Bem-vindo à aventura do autodescobrimento

Bem-vindo à aventura do autodescobrimento

junho 1, 2016 em Filmes 0 Compartilhados
Bem-vindo à aventura do autodescobrimento

Christopher McCandless foi um jovem norte-americano que tomou a decisão de deixar todas as suas posses e todo o seu dinheiro para trás para ir para o Alasca viver em contato com a natureza e encontrar o sentido da vida. Assim, ele iniciou a apaixonante aventura do autodescobrimento.

Se deseja conhecer a incrível história de Christopher McCandless encontrando o seu verdadeiro eu, pode ver o filme “Na Natureza Selvagem” dirigido de forma magistral por Sean Penn, ou pode ler o livro com o mesmo nome, que serviu de inspiração ao filme, escrito por Jon Krakaeur.

Agora, essa introdução significa que todos nós devemos ir até lugares cobertos de neve, florestas de natureza estonteante e áreas ermas no fim do mundo para iniciar a aventura do autodescobrimento? Obviamente que não, apesar de não ser uma má ideia.

A aventura do autodescobrimento inclui viagens, estadias curtas, longas conversas e a descoberta de lugares maravilhosos que podem mudar a forma de se conhecer enquanto pessoa. Apesar disso, o destino está muito mais perto do que o Alasca. O lugar para onde se dirigir é a sua própria mente, seu coração e seu verdadeiro eu.

Christopher McCandless sentado apoiado em seu trailer

A aventura do autodescobrimento: preparando a viagem

A primeira fase desta maravilhosa viagem do autodescobrimento é, sem dúvida, a mais difícil, pois músculos que nunca se moveram jamais devem ser colocados em movimento, e essa tarefa não é nada simples. Jean Piaget disse que “se um individuo é passivo intelectualmente, não conseguirá ser livre moralmente”.

É evidente que se levantar e começar a se mover é um processo complexo. Primeiro você deve ser consciente da sua inércia. Depois, tem que se convencer de que tem que fazer a viagem. Depois, é preciso preparar a mala com tudo aquilo que lhe fará falta durante a viagem…

Existem vários preparativos que temos que fazer antes de iniciar a aventura do autodescobrimento, pois inicia-se uma viagem até as partes mais profundas do nosso ser, da qual não há como voltar atrás. Os pilares da nossa existência pessoal serão afetados e é necessário ter a preparação necessária.

A aventura do autodescobrimento: comece a viagem

Já demos o primeiro e problemático passo. Todos os preparativos estão prontos e a viagem começa. O panorama que se apresenta diante dos seus olhos é tão apaixonante como intrigante. Podem aparecer medos, vertigens e fobias, mas é melhor não voltar atrás. O destino vale a pena.

Homem ao anoitecer com fogueira na praia

George Bernard Shaw disse que “há poucas pessoas que pensam mais do que duas ou três vezes por ano. Eu fiquei internacionalmente famoso por pensar uma ou duas vezes por semana”. Não esqueça que você também vai ter que colocar em prática o mesmo processo que levou este filósofo e pensador a exercitar a sua mente quase diariamente.

Agora, onde começa a viagem? Na verdade, a resposta a esta pergunta é tão simples quanto complexa. O seu percurso começa com perguntas como “quem você é de verdade?”,”por que você está aqui?”, “o que você quer?”,”para onde você está indo?”. 

“Só se nos detivermos a pensar nas pequenas coisas, chegaremos a compreender as grandes.”
-José Saramago-

A aventura do autodescobrimento: a natureza selvagem

Você já preparou o seu equipamento e já se pôs a caminho. Agora, chegou o momento de se aventurar na natureza selvagem. Caminhe em direção ao desconhecido e mergulhe cada vez mais nos processos de pensamento da sua mente, na natureza das suas emoções e na realidade dos seus sentimentos

Você vai reparar que à medida que vai avançando pelo caminho que o leva à sua própria essência, torna-se cada vez mais presente a afirmação que um dia Jean Paul Sartre fez:

“O meu pensamento sou eu: eis porque não posso parar. Existo porque penso… e não posso parar de pensar”. 
Compartilhar

O começo da viagem foi duro. Sair da sua existência confortável para se dirigir sem um rumo claro em direção ao abismo da sua mente e coração proporciona uma verdadeira vertigem. No entanto, à medida que avança, você repara que o caminho se torna mais claro, iluminado e leve, pois o seu próprio raciocínio e emoção começam a elucidar os seus verdadeiros processos. Esse é você se autodescobrindo.

Amigos em cima da montanha observando o amanhecer

A aventura do autodescobrimento: chegando ao destino

Agora observe que cada vez é mais fácil pensar. Você desenterrou todos os recursos da sua mente e o seu coração avança firme em direção ao seu próprio ser. Você pode tornar sua a frase que um dia Marco Aurelio disse: “A vida de um homem é o que os seus pensamentos fazem dela”. E os seus pensamentos são reais e sinceros.

“Tudo o que somos é o resultado do que pensamos; é fundado nos nossos pensamentos e é feito dos nossos pensamentos.”
-Buda-

Graças à aventura do autodescobrimento, você vai se conhecer melhor como ser humano. A sua situação na vida, seus anseios e objetivos, o valor das suas emoções, as suas ilusões e sonhos, a sua capacidade para amar tudo o que o rodeia como a natureza, a família, os amigos, companheiros, etc.

Você já conhece os seus limites, os seus pontos fortes e os pontos fracos. Você já sabe quem é e o que quer. A aventura do autodescobrimento chegou ao seu destino, mas não se pode parar, pois esta viagem não tem retorno nem descanso. Existe sempre algo novo para encontrar, um lugar para visitar ou uma paixão por experimentar, mas você vai saber identificar tudo isso porque você se conhece e sabe o realmente procura.

Recomendados para você