Buscar o amor consiste em encontrar a si mesma

· dezembro 2, 2016

Muitas mulheres procuram o amor em suas vidas, mas ignoram o fato de que o amor é encontrado quando amamos primeiro a nós mesmas. Buscar o amor implica encontrar primeiro a si mesma. Boa parte do livro ‘Hambre de Amor’ (Fome de Amor), de Ana Moreno (Obelisco, 2016), gira em torno dessa questão, e é sobre esta e outras ideias relacionadas que iremos falar a seguir.

Pergunto a você, de mulher para mulher: por que você precisa ter um parceiro? Para completar uma parte que você sente que falta, para completar um vazio interior, porque você tem medo de ficar sozinha? Porque sozinha você se sente indefesa? Se ainda não descobriu isso, vou lhe dizer uma coisa: ter um parceiro não vai solucionar nenhum destes problemas, irá apenas piorá-los.

Criar uma relação assim, a partir da codependência, só conduz ao fracasso sentimental. Apenas com uma relação consciente é possível ter uma vida romântica saudável.

O verdadeiro amor nasce dentro de si

Nós mulheres precisamos nos sentir amadas, mas o verdadeiro amor nasce dentro de nós mesmas. Uma mulher que ama a si mesma irradia amor e consegue amor. Pense que você não pode atrair à sua vida algo que você não tem.

mulher-flor-no-casaco

Se você não sente que é amor, irá acreditar que precisa que outra pessoa a complete, mas nessa necessidade de completar a si mesma você irá tentar possuir o outro, porque sente que, sem ele, você não é nada. Esta é uma forma egoísta de agir. E amor e egoísmo não são conceitos compatíveis.

Outra coisa ainda mais importante é perceber que, da mesma forma que você não pode atrair amor se não tiver amor, o que você irá atrair é o mesmo que terá a oferecer. Se você se esforça para parecer ser o que não é, você irá encontrar uma pessoa que não é autêntica. Se não mostrar amor verdadeiro e respeito por si mesma, você irá encontrar alguém que não só não se ama e não se respeita, como também não irá amá-la e respeitá-la.

Nunca é tarde demais para encontrar a si mesma

Tanto se ainda não tiver encontrado um parceiro quanto se não estiver satisfeita com a relação que tem, nunca é tarde demais para encontrar a si mesma, para começar a cultivar o amor a partir de dentro, ao invés de ir atrás dele. Para Ana Moreno é tão simples como agir com amor, com honestidade e apreço, compartilhando-o com os demais, dando amor a você mesma e aos demais.

A melhor parte desta forma de entender o amor é que você não precisa de ninguém para se sentir plena, você não depende de ir atrás do amor, de como os outros a enxergam ou de como eles reagem em função das suas necessidades ou dependências. Tudo isso envolve a realização de um importante exercício de autoestima, de superação pessoal e de busca de valores próprios, porque você só pode se amar quando souber quem você é.

Você não precisa que ninguém a complete

Você é suficiente, não precisa que ninguém a complete. Seu parceiro pode ajudá-la a ser melhor do que é, a trazer à tona o melhor que há em você. Juntos vocês podem colocar em prática um projeto de vida em comum, podem crescer juntos. Mas se você depende do seu parceiro e/ou o seu parceiro depende de você, vocês estão condenados a arrastar um ao outro para baixo.

cadeado-amor

O amor não chegará à sua vida a partir das mãos de ninguém, você o irá atrair quando ele nascer dentro de si mesma.

Conhecer-se o suficiente para criar amor na sua vida irá evitar que você gaste esforços em situações tão inúteis como viver tentando agradar aos outros ou agir em função dos desejos e aspirações dos outros. Se a sua prioridade é fazer a outra pessoa feliz, no fim você se sentirá ainda mais vazia e incompleta.