Biografia de Sofya Kovalevskaya: uma matemática ousada

abril 1, 2020
Sofya Kovalevskaya foi uma mulher muito particular que fez importantes contribuições para a matemática e a física. Ela também foi uma escritora e deixou uma obra autobiográfica chamada "Mulher Niilista", além de uma peça de teatro. Uma mulher à frente de seu tempo, uma verdadeira pioneira.

Conheça a biografia de Sofya Kovalevskaya, uma mulher notável tanto pelas suas contribuições para os campos da matemática e da física, quanto pela sua impressionante tenacidade. Nasceu em uma época em que as mulheres tinham as portas da educação fechadas e não podiam sequer exercer o direito de viajar sem a permissão do pai ou do marido.

O mais interessante da vida de Sofya Kovalevskaya é precisamente a maneira como ela conseguiu superar todos os limites impostos a ela pela sociedade e realizar seus sonhos e projetos. Ela foi a primeira mulher a concluir uma formação universitária no mundo. Também foi a primeira professora universitária reconhecida em todo o mundo.

“É impossível ser matemático sem ter alma de poeta […] O poeta deve ser capaz de ver o que os outros não veem, deve ver mais profundamente do que as outras pessoas. E o matemático deve fazer o mesmo”.
-Sofya Kovalevskaya-

Sem querer, Kovalevskaya se tornou uma figura pioneira do feminismo. Ela demonstrou que a determinação é uma força imparável que, às vezes, ajuda as pessoas a alcançar o que parece impossível.

Sofya Kovalevskaya, além de uma importante carreira no campo científico, também se aventurou no mundo da escrita. Ela se dedicou à poesia, à divulgação científica e fez contribuições em astronomia.

Livro aberto com páginas em branco

A infância de Sofya Kovalevskaya

Sofya Kovalevskaya nasceu em uma família muito particular. Pelo lado materno, ela era descendente do rei da Hungria, Matías Corvino. No entanto, seu avô se casou com uma cigana, contrariando as normas reais. Como resultado, negaram-lhe o título de príncipe ao qual ele tinha direito.

Pelo lado paterno, ela teve vários parentes famosos entre seus ancestrais poloneses, como o cartógrafo Friedrich Schubert e o astrônomo Theodor von Schubert.

Sofya nasceu em 15 de janeiro de 1850 em Moscou, na Rússia. Sua irmã mais velha era a famosa socialista Anna Jaclard. Quando ela era bem jovem, mudou-se para a Bielorrússia com sua família, para um ambiente altamente influenciado pela ciência e pelo conhecimento. Dois de seus tios, e em alguns momentos seu pai, incutiram nela um grande amor pela leitura e pela pesquisa.

Ao chegarem na Bielorrússia, a família percebeu que em uma parede do quarto de Sofya faltavam pedaços do papel de parede. Portanto, eles decidiram resolver o problema retirando as páginas de um livro qualquer e colando-as para cobrir os espaços vazios. Por acaso, era um livro de cálculo diferencial. A menina começou a olhar e ler as páginas com surpresa e interesse.

Uma garota brilhante

Embora o pai tenha contratado professores particulares para lhe dar os primeiros ensinamentos, ele ficou com medo ao ver o progresso de Sofya. Ele tinha pavor de “mulheres inteligentes”. Então, ele interrompeu sua educação. No entanto, a jovem continuou estudando por conta própria e até conseguiu aprender e deduzir vários assuntos de álgebra.

O famoso escritor Fiódor Dostoiévski cortejou sua irmã, embora Sofya estivesse totalmente apaixonada por ele. Ele foi o seu amor impossível.

Tanto Sofya quanto sua irmã sabiam que a única maneira de obter alguma liberdade era se casando. Naquela época, muitas mulheres concordavam em ter um casamento por conveniência.

Era comum entrar em um acordo com alguém para fazer um casamento formal, e então cada um poderia viver em completa liberdade. Anna, a irmã mais velha Sofya, explorou essa opção com o paleontólogo Vladimir Kovalevski. No entanto, ele preferiu se casar com Sofya, que tinha apenas 18 anos.

Teoremas matemáticos

Biografia de Sofya Kovalevskaya, uma mulher única

Como esperado, o casamento proporcionou novas oportunidades a Sofya Kovalevskaya. Eles primeiro se mudaram para Heidelberg e depois para Berlim.

Lá, ela conheceu o famoso matemático e analista Karl Weierstrass, que a princípio não acreditava no talento de Sofya. Quando ele se deu conta da sua paixão e inteligência, pediu que ela fosse aceita na universidade como estudante. A universidade recusou, então ele decidiu dar aulas particulares a ela.

Graças ao apoio de Weierstrass, Sofya conseguiu se formar como médica. Ele fez com que ela pudesse apresentar sua tese sem estar fisicamente presente. A partir daí, ela iniciou uma longa jornada para conseguir um emprego que lhe permitisse desenvolver seu talento.

Cerca de dez anos após formar, seu amigo Gustav Mittag-Leffler a ajudou a ser contratada como professora na Universidade de Estocolmo.

Naquela época, Sofya tinha uma filha e seu marido havia se suicidado. Seu status de viúva foi um fator que contribuiu para diminuir a resistência a ser contratada.

Ao longo de sua vida, ela recebeu vários prêmios. Foi a primeira mulher a fazer parte da Academia Russa de Ciências. Morreu cedo, aos 41 anos, como resultado de uma pneumonia. Uma das crateras da lua leva seu nome, em homenagem às suas grandes contribuições.

Analisando a biografia de Sofya Kovalevskaya, vemos que ela foi uma das muitas figuras femininas brilhantes que a história tentou ocultar. Ela mal é mencionada nas escolas, mas sua trajetória é igualmente notável e até mais impressionante do que a de alguns de seus contemporâneos.

Ela foi uma daquelas mentes incríveis que, independentemente do sexo, florescem de tempos em tempos na história da humanidade.

Kovalevskaya, S. (2001). Vida y obra matemática de Sofía Kovalevskaia (Vol. 4). Anthropos Editorial.