Aprenda a programar seu cérebro

· junho 30, 2015

Muitas pessoas acreditam que são as emoções que nos fazem de uma maneira e não de outra, e isso é parcialmente verdade. Elas e os sentimentos nos permitem ser como somos, mas nossas experiências também têm sua parcela de responsabilidade. É que tendemos a viver sempre “atualizando” ou relembrando os sentimentos do passado. Realizamos o mesmo processo químico repetidamente.

Uma das perguntas que você pode fazer para perceber se realmente deve ou não mudar ou programar seu cérebro é: Qual o sentimento que toma conta de mim todos os dias, servindo como uma desculpa perfeita para não mudar nada?

Você poderá dizer que tem a capacidade de eliminar a culpa, a vergonha, o sentimento de que não merece ser feliz e de que você não vale nada; essa é realmente uma ótima maneira de começar. Assim, você vai se livrar de tudo aquilo que lhe destrói, enjaula ou mantém aprisionado. Os estados acima nomeados são os que lhe impulsionam a se comportar como se você fosse um animal atrás das grades.

Pergunte-se o que você pode mudar em si mesmo para ser uma pessoa melhor, qual o maior ideal que você pode ou quer alcançar, que história ou personagem você admira, etc. Você é o único responsável pelo que acontece com você, pois embora você possa dizer que os outros fazem você se sentir mal ou deprimido, você é quem opta por ficar nesse caminho. Você pode mudar a sua mentalidade para criar novos caminhos pelos quais o cérebro transite de forma mais tranquila ou, pelo menos, diferente do conhecido.

Não tenha medo do que não sabe ou não conhece; o desconhecido não necessariamente é ruim. Está provado que o cérebro pode ajudar a curar as doenças mais prejudiciais, tais como câncer ou diabetes. De acordo com os cientistas mais prestigiados do mundo os nossos pensamentos tornam-se matéria. As pessoas têm a capacidade de mudar a arquitetura do  cérebro. Sem dúvidas.

Como programar seu cérebro

Em primeiro lugar é preciso aceitá-lo e acreditar. Entenda que há uma inteligência superior, acima do conhecido, que está dentro de nós, mas dormindo”. Você só precisa acordá-la.

Em segundo lugar, aceite que seus próprios pensamentos e reações são os que levam você a adoecer, (há um campo científico chamado psico-neuro-imunologia que demonstra que há uma conexão entre a mente e o corpo) a ser de uma certa forma, a responder de certo modo, a reagir especificamente diante de cada estímulo, etc..

O terceiro passo neste caminho para reprogramar a mente consiste em se reinventar. Quer dizer, pensar em como você gostaria de ser, tanto no plano físico quanto no mental ou espiritual. Desde ser mais magro a ser mais compassivo, passando por ser mais paciente e não se irritar por tudo. Medite ou imagine-se com essas características já “incluídas no seu inventário.

O lobo frontal do cérebro representa 40% de sua totalidade. Quando estamos concentrados ou muito focados, ele age como um controle de volume. Ao ter ligações com todas as partes do corpo, você pode aumentá-lo ou diminuí-lo como desejar.

Isso significa que os circuitos que se relacionam para mover seu corpo, perceber o que existe ao seu redor ou sentir as emoções podem modificar a realidade. Você só tem que concentrar a sua mente em um único pensamento, nesse desejo, nesse sonho, nessa meta, e o cérebro se encarrega do resto.

Nossa mente, sob certas condições, dificilmente distingue entre o que é real e o que é inventado. Ao querer programá-la, estamos modificando muitos detalhes que estão guardados anos. Isso não é apenas para as mudanças internas ou externas em nosso corpo, mas também para o que queremos alcançar no material, como uma casa, um parceiro, um trabalho, um carro, uma viagem, etc. Imagine uma e outra vez e aumentará as chances de que se torne realidade.

Podemos mudar a nossa mentalidade criando novas conexões ou fiações”, que vão do cérebro para outras partes do corpo, fortalecendo o pensamento, estabelecendo prioridades, usando a parte da mente que é responsável por tornas as fantasias realidade, etc.

Não há nada de místico nos resultados dessas investigações; trata-se da mesma inteligência que organiza e regula as funções do corpo e também permite que o coração bata cem mil vezes por dia, que respiremos milhares de vezes ou pisquemos sem pensar. A mente também é responsável por cerca de 70 funções do fígado, dos sucos digestivos e muitas outras tarefas.

Finalmente, é importante notar que cada vez que pensamos, estamos fabricando diferentes substâncias químicas. Os pensamentos negativos produzem sinais prejudiciais para o corpo. Experimente: pense em algo triste e em poucos segundos a tristeza invadirá todo o seu corpo. Ao contrário, imagine algo feliz ou ria com uma piada e você vai perceber que a predisposição é outra. É que tudo, completamente tudo, está “nas mãos” do cérebro.