Bloqueio criativo: 5 chaves para superá-lo

· agosto 13, 2018

Todos nós já experimentamos a sensação que resulta de um bloqueio criativo. Esta paralisia costuma surgir devido a diferentes fatores: estresse, presença de inseguranças ou medos, autoexigência exagerada, etc. Além disso, o mais comum é que esses fatores se combinem, aumentando o efeito que teriam se fossem apresentados de forma única.

Diante desse tipo de situação, o melhor é não ficar obcecado com ela, já que uma pressão excessiva só agravará a situação. Além disso, a solução para o problema pode ser encontrada na sua origem.

Homem enfrentando bloqueio criativo

Descubra a origem do bloqueio criativo

Um bloqueio criativo pode ocorrer por vários motivos. Antes de tentar encontrar uma solução, é melhor analisar a situação em que estamos para conhecermos as circunstâncias que nos bloquearam. As principais causas de um bloqueio criativo são:

  • Estresse: é muito difícil ser criativo em situações de estresse. Portanto, uma fase complicada no trabalho ou em nossas vidas pessoais podem ser a origem de um bloqueio criativo.
  • Insegurança: este é outro motivo que pode levar a um bloqueio criativo, a sentir dúvidas sobre nossas próprias ideias e habilidades.
  • Autoexigência: quando nada do que fazemos parece ser bom o suficiente, é comum nos tornarmos obcecados em melhorar a ponto de não conseguirmos desenvolver novas ideias.
  • Cansaço: a falta de sono pode fazer com que nosso cérebro não funcione adequadamente, impedindo que nos apresentemos no ritmo habitual.

Chaves para sair de um bloqueio criativo

Uma vez identificado o problema que o levou ao bloqueio criativo, coloque em prática algumas dessas soluções:

1. Assegure as suas necessidades básicas

O que pode parecer óbvio, não é tanto quando estamos obstinados a encontrar uma solução que não chega. Esquecemos que há uma semana não tomamos banho e que as moscas que nos cercam não são apenas produto do calor. Assegurar as nossas necessidades básicas nos fará sentir mais confortáveis ​​e satisfeitos, para depois começarmos a criar.

2. Relaxe e divirta-se

Assim como o corpo deve estar descansado e saudável, uma atitude alegre e otimista ajudará a criatividade a fluir. A boa notícia é que essa atitude é baseada em hábitos e pode ser treinada. Veja qual é a expressão do seu rosto e troque por um sorriso. Sorria o quanto puder ao longo do dia, até acabar sorrindo sem perceber.

Tente relaxar e dedicar um tempo aos seus hobbies. Quando chegar o momento de se dedicar profissionalmente a criar, você precisará de uma rota de fuga. A melhor maneira de não ficarmos obcecados com a nossa falta de criatividade quando estamos bloqueados é desconectar e fazer outras coisas que nos distraiam.

Mulher tentando superar o bloqueio criativo

3. Leia, consuma conteúdos em vez de tentar criá-los

A leitura é uma ótima maneira de enriquecer e aprender. Portanto, se você estiver passando por uma fase de bloqueio criativo, a leitura de um livro pode ajudar a distraí-lo e a obter novas ideias para aplicar no seu trabalho. A análise de pinturas seria útil para pintores, de esculturas para escultores ou de programas de rádio para locutores. A inspiração, em muitos casos, surge de uma boa dose de conhecimento.

4. Pratique a escrita terapêutica

Existe uma forma de escrita automática que pode ajudá-lo em determinadas situações. Falamos de escrever como uma forma de desabafar, uma maneira de dar voz ao seu diálogo interno. Uma escrita automática da verdade, não com o propósito de escrever para alguém. Não importa se é legível, o estilo ou a forma: escreva sobre os seus medos, raivas, ódios, cansaços, raivas, frustrações, etc.

Comece a escrever as primeiras palavras que lhe ocorrerem, o que está machucando-o por dentro. Coloque tudo no papel sem se preocupar com o estilo ou qualidade literária. Na verdade, a melhor coisa que você pode fazer quando terminar de escrever é ler tudo com muito cuidado. Analise para tentar entender melhor o que está acontecendo dentro da sua mente, e depois destrua o papel. Queimá-lo pode ser um ato simbólico: apagar tudo para começar de novo.

5. Saia da sua zona de conforto

Se houver um estilo ou um gênero em que você se sinta confortável e esteja acostumado a trabalhar, tente deixar essa rotina de lado e saia do piloto automático. Experimente novas opções: se você escreve, escreva algo diferente, ou uma história de detetives, ou algo para crianças, etc. Algo que seja muito diferente do que você costuma fazer.

Se você fizer isso, o seu cérebro poderá dizer: “Eu não gosto disso, não me sinto confortável. Vou me comportar como sempre se você voltar ao nosso estilo habitual”. Por outro lado, o que você aprende fora da sua zona de conforto pode inspirá-lo a gerar novos conteúdos na sua área de atuação.