As melhores técnicas para acalmar a ansiedade

As melhores técnicas para acalmar a ansiedade

16, junho 2015 em Emoções 0 Compartilhados
ansiedade

A função da ansiedade na pessoas está relacionada com a sobrevivência, assim como também ocorre com a tristeza, a raiva, o medo e a felicidade. O organismo, para preservar sua integridade física frente a determinadas ameaças, reage de forma diferente, voltado para a luta e a fuga. Aproximadamente 20% da população mundial sofre, hoje em dia, de algum transtorno de ansiedade, e a maioria nem sabe disso.

Frente a uma situação que coloca o corpo em alerta, entra em funcionamento o sistema adrenérgico. Isso é normal, por exemplo, quando sentimos fome, porque são liberados sinais para o sistema nervoso central, que faz com que nosso estômago comece a doer. O sistema dopaminérgico é o segundo a entrar nesse processo; ele é ativado quando acreditamos que vamos perder um bem apreciado. Então, o corpo entra em alerta frente à possibilidade de uma iminente ameaça, que nem sempre é real.

A ansiedade pode ser considerada adaptativa quando surge em doses normais, e pode ajudar na vida cotidiana sempre e quando os sintomas forem leves, pois o corpo se livra de substâncias danosas e perigos.

No entanto, o problema começa quando aparece o que se denomina a “ansiedade patológica”. Isso é muito comum na sociedade moderna. Desenvolve-se através de quadros sintomáticos que têm consequências negativas, como fobias, pânicos, transtorno obsessivo-compulsivo, estresse, agorafobia, ansiedade social ou traumas. A ansiedade generalizada é uma sensação de angústia, medo e desejo de fugir a todo momento. Muitas pessoas sofrem desse problema hoje em dia.

Os sintomas de ansiedade são diversos e os mais frequentes são a hiperatividade vegetativa (taquicardia, sensação de sufocamento, transpiração excessiva, tremores, náuseas, insônia, fraqueza muscular, rigidez, inquietude, problemas para se comunicar, pensamentos obsessivos ou negativos, entre outros).

Se não for tratada como deve, a ansiedade pode se transformar num transtorno de pânico, onde o paciente tem medo de morrer, de desmaiar ou de sofrer um acidente.

Técnica para acalmar a ansiedade

Uma vez que o diagnóstico tenha determinado que a pessoa realmente sofre de ansiedade, a seguinte etapa é colocar em prática alguma das técnicas mais eficazes conhecidas até o momento. Uma dela é a EFT, que se baseia na acupuntura e permite que o paciente libere as tensões emocionais com batidas suaves que acontecem com diferença de 6 segundos, em diversas zonas do corpo.

A eficácia da EFT foi comprovada por evidências científicas: ela ajuda a combater problemas como transtorno por estresse pós traumático (PTSD na sigla em inglês), insônia, medos, fobias, alergias, ataques de pânico, ansiedade, edições sexuais de abusos, memórias traumáticas, falta de concentração, obsessões, depressão, tristeza, perdas, dislexia, memória negativa, pesadelos, baixa autoestima, vícios, obesidade, má imagem sobre si mesmo, etc.

Também pode ser usada por aquelas pessoas que estão tentando parar de fumar ou que têm compulsão por comida; depois deste processo, o desejo por um cigarro ou por um prato de comida desaparece quase que num passe de mágica.

O processo de EFT consta de 14 pontos relacionados aos canais de energia (os principais meridianos do corpo), usados pela acupuntura. Embora seja uma boa ideia que todos a conheçam, costuma ser suficiente utilizar somente os que se encontram em nosso rosto e em nosso tórax, com exceção do ponto abaixo do tórax, que pode ser incômodo estimular para as mulheres.

Os pontos trabalhados para aliviar os problemas de ansiedade estão no começo das sobrancelhas, ao lado do olho (no osso), sob o olho, o nariz e a boca, no começo do clavícula (a alguns centímetros da cavidade da garganta, ou melhor dizendo, na união entre o esterno e a clavícula), sob o peito (4 dedos sobre o arco do diafragma na vertical), sob o braço (sobre as costelas, 4 dedos abaixo da axila), nos dedos (na base de cada unha), na borda e no dorso da mão.

Enquanto vão recebendo pequenas batidas nestes pontos, o paciente tem que girar os olhos em círculos, de um lado para o outro. Isso está relacionado com a ativação de diversas áreas do cérebro.

Normalmente, realiza-se o “tapping” (batidas suaves) a cada 6 ou 7 segundos, no entanto, caso note que algum dos pontos é mais sensível que os demais, o tratamento pode ser mais intenso nessa área, até que se normalize. Pode-se exercer pressão tanto do lado direito como do lado esquerdo do corpo. É preciso que a batida seja suficientemente forte para que os ossos ressoem, mas sem a existência de dor.

Os pacientes costumam dizer que a área que produz mais dor é a que fica situada abaixo da clavícula, porque a pressão incomoda a congestão linfática. Opta-se por massagear essa área de forma circular. Se você fizer esse processo apenas uma vez, perceberá que a ansiedade irá desaparecer e poderemos focar melhor nas atividades, deixando a tristeza, a insônia e a necessidade de roer as unhas de lado.