A baixa tolerância à frustração – A mente é maravilhosa

A baixa tolerância à frustração

abril 8, 2015 em Psicologia 2 Compartilhados

A frustração é um sentimento de impotência, uma resposta emocional que emerge quando certos desejos e expectativas não podem ser cumpridos. Junto com a raiva, a frustração é uma das emoções humanas mais comuns. Se não aprendermos a geri-la e, eventualmente, superá-la, teremos como resultado um sentimento estável de decepção.

Não poder resolver sentimentos de frustração pode causar desmotivação e abandono de todas as metas e projetos em qualquer plano da nossa vida. Claro, a vida em si não é fácil e a capacidade de controlar os contratempos que o destino nos depara exige paciência, caso contrário, o que seria de nós se ao primeiro sinal de frustração “jogássemos a toalha”?

Por que é importante aprender a tolerar as frustrações?

Como qualquer outra emoção, a frustração tem que ser controlada e canalizada de uma forma positiva, de modo que a pessoa seja capaz de enfrentar as dificuldades e constrangimentos que o dia-a-dia lhe apresenta.

É importante lembrar que a própria frustração é um sentimento passageiro, um estado de incerteza que não nos define como pessoas. Devemos entender que passar por uma situação frustrante não significa fracasso, e que desenvolver uma tolerância à frustração envolve um processo de aprendizagem que começa desde a infância e nunca termina.

Quais são suas causas?

A baixa tolerância à frustração depende desses aspectos principais:

1) O indivíduo tem uma percepção distorcida das situações vividas, porque só vê o lado negativo das coisas.

2) A pessoa tem uma tendência a querer controlar todos os acontecimentos de sua vida, e a incapacidade de manter esse controle se reflete em um sentimento de desânimo.

3) Da mesma forma, o sujeito se sente incapaz de suportar o desconforto que implica enfrentar situações difíceis da vida.

As pessoas que aprendem a tolerar a frustração vivem com menos estresse, porque são capazes de ver qualquer problema uma oportunidade e, consequentemente, têm clareza suficiente para procurar soluções adequadas, pois não respondem com uma intensidade desproporcional diante de qualquer inconveniência.

Como lidar com a frustração

Qualquer ser humano já se sentiu frustrado em um momento ou outro, e apesar de a frustração ser uma emoção que não pode ser eliminada completamente, com um pouco de paciência, é possível aprender a controlá-la. Para isso, devemos:

• Criar consciência do tipo de sentimentos e emoções que a frustração gera em nós e analisá-los.

• Aprender a assimilar o fato de que os desejos não são necessidades que exigem resolução imediata.

Reconhecer que a perfeição não existe, e que ser absurdamente exigente consigo leva à frustração, pois paralisa a produtividade e a capacidade de ser criativo.

Controlar os impulsos negativos que são prejudiciais para as metas e estabilidade emocional do indivíduo. Lembrar-se das consequências negativas causadas pelos impulsos em situações passadas permite que a pessoa aprenda a não tomar decisões apressadas, como resultado de sua frustração.

A tolerância à frustração é uma virtude que precisa de desenvolvimento e paciência. Não há mal que não venha para o bem, e apesar de certas situações causarem desconforto no presente, a satisfação de ter superado as dificuldades, a longo prazo, será infinita.

Imagem cedida por Leland Francisco

Recomendados para você