5 estratégias para aumentar o pensamento crítico

· março 12, 2018

Se você aumentar o pensamento crítico, terá à sua disposição uma “arma” de construção sólida e excepcional. Afinal, algo tão simples como aplicar um ceticismo saudável, combinado com uma ética pessoal adequada e uma mente mais aberta, pode nos permitir sobreviver muito melhor em todos os contextos em que muitas vezes somos forçados a pensar de forma unificada.

Talvez já tenhamos escutado alguma vez que estamos no que chamam de era pós-verdade. Exagero ou não, ter um pensamento crítico é pouco mais do que uma necessidade vital. Se admitimos que estamos passando por uma “crise da verdade”, onde muitas vezes atraímos nossas emoções como uma forma de influenciar nossas ações, é essencial reagir e fazê-lo da melhor maneira.

“A mente que se abre para uma nova ideia não volta mais ao seu tamanho original.”
– Albert Einstein-

Em um estudo publicado na Universidade de Cambridge em janeiro deste ano, destacou-se uma importante ideia. No departamento de psicologia desta conhecida instituição acadêmica foi apontado que além do coeficiente intelectual, além de aspirar a uma alta inteligência, o que realmente poderia melhorar a nossa vida é ter um bom pensamento crítico.

Os próprios autores apontaram que uma pessoa bem treinada nesta habilidade é capaz de tomar decisões mais precisas. Além disso, deixa de ser tão manipulável ao interesse da publicidade ou das esferas políticas, podendo resolver problemas de forma mais criativa, autônoma e efetiva. Estamos, sem dúvida, diante de um maravilhoso recurso psicológico que vale a pena trabalhar. Melhorar o seu pensamento crítico é possível e essas estratégias podem ajudá-lo a conseguir.

Como aumentar o pensamento crítico?

Embora possa haver alguma inércia inicial, ninguém vem a este mundo com uma habilidade inata para aplicar o pensamento crítico ao que acontece em seu contexto. Essa habilidade é treinada, aprendida, internalizada e transformada com base em nossas necessidades, personalidade e experiências. É um feedback contínuo onde é necessário não ser passivo, não ser conformista e aplicar uma boa motivação todos os dias.

Vejamos agora como podemos alcançá-lo.

1. Expanda suas perspectivas, não fique com apenas uma opção

Se nos dissessem agora que o mundo acabaria amanhã, possivelmente 60% da população buscaria um bunker onde pudessem se esconder imediatamente. 20% do resto faria todo o possível para encontrar uma alternativa, uma estratégia para evitar a chegada desse suposto apocalipse. A terceira opção, que representaria os outros 20%, seria a dos céticos. Aqueles que perguntam: o mundo realmente vai acabar? Quem disse?

O ceticismo saudável, inteligente e habilidoso é, sem dúvida, o primeiro filtro. Um filtro para notícias, opiniões, afirmações ou comentários que ouvimos diariamente.

2. Seja proativo, não reativo

Muitos de nós, em vez de viver, reagem à vida. Reagimos a problemas, enfrentamos dificuldades e desafios sem saber que há outra maneira de existir: ser proativo. No entanto, o que significa ser proativo?

  • Significa não ficar parado vendo como as mudanças que acontecem ao nosso redor, acontecem sem a nossa intervenção: faça as coisas acontecerem, procure os desafios para aprender com eles, aplicando novos recursos, estabeleça metas e trabalhe para alcançá-las todos os dias.
  • O seu pensamento crítico também é a força psicológica que lhe permitirá agir com mais habilidade e reflexão. Ou seja, em vez de reagir levemente ou de forma exagerada em face de uma situação difícil ou complexa, esta abordagem irá ajudá-lo a olhar com uma atitude mais construtiva, focada, adaptada e até engenhosa. Todo desafio envolverá uma aprendizagem.
Perfil feminino colorido

3. Um pensamento mais ético

Em nossa sociedade é muito comum o pensamento dicotômico ou extremo; ele está na moda. Algo é bom ou ruim. As pessoas estão de acordo com nossos ideais e valores ou não estão. Você é um amigo ou você é um inimigo, você é azul ou você é vermelho. O que realmente ganhamos ao aplicar esses tipos de filtros morais? A verdade é que muito pouco.

Se pudéssemos usar um pensamento mais crítico para refletir e relativizar todas essas dicotomias, descobriríamos e aproveitaríamos nossa capacidade de contemplar diferentes pontos de vista. Abrir-nos com curiosidade a toda a gama de opiniões, características, traços e detalhes que marcam nossos cenários, nos enriqueceria infinitamente.

4. Mais senso de humor, por favor

O bom senso de humor vai de mãos dadas com a inteligência. Quem sabe rir de si mesmo, que é capaz de encontrar o ponto luminoso da névoa, brincando com a realidade para relativizá-la, transformá-la com graça e originalidade, fazendo com que outros riam com sua sagacidade, tem um dom valioso.

Assim, seu pensamento crítico é também uma ferramenta com a qual mostrar a sua capacidade de ter uma perspectiva mais clara da realidade, evitando ficar preso em frustrações, em raiva não resolvida ou em mal-entendidos que não nos conduzem a lugar nenhum.

5. Tome consciência das suas distorções cognitivas

Deixar que nosso foco vital seja absorvido em distorções cognitivas, como o negativismo, a excessiva generalização, o uso de rótulos, a abordagem polarizada ou aquela atenção seletiva em que só vemos o que queremos, limita completamente nosso pensamento crítico.

Devemos tomar consciência desses recursos irracionais tão comuns em nossas mentes. Devemos relativizar, ampliar visões e horizontes e simplesmente lembrar que assim como muitas vezes criticamos aqueles que nos cercam, também precisamos ser críticos de nós mesmos.

Homem lendo um livro

Para concluir, basta dizer que, como podemos intuir, desenvolver essa força psicológica exige tempo. No entanto, se você deseja aumentar o pensamento crítico, não se esqueça de um conselho simples: seja livre, livre de pensamentos e vontade. Quebre correntes e observe o mundo com humildade, tomando consciência de tudo o que você pode aprender, das grandes possibilidades que o cercam.