Ansiedade para engravidar: efeitos e como aliviá-la

Às vezes, coloca-se sobre as mulheres uma pressão muito forte para engravidar. Uma lembrança constante e uma obrigação imposta que não aumentam as chances de gravidez. A questão é: o que fazer se tivermos que lidar com um ambiente assim?
Ansiedade para engravidar: efeitos e como aliviá-la

Última atualização: 28 maio, 2022

Quando um casal decide ter um filho, tende-se a acreditar que o processo será fácil. Mas o que acontece quando a gravidez não ocorre? Geralmente, a ansiedade aumenta. Essa reação diante da situação, embora normal, não deixa de ser um obstáculo para que ocorra a gravidez em si.

Quando essa ansiedade aparece, as mulheres começam a se questionar: “será que eu sou estéril?”, “o que há de errado comigo?”, “e se eu nunca conseguir engravidar?”. Esses tipos de perguntas, em vez de promover uma solução sensata para o problema, não fazem nada além de aumentar a ansiedade.

A vontade de engravidar e a ansiedade

O estresse que acompanha toda essa situação frustrante parece ter efeitos adversos na fertilidade. Um estudo descobriu que mulheres com níveis mais altos de citocinas, um hormônio que aumenta com o estresse, tinham menor probabilidade de conceber um bebê.

Além das citocinas, altas concentrações de alfa-amilase salivar, uma enzima secretada pelas glândulas salivares em resposta ao estresse, também foram associadas à redução da fertilidade. Um estudo descobriu que as mulheres que tinham uma alta concentração dessa enzima tiveram uma redução de 29% na fertilidade.

Os resultados acima devem ser tomados com muita cautela, pois a relação causal entre estresse e ansiedade sobre a infertilidade ou problemas para conceber ainda não está muito clara e tem sido algo muito difícil de confirmar. Porém, o que se sabe com certeza é que não engravidar, quando se quer ter um filho, gera muita ansiedade. Por quê?

Casal olhando os resultados de um teste de gravidez

O que causa a ansiedade?

Existem muitos fatores que podem causar a ansiedade para engravidar. A seguir, vamos analisar os mais importantes.

1. A percepção de que um valor está ameaçado

Um valor é algo considerado valioso e importante para se viver e sem o qual a existência não teria sentido. Quando uma pessoa percebe que um valor fundamental para a sua vida está sendo ameaçado de aniquilação, surge a ansiedade. Assim, a ansiedade para engravidar se torna uma reação existencial diante da possibilidade de que o valor de procriar e ser mãe ou pai não seja realizado.

Para as pessoas que querem ser pais, ter um filho é algo muito importante e sem o qual não conseguem conceber uma vida feliz no futuro. Dessa forma, quanto maior o desejo de procriar e quanto mais valioso e significativo esse ato for percebido, maior a ansiedade por não engravidar.

2. Pressão social

Em muitas sociedades, as mulheres ainda sofrem grande pressão para serem mães. Algumas conseguem se livrar dessa pressão, mas outras não.

Em meio a tanta pressão, a mulher que não consegue resolver essa situação pode se sentir incompleta. Assim, o questionamento constante sobre quando terá um bebê pode alimentar o seu desconforto, dia após dia.

3. O relógio biológico

O fato de haver uma idade a partir da qual é mais difícil para uma mulher engravidar também pode ser uma fonte de pressão. A mulher, percebendo que “está acabando o tempo” para ser mãe, pode começar a se preocupar e, finalmente, a se desesperar.

Os avanços científicos permitem “parar” esse relógio de certa forma, por meio do processo de congelamento dos óvulos. Através dessa técnica, as mulheres podem garantir o seu potencial reprodutivo para o futuro, caso não estejam prontas no momento.

4. O ambiente

O entorno imediato, embora seja uma fonte de apoio, também pode acabar se tornando um gerador de estresse. Às vezes, amigos e familiares fornecem conselhos bem-intencionados que, no entanto, deixam a pessoa ainda mais ansiosa para engravidar. Além disso, eles também se tornam uma fonte de pressão.

5. Ver grávidas constantemente

Quanto mais queremos algo, mais o percebemos ao nosso redor. Por exemplo, quando estamos com fome, ficamos mais atentos às propagandas de alimentos. Algo semelhante também acontece com as pessoas que querem ter um bebê ou engravidar: em todos os lugares, veem casais grávidos ou com filhos nos braços. Essa é mais uma fonte de ansiedade porque “todo mundo tem filhos, menos eu”.

As redes sociais são uma fonte constante de ansiedade. Provavelmente, a mulher que deseja conceber seguirá páginas alusivas ao assunto que, ainda que essa não seja a intenção, fazem com que se lembre continuamente de seu desejo frustrado. Além disso, os dados de navegação (cookies) também se tornam mais um aliado para bombardear a pessoa com temas sobre a gravidez quando se faz uma pesquisa sobre o assunto. Tudo isso deixa a pessoa ainda mais ansiosa.

