4 benefícios da música na atividade física, segundo a ciência

março 10, 2020
Graças à análise de 139 estudos disponíveis, hoje podemos afirmar que um dos benefícios da música é o de melhorar a prática da atividade física, otimizando o rendimento, retardando a sensação de cansaço e tornando a prática mais agradável.

São muitos os benefícios da música. Alguns deles são mais conhecidos, mas outros passam despercebidos por estarem relacionados a situações específicas. Hoje, queremos falar sobre um desses últimos: os benefícios da música na atividade física.

Um grupo de cientistas liderado por Peter Terry estudou o efeito da música sobre o rendimento durante a prática de exercícios na Universidade de Southern Queensland, na Austrália, em colaboração com o professor Costas Karageorghis e a sua equipe.

As conclusões do estudo foram publicadas recentemente em um artigo intitulado Efeitos da música no exercício e no esporte: uma revisão meta-analítica. Nele, são apresentadas evidências contundentes sobre os benefícios da música para facilitar e tornar qualquer tipo de atividade física mais agradável.

“Quando as palavras falham, a música fala”.
-Hans Christian Andersen-

Casal fazendo exercício

O estudo sobre os benefícios da música na atividade física

Peter Terry, juntamente com Costas Karageorghis e suas respectivas equipes, analisaram 139 estudos disponíveis sobre o tema. Eles foram publicados entre 1911 e 2017, reunindo mais de um século de informação. O objetivo era fazer um resumo suficientemente completo e confiável dos benefícios da música na prática de atividade física.

Fazer exercício ouvindo música faz com que a atividade seja mais fácil e agradável. Com uma amostra de dados muito ampla, envolvendo milhares de participantes, os pesquisadores determinaram que, em primeiro lugar, a música proporciona um benefício fisiológico. Em segundo lugar, tem um efeito “ergogênico”, ou seja, promove uma melhora do rendimento.

Isso se traduz em outros diversos benefícios, sobre os quais falaremos a seguir.

1. Proporciona um humor mais positivo

Uma das descobertas dos pesquisadores é de que a música aumenta o bom humor durante a prática de atividade física. Ela exerce um efeito dissociativo: ajuda a pessoa a se abstrair da situação presente e evocar situações relevantes e significativas do passado, ou sonhos para o futuro.

Isso acontece ao ouvir as músicas de listas de reprodução pessoais. Ou seja, não basta apenas ter acesso a alguma melodia; o efeito é observado principalmente quando a pessoa ouve as canções que fazem parte das suas preferências pessoais.

2. Melhora o rendimento físico

A melhora do rendimento físico é o que é conhecido como “efeito ergogênico”. Ele corresponde ao aumento espontâneo da produção no exercício. Ou seja, se normalmente você faz 30 abdominais, se estiver ouvindo música, vai conseguir fazer mais alguns com a mesma percepção de esforço.

Isso se aplica basicamente aos exercícios repetitivos de tipo aeróbico. O efeito ocorre quando a pessoa consegue sincronizar a atividade com o ritmo da melodia. Os pesquisadores destacaram que a música pode ser uma boa referência para manter um ritmo constante em exercícios como o afundo, por exemplo.

3. Diminui a percepção de esforço

Outros dos benefícios mais interessantes da música envolve o fato de que ela modifica a percepção do esforço que estamos realizando. Em outras palavras, nos ajuda a sentir que o exercício é menos difícil e árduo. Isso significa que diminui notavelmente a sensação de sacrifício ou sofrimento ao fazer atividade física.

Outra pesquisa realizada na Universidade de Jyväskylä, na Finlândia, comprovou que, em geral, as músicas mais animadas e dançantes reduzem a sensação de esforço percebido. Além disso, esse efeito se potencializa quando ouvimos canções associadas com as nossas experiências pessoais.

Mulher se exercitando

4. Melhora a eficiência fisiológica

Terry e Karageorghis comprovaram que fazer exercício ouvindo música proporciona um aumento da eficiência fisiológica. Isso quer dizer que ocorre uma otimização do uso do oxigênio de que dispomos. Portanto, a atividade física aumenta o fluxo sanguíneo, mas reduz a quantidade de oxigênio necessário para corresponder a este aumento.

Tudo indica que o bom humor e a união do corpo com os diferentes ritmos faz com que a respiração se torne mais harmônica e, por isso, conseguimos melhorá-la. Em última instância, isso faz com que a fadiga demore mais para nos vencer.

É fato que a música exerce um efeito muito interessante em nosso cérebro. A novidade é que este estudo permite ver até que ponto ela pode nos ajudar a realizar atividades que, a princípio, seriam árduas para nós. Assim, a música se transforma em uma grande aliada para tirar o maior proveito possível dos exercícios físicos.

Valdayo, Á. C. (2017). La influencia de la música y el ejercicio físico en la preparación física y psicológica. Revista de Educación, Motricidad e Investigación, (6), 3-18.