Bokuden, uma bela história oriental

Essa bela história oriental fala sobre o grande mestre Bokuden, um dos maiores espadachins do Japão. Ele tinha três filhos e um dia quis comprovar se todos eles haviam captado seus grandes ensinamentos ou não.
Bokuden, uma bela história oriental

Última atualização: 19 agosto, 2020

Essa bela história oriental fala sobre Tsukahara Bokuden, um lendário mestre da espada do século XVI no Japão. Era um praticante das artes marciais e se tornou muito famoso por seu talento para o combate, mas principalmente por sua sabedoria.

Contam que Bokuden tinha três filhos e quis testá-los. Desejava saber quão cautelosos e evoluídos eles eram. Para verificar, colocou um apoio de cabeça sobre a porta e a deixou entreaberta. Em seguida, chamou com muita urgência seu filho mais velho, Hikoshiro.

 “Ninguém testa a profundidade do rio com ambos os pés”.
-Provérbio-

O filho mais velho era um jovem muito querido por todos. Tinha uma personalidade doce e fama de homem cauteloso. Essa história oriental conta que quando seu pai o chamou, ele chegou à porta entreaberta e a empurrou levemente. Notou que ela estava mais pesada e supôs que algo havia mudado.

Com precaução, começou a tatear o extremo superior da porta. Assim, descobriu que ali estava o apoio de cabeça e o retirou com cuidado. Bokuden se sentiu satisfeito e simplesmente lhe disso algo casual. Em seguida, o filho mais velho saiu do quarto, deixando o apoio de cabeça como o havia encontrado.

Uma história oriental

Reações diferentes

Alguns dias se passaram e Bokuden quis realizar o mesmo teste com seu segundo filho, que se chamava Hikogoro. Diz a história oriental que esse filho era bastante conhecido por sua grande agilidade e destreza. Não era cauteloso, como seu irmão mais velho, porque tinha muita confiança em suas habilidades.

O pai chamou Hikogoro e este rapidamente se levantou e se dirigiu até a porta. Sem pensar duas vezes, a empurrou para entrar rapidamente no quarto. O apoio de cabeça caiu, mas o rapaz era tão ágil que o pegou no ar. Em seguida, o colocou novamente em seu lugar. Bokuden ficou pensativo.

Havia chegado o momento de testar seu filho mais novo, Hikoroku. Este era o mais impulsivo de todos, mas também o mais alegre e amoroso. Bokuden o amava muito, mas temia que não tivesse capacidade de passar no teste. E tinha razão. O pai chamou seu filho mais novo, assim como havia feito com seus irmãos.

Hikoroku saiu apressadamente e empurrou a porta com muita energia. O apoio de cabeça caiu e chegou a bater em seu chomnage, o coque tradicional do Japão. Conta a história oriental que quando o rapaz sentiu o golpe, desembainhou sua espada e partiu em dois o objeto, antes que caísse no chão. Em seguida riu e parecia se sentir orgulhoso da sua reação.

Uma lembrança na história oriental

De acordo com essa bela história oriental, Bokuden ficou preocupado com a reação do filho mais novo. Ele pensou que uma pessoa tão impulsiva só traria desgraça e ruína para sua casa. A tradição dizia que ele deveria repudiá-lo, já que seu comportamento só mostrava falta de consciência e sabedoria.

Bokuden, no entanto, chamou todos os seus filhos e lhes contou sobre um acontecimento que ele mesmo havia vivido anos atrás. Ele tinha um aluno que considerava ser o mais hábil de todos os seus aprendizes. De mente e corpo velozes, ele estava acostumado a ganhar em todos os combates.

Aconteceu que, em uma tarde, esse aprendiz estava passeando por uma das ruas da aldeia e passou ao lado de um cavalo bastante nervoso. O animal estava tão inquieto que, quando sentiu a presença do discípulo, deu um coice. No entanto, o aluno era tão hábil que fez um movimento felino e se esquivou do golpe. Aqueles que passavam na rua o aplaudiram.

Samurais na guerra

Uma bela moral

Nessa mesma tarde, o qualificado aluno foi até Bokuden e contou a ele o que havia acontecido, com um certo orgulho. Bokuden o escutou atentamente, mas, assim que o aprendiz terminou o relato, ele o expulsou de suas aulas. Disse que não queria mais voltar a vê-lo. Todos os outros ficaram surpresos. Como ele não valorizava a habilidosa ação de seu aluno?

Os três filhos de Bokuden escutaram a história com muita atenção. O filho mais velho ficou em silêncio e parecia refletir. O do meio parecia intrigado. E o filho mais novo parecia estar confuso e inquieto. “Por que você dispensou um homem tão hábil?… Por acaso temia que ele tomasse seu lugar?, perguntou o rapaz.

Segundo a história oriental, Bokuden respondeu: “Um homem que não é capaz de prever os perigos, mas somente reagir a eles, não merece ser meu discípulo. Se fosse alguém sábio, nunca teria passado ao lado do cavalo”. Os três filhos ficaram em silêncio. O filho do meio e o mais novo compreenderam a mensagem e, sem que o pai lhes pedisse, saíram de cabeça baixa.

Pode interessar a você...
O mago e suas ovelhas, um inspirador conto oriental
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
O mago e suas ovelhas, um inspirador conto oriental

Esse inspirador conto oriental fala de três homens do bem que viviam com suas famílias em uma região em que a água era escassa.



  • Cleary, T. (Ed.). (1995). Antología Zen: Cien historias de iluminación (Vol. 17). Edaf.