Aspectos inegociáveis em um relacionamento: qual é a sua importância e como identificar os seus?

Para que um relacionamento seja saudável e satisfatório, ele deve abranger as necessidades, desejos e preferências de seus membros. Descubra seus "inegociáveis".
Aspectos inegociáveis em um relacionamento: qual é a sua importância e como identificar os seus?
Elena Sanz

Escrito e verificado por a psicóloga Elena Sanz.

Última atualização: 14 dezembro, 2022

Estar em um relacionamento pode ser uma experiência maravilhosa, desde que seja feito de uma forma consciente. Ou seja, levando em conta que a união deve nutrir e contribuir para ambas as partes, e que não deve ser fonte de sofrimento. Para que isso seja possível, é necessário identificar seus inegociáveis, essas linhas vermelhas que nunca devem ser ultrapassadas e esses ingredientes que são imprescindíveis para você.

Esses inegociáveis não são uma lista de exigências para o outro. Não são uma série de pedidos que você transfere ao seu parceiro para que ele cumpra, ou algumas condições que você impõe a ele. Pelo contrário, são os pontos sobre os quais você deve ter clareza ao selecionar um parceiro e pelos quais você deve se guiar na hora de decidir se continua ou termina um relacionamento.

Em suma, não se trata de fazer o outro se conformar à sua lista, mas de ser fiel a ela e tomar decisões coerentes sobre ela. Com isso claro, vemos em que consistem esses pontos e como você pode identificar os seus.

casal conversando
Os inegociáveis são necessários para aproveitar o relacionamento e a convivência.

O que são os inegociáveis em um relacionamento?

Como dissemos, os inegociáveis são aqueles pontos que sim ou sim devem estar presentes para que você possa desfrutar de uma vida a dois. Alguns deles são comuns, pois são princípios básicos de humanidade, respeito e convivência (embora às vezes os ignoremos). Outros, em contrapartida, são individuais e referem-se à escala de valores de cada pessoa.

Então, vamos começar olhando alguns exemplos dessas linhas vermelhas que nunca devem ser ultrapassadas:

Sinceridade

A honestidade é fundamental para construir confiança em um casal, para poder se sentir seguro e conectado. Se a outra pessoa mente, esconde informações ou as distorce, isso pode criar altos níveis de estresse e mantê-lo constantemente alerta.

Assim, o ciúme e a desconfiança se instalam e o sofrimento se torna mais presente do que o gozo. Para que isso não aconteça, a sinceridade deve ser uma máxima sempre respeitada.

Respeito

O respeito implica consideração pelo outro e se manifesta tratando-o com dignidade e valor. Assim, agressão física ou verbal, humilhação, chantagem ou ameaças não deveriam ter lugar na relação. Nem a indiferença ou o desprezo.

Independente do contexto (mesmo no meio de uma discussão) e do grau de comprometimento que você tenha, você sempre merece ser tratado com humanidade e não deve aceitar menos.

Empatia

A empatia refere-se à capacidade de se conectar com o mundo mental e emocional do outro; sair, por um momento, da nossa própria perspectiva e tentar compreender a do casal. Esse é um exercício fundamental que nem sempre fazemos, mas é essencial para nos relacionarmos emocionalmente.

Em um relacionamento, você deve se sentir ouvido, cuidado, acompanhado e apoiado. É importante que a outra pessoa saiba validar suas emoções, que não as minimize e que fique ao seu lado mesmo nos seus momentos mais baixos. Embora isso possa parecer uma conquista ou um privilégio, é uma questão básica cuja ausência não deveríamos tolerar.

Assertividade

Finalmente, ao escolher um parceiro, devemos priorizar a maturidade emocional e as habilidades de comunicação. A pessoa com quem você compartilha sua vida deve saber expressar suas opiniões, necessidades e desejos quando for necessário e de forma adequada; deveria estar disposta a ouvir, negociar, ceder e resolver os conflitos com calma. Essa habilidade evitará mal-entendidos, brigas e frustrações ocultas que acabam desgastando o relacionamento.

Quais são os seus inegociáveis?