Como reduzir a ansiedade para engravidar

Não existem fórmulas mágicas para você parar de sentir ansiedade, mas existem coisas que você pode fazer para mudar a forma como se relaciona com ela. Assim, veremos o que você pode fazer nesses casos.

1. Aceite suas preocupações e obsessões

Quanto mais você lutar para não pensar nisso e não se preocupar, mais preocupada você vai ficar. Embora possa soar paradoxal, a melhor coisa que você pode fazer é ouvir esses pensamentos e se permitir estar com eles. Afinal, se lutar contra eles não funcionou para você, por que continuar aplicando uma estratégia que não dá resultado? Tente se conectar com suas ideias e emoções.

Assim, aceite a sua situação atual, mas não pare de tentar alcançar o seu objetivo. Aceitar não é renunciar; é se abrir para o que está acontecendo, enxergando e agindo de acordo. A aceitação requer que você se conecte com todas essas sensações desagradáveis, com o desconforto, a tristeza, a ansiedade. Um exercício que vai te ajudar a completar esta tarefa é a respiração e a observação. Veremos como isso pode ser feito.

2. Respiração diafragmática consciente

Primeiramente, coloque-se em uma posição confortável, feche os olhos e observe a sua respiração. Preste atenção ao seu ritmo e profundidade. Ela é profunda ou superficial? É rápida ou pausada? Então, coloque a mão sobre o seu abdômen e se certifique de que, ao respirar, você consiga sentir como o seu estômago infla e desinfla a cada inspiração e expiração. Coloque a outra mão no peito e tente fazer com que ela não se mova ao respirar. Somente a mão sobre o seu abdômen é que deve se mover.

Então, inspire lentamente pelo nariz, de modo que a mão sobre o abdômen sinta a pressão da sua elevação. Enquanto isso, a mão no peito deve permanecer imóvel. Prenda a respiração por um momento e expire lentamente pela boca, de tal forma que possa sentir a mão sobre o seu abdômen descer.

Agora, deixe a respiração seguir o seu curso normalmente, não a controle. Nesse estado de quietude e silêncio, observe os seus pensamentos, as suas emoções e a sua ansiedade. Qual é a sensação? De que parte do seu corpo ela está surgindo? Que pensamentos a acompanham?

Apenas observe; não tente resistir, apenas esteja aberta para vê-la cara a cara. Ainda que você não acredite, o exercício de respiração diafragmática realmente pode te ajudar a lidar com a ativação fisiológica que causa o estresse e a ansiedade.

Mulher de olhos fechados

3. Deixe a sua mente descansar

Limite-se a fazer apenas o necessário para conceber; não faça pesquisas nas suas redes sociais sobre o assunto. Também reduza a sua exposição a qualquer coisa que seja uma fonte de ansiedade para engravidar. Diminuir o tempo que você dedica a coisas relacionadas à gravidez é uma estratégia muito boa para fazer a sua mente descansar.

Não será fácil se desconectar de tudo de uma vez; portanto, isso deve ser feito aos poucos. Desconectar-se não significa que você vai parar de tentar, mas sim que você vai evitar saturar a sua mente com informações sobre o assunto. Trabalhe para se concentrar em fazer apenas o necessário para engravidar. Certamente, há muitas coisas que não contribuem e que não fazem nada além de te deixar ainda mais ansiosa.

4. Desabafe

Você pode compartilhar o que sente com as pessoas ao seu redor. Desabafe. Colocar em palavras o que está acontecendo com você em um ambiente de compreensão, ainda que reduzido, geralmente produz uma grande sensação de alívio. Outra opção é que isso seja feito por escrito.

Por fim, não deixe que a ansiedade para engravidar vença a batalha. Ser mãe exige coragem, esforço, vulnerabilidade e muita dedicação. Assim, ainda que isso seja difícil nestes momentos, não jogue a toalha.

Pode interessar a você...
Gravidez psicológica: um fenômeno histérico
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Gravidez psicológica: um fenômeno histérico

Às vezes é difícil distinguir uma gravidez psicológica de uma real. Trata-se de um fenômeno complexo que demanda atenção de um profissional de saúd...



  • Haimovici, F., Anderson, J. L., Bates, G. W., Racowsky, C., Ginsburg, E. S., Simovici, D., & Fichorova, R. N. (2018). Stress, anxiety, and depression of both partners in infertile couples are associated with cytokine levels and adverse IVF outcome. American journal of reproductive immunology79(4), e12832.
  • Lynch, C. D., Sundaram, R., Maisog, J. M., Sweeney, A. M., & Buck Louis, G. M. (2014). Preconception stress increases the risk of infertility: results from a couple-based prospective cohort study—the LIFE study. Human reproduction29(5), 1067-1075.
  • Rooney, K. L., & Domar, A. D. (2022). The relationship between stress and infertility. Dialogues in clinical neuroscience.