Ataques de pânico noturnos: como lidar com esta situação?

Como lidar com ataques de pânico noturnos?

outubro 4, 2017 em Psicologia 14 Compartilhados
Mulher sofrendo ataques de pânico noturnos

Os ataques de pânico são conhecidos pelo intenso mal-estar, carregado de medo, que produzem. Eles podem aparecer em qualquer momento e por isso muitas vezes são inesperados. Além disso, é comum que não exista uma causa direta e evidente que possa ser associada aos mesmos. Neste texto, queremos falar especialmente sobre os ataques de pânico noturnos.

De alguma maneira, é como se o nosso corpo se sentisse ameaçado, sem que exista um perigo real. O corpo reage como se o maior dos nossos medos estivesse na nossa frente.

Logicamente, a nossa mente não consegue entender nada. “Por quê? O que desencadeou tudo isso? Eu estava tranquila e de repente estou sentindo isso. Não estou entendendo nada”. A nossa cabeça não entende essa reação inesperada e imprevisível do nosso corpo. E isso é o mais assustador.

Os ataques de pânico entram na nossa casa sem avisar

Uma das sensações que menos toleramos, mesmo havendo grandes diferenças individuais, é a incerteza. A imprevisibilidade. Com os ataques, a falta de recursos para prevê-los ou para relacioná-los com uma causa muitas vezes acaba gerando mais ansiedade que os próprios ataques.

Mulher que sofre de ataques de pânico noturnos

Quando estamos em pleno ataque de pânico, as sensações fisiológicas, como palpitações, suor nas mãos e outras regiões do nosso corpo, que agem como uma resposta ao que acontece são várias. Além disso, em um nível emocional é comum que apareçam o medo de morrer, de desmaiar, de perder o controle ou de ficarmos loucos. Os medos podem chegar a nos paralisar e nos perseguem completamente.

Também pode surgir dor no peito. Nós podemos vomitar, ter sensação de estar sufocando e ter dificuldade para respirar, além de náuseas… Além disso, aparece uma sensação de irrealidade que nos invade por completo: esta precisamente é uma das experiências mais perturbadoras em um ataque de pânico.

A sensação de irrealidade aparece com frequência nos ataques de pânico noturnos

É como se nós saíssemos do nosso corpo e nos observássemos de fora. Observamos nosso corpo como espectadores a partir de um posto de vigilância exterior. Uma sensação que muitas vezes se experimenta com muito medo.

Mulher deitada em chão árido e seco

Mas o que acontece quando vamos nos deitar? Nós achamos que esse momento é um momento de calma. Um momento no qual podemos deixar as preocupações de lado e finalmente dormir. “Adormecemos” as nossas preocupações. Nós as isolamos e deixamos de lado. Pelo menos até voltarmos a recuperar a nossa adormecida consciência.

O fato é que os ataques de pânico também podem nos perseguir à noite, sem aviso prévio. Pelo menos os ataques de pânico diurnos podem ser previstos de alguma maneira. Há sinais que podemos começar a observar e nos tornarmos conscientes deles. Nós podemos ir para uma parte segura ou sair do lugar em que estamos, por exemplo, em uma multidão.

O despertar do ataque noturno é surpreendente e abrupto

Em contrapartida, os ataques de pânico noturnos são completamente imprevisíveis. Eles costumam ocorrer antes da fase REM do sono. Por isso não estamos conscientes deles até acordar. Esse despertar é sempre abrupto e acontece de uma maneira muito brusca.

Quando nosso corpo acumula tanta ansiedade, é como se explodisse, muitas vezes, por meio de ataques de pânico. Há pessoas que sentem níveis de estresse muito altos e que são expressados por meio desses ataques noturnos. Exatamente quando abaixam a guarda. É por esse motivo que quem passa por esses ataques no meio da noite se sente surpreso e com medo.

Nós acordamos apavorados e não entendemos o que está acontecendo. Os segundos parecem eternos. A angústia se mistura com uma sensação de estranheza e irrealidade devido ao momento em que apareceu.

Podemos prevenir os ataques com uma boa higiene do sono

A maneira de tratar essa angústia noturna começa com esse sentimento de ansiedade não resolvido. Por sua vez, é importante trabalhar essa “fobia” que pode aparecer sempre que o dia acaba e nos deitamos no nosso quarto. Em pouco tempo os ataques de pânico noturnos acabam gerando um medo de dormir que vamos precisar combater também.

Menina que sofre de ataques de pânico

Com uma boa higiene do sono criaremos e consolidaremos melhores hábitos de sono. Nós vamos eliminar tudo que esteja nos perturbando na hora de ir dormir. Desde jantar (ou beliscar) pouco antes de dormir, até ver filmes ou séries também pouco antes de dormir que nos deixem com aquele tipo de sensação desagradável que às vezes se materializa no corpo.

Você pode tomar essas medidas preventivas para dizer adeus aos ataques de pânico noturnos. No entanto, é importante não ignorar que grande parte da existência desse fenômeno está relacionada ao estresse, à angústia ou à ansiedade que estamos sentindo no nosso dia a dia. Se você percebe que está passando por isso durante o dia, talvez possa ter uma pista muito importante de como começar a combater esses ataques repentinos que nos perseguem como monstros à noite.

Recomendados para você