A beleza está no interior

agosto 10, 2015

“Não sou feliz como sou. Não gosto do meu corpo. Não gosto de me ver”.

“Detesto os meus dentes, meus seios, meus quadris”. “Tenho quilos a mais.” “Desde a gravidez não recuperei a forma”.

“Nunca me aproximo dos demais”. “Tenho medo de ser julgada. “Todos os meus amigos tem namorado, menos eu…”

Parece familiar?

É o diálogo que mantemos habitualmente conosco. Essa forma de falar se transforma em uma espécie de autosabotagem que cria inseguranças, diminui a autoestima e sacrifica o amor próprio.

Agora pense: “do que você gosta em você?”. Seus olhos, seu cabelo, sua bondade, sua incondicionalidade… certamente pensará em centenas de coisas nas quais a sua alma e o seu interior são os protagonistas.

A verdadeira beleza está no interior.

Então, por que deixamos que os defeitos físicos que vemos em nós mesmos arrastem e destruam as coisas bonitas que temos?

Há uma infinidade de fatores por trás das nossas inseguranças. Nos questionamos tanto que podemos até adoecer de medo por causa delas.

Somos o que pensamos e, com essas crenças, colocamo-nos um disfarce que impede que o mundo nos veja tal e como somos. Mas há vezes que, inclusive, o resto do mundo enxerga a beleza que temos dentro de nós mesmos antes de nós.

E quando trazemos à luz os nossos complexos, o que vemos?

Só se vê bem com o coração, pois o essencial é invisível aos olhos. 

(Saint Exupèry)

O mais importante é a alma. O que está debaixo da roupa. O invisível. Isso que tem seu espaço mais além da visão a olho nu. A verdadeira beleza é a beleza interior, a única que não se estraga, a única que não se pode arrebatar e que só se pode ver quando se olha com os olhos da alma.

Essa que não se mede pelo que podemos apreciar a olho nu, pois a verdadeira beleza é uma atitude. Vivemos preocupados com as aparências, por não sermos como os convencionalismos que nos aprisionam ditam que deveríamos ser. É isso que não nos permite mostrar ao mundo o nosso esplendor.

A realidade é que não existe no planeta uma maquiagem que consiga embelezar um coração feio. Compreender isso é sumamente importante para reforçar a nossa autoestima.

A verdadeira beleza está no interior.

Um interior bonito é construído amando a vida e desfazendo-nos das ausências e dos sentimentos negativos. Constitui-se engrandecendo o nosso mundo interior, deixando-o mais extenso, eliminando a comodidade emocional e colecionando motivos próprios.

Uma atitude mental positiva cria mais milagres que uma mudança de imagem

A beleza exterior não é mais que o encanto de um instante. A aparência do corpo nem sempre é o reflexo da alma. (Geroge Sand).

Precisamos refletir sobre a importância de nos amarmos. Não é preciso fabricar a nossa beleza exterior com maquiagem e roupas da moda, porque a verdadeira beleza reside em nós mesmos.

Seja suave, não deixe que a dor lhe endureça. Acredite na sua própria beleza, uma que não pode ser definida com palavras, e cultive-se nos pequenos detalhes. O segredo está dentro de você.