Agora, além desses básicos, existem outros que são exclusivos de cada pessoa. Isso dependerá de sua escala de valores, de suas necessidades e preferências pessoais. No entanto, não se trata de caprichos, mas daqueles elementos que você realmente precisa encontrar em outra pessoa para sentir afinidade e poder construir algo em comum.

Alguns dos pontos mais importantes a serem revisados podem ser os seguintes:

Linguagem do amor

Cada pessoa expressa e deseja receber amor de uma forma diferente. Existem pessoas muito físicas, outras que anseiam e apreciam palavras de afirmação e outras que expressam seu afeto facilitando a vida de seu parceiro.

É importante identificar qual é a sua linguagem do amor e comunicá-la ao seu parceiro, bem como conhecer a dele. Pense que existem muitas formas de demonstrar amor, e saber qual é a preferida por ambos fará com que se sintam amados.

Ideologia

A ideologia é um ponto que pode unir ou dividir um casal; por isso, é conveniente procurar um companheiro que esteja na mesma sintonia. Uma pessoa muito lógica e científica provavelmente vai acabar entrando em conflito com alguém que é muito espiritual. E o mesmo acontece com as ideologias políticas ou religiosas.

Compromisso e tipo de relacionamento

Nesse ponto, podem ser considerados aspectos como o grau de comprometimento que você deseja em seu relacionamento e o tipo de vínculo. Um casal monogâmico não é o mesmo que uma união aberta, uma união livre a curto prazo ou uma relação formal com vista ao futuro.

Determine o que você quer e precisa a esse respeito, o que serve e funciona para você e certifique-se de que a pessoa com quem você está tenha as mesmas expectativas e propósitos que você.

Valores e estilo de vida

Finalmente, podemos nos perguntar que estilo de vida gostaríamos que tivesse a pessoa com quem vamos nos relacionar. É possível que você prefira uma pessoa tradicional, familiar e caseira ou uma pessoa livre, viajante e despreocupada. Talvez seja importante para você que a outra pessoa seja ambiciosa e dedicada aos seus projetos profissionais, ou que seja saudável e priorize cuidar do seu corpo.

Talvez para algumas pessoas isso não seja relevante, mas para outras pode fazer a diferença na hora de admirar o  parceiro e se dar bem com ele. Portanto, se esse for o seu caso, não tenha medo de esclarecer esses pontos e encontrar alguém que se encaixe neles.

Aspectos inegociáveis
Ter estilos de vida e hábitos semelhantes ajudam na felicidade de um relacionamento.

Os inegociáveis em um relacionamento marcam o caminho

Incentivamos você a dedicar seu tempo para identificar seus inegociáveis. Além de poder ser mais claro com o outro, o processo lhe ajudará a se conhecer melhor e saber o que procura, quer e precisa em um parceiro; além disso, você terá uma referência clara para ser seletivo e não se associar a nenhuma pessoa por quem sinta certa atração ou afinidade.

Seus inegociáveis o ajudarão, se você os tiver em mente, a não consentir em formas de relacionamento que você realmente não deseja. E também o aproximarão de uma união mais plena e satisfatória, tanto para você quanto para a outra parte. Portanto, tenha-os sempre em mente e, quando perceber que não estão sendo contemplados, tome as decisões cabíveis sem medo.

Pode interessar a você...
O luto nos relacionamentos complicados
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
O luto nos relacionamentos complicados

O luto nos relacionamentos complicados pode ser mais difícil e confuso do que esperamos. Vamos contar por que isso acontece.


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.


  • Cuervo Rodriguez, J. J. (2013). Parejas viables que perduran en el tiempo. Diversitas: Perspectivas en psicología9(2), 257-270.
  • Chapman, G., & Campbell, R. (2016). The 5 Love Languages: the secret to love that lasts. Moody Publishers.

Os conteúdos de A Mente É Maravilhosa servem apenas para fins informativos e educacionais. Não substituem o diagnóstico, o aconselhamento ou o tratamento de um profissional. Em caso de dúvida, é recomendável consultar um especialista de confiança.