, que a ciência ainda não foi capaz de identificar todas as propriedades e efeitos desse neurotransmissor. Sugeriu-se também que ele poderia ser utilizado como uma ótima ajuda terapêutica para os dependentes de drogas. Essa tese, no entanto, ainda não tem evidências suficientes que a respaldem.

Mulher plena e feliz

Efeitos da anandamida

O efeito da anandamida é curto e muito intenso. Desse modo, ela influencia de maneira positiva diferentes funções do organismo.

Os principais efeitos são:

  • Homeostático. Contribui para potencializar os efeitos regenerativos do corpo e manter o equilíbrio do sistema nervoso.
  • Analgésico. Assim como a maconha, e todos os canabioides, tem poderosos efeitos para modular e diminuir a dor.
  • Neuroprotetor. Ajuda a regular os processos de excitação do sistema nervoso, e por isso gera efeitos protetores contra a toxicidade.
  • Regulador do apetite. Já foi comprovado que a anandamida regula os ciclos do apetite e da saciedade, modulando a sensação de fome.
  • Antiemético. Isso quer dizer que contribui para a inibição do vômito. Nesse caso, esse neurotransmissor age em conjunto com a serotonina.
  • Regulador do desejo sexual. Os estudos dizem que a anandamida, em pequenas quantidades, estimula o desejo sexual. Em altas quantidades, no entanto, causa sua diminuição.
  • Influencia na gestação. Sabe-se que essa substância intervém para favorecer a implantação do embrião no útero durante a gravidez.
  • Motivador natural. Melhora e torna a tomada de decisão mais rápida, predispõe a agir e aumenta a confiança.
  • Funções cognitivas. A anandamida ajuda a formar novas conexões entre os neurônios. Isso facilita os processos do pensamento, aprendizagem e memória.
  • Sedação e bem-estar. Traz sensação de paz, relaxamento e felicidade. Distorce de maneira positiva a sensação temporal.
  • Anticancerígeno. Este efeito ainda está em vias de ser comprovado. Tudo parece indicar que inibe a proliferação de células cancerígenas, especialmente melanomas.
Chocolate quente

Como aumentar os níveis de anandamida

A maneira mais simples de aumentar os níveis de anandamida é comendo chocolate amargo. Esse alimento contém uma importante proporção de teobromina.

Supõe-se que essa substância estimule a produção do neurotransmissor em questão no cérebro. Ao mesmo tempo, acredita-se que impeça sua decomposição no organismo. O chocolate amargo contém índices maiores de teobromina que os outros chocolates, mas os efeitos podem ser ainda maiores se mastigarmos a casca do cacau.

Por outro lado, em 2015 uma equipe de pesquisadores alemães realizou um estudo relacionado ao tema sobre o qual estamos falando agora. Nessa pesquisa, eles conseguiram encontrar indicadores de que o exercício facilita a produção de anandamida. Por sua vez, concluíram que é esse neurotransmissor – e não as endorfinas – que produz uma sensação de felicidade depois de ter realizado atividades físicas.

As trufas negras também estão entre os alimentos que contêm anandamida natural. Além disso, também já foram encontradas evidências de que os estados meditativos contribuem para a produção natural de diversas substâncias, entre elas a anandamida, serotonina, dopamina e endorfinas.