Quando amar demais significa depender de alguém

Quando amar demais significa depender

28, novembro 2016 em Psicologia 2096 Compartilhados
Quando amar demais significa depender

A palavra ‘depender’ refere-se a estar sujeito a certas condições, limitações ou restrições impostas a nós pelo nosso ambiente. Por exemplo, para estarmos vivos dependemos de alimentos disponíveis, bebidas, sono adequado, respiração, etc.

Neste sentido estamos falando de necessidades básicas, sem as quais ninguém poderia sobreviver. É totalmente razoável e benéfico perceber que precisamos e dependemos de certas coisas para nos mantermos vivos.

Por outro lado, temos as necessidades relativas das quais não dependemos, mas são preferências que tornam a vida um pouco melhor. No entanto, mesmo sem elas, poderíamos continuar vivendo a nossa vida de maneira normal.
Compartilhar

Por exemplo, se eu quiser pregar um prego na parede, seria tolice dizer que não posso fazer isto sem um martelo. Eu posso pregá-lo com outro instrumento, como por exemplo, uma pedra pesada. O martelo é uma necessidade relativa, embora seja mais prático e cômodo do que uma pedra.

Compreendida esta diferença, é fácil de extrapolar para o plano psicológico, especialmente no que se refere ao amor. Nós acreditamos que precisamos de amor para sermos felizes ou sobrevivermos. Alguns estudos realizados demonstram que não podemos dizer que a felicidade ou a falta dela na vida das pessoas deve-se a ter ou não um amor.

dependencia-amor

Se pensarmos que precisamos de amor em nossas vidas, e principalmente do amor de alguém em particular, acabamos dependendo dessa pessoa como se nossas vidas não pudessem prosseguir normalmente se ela não estiver conosco. Depender significa se acorrentar.

Como posso saber se eu amo ou dependo?

Há certas pistas que podem ajudá-lo a perceber se você está caindo nas garras da dependência emocional:

Você permite que a outra pessoa o trate mal

Você idealizou tanto o seu parceiro que acredita que no amor com essa pessoa em particular “vale tudo”. Não tem problema se alguma vez ela tratá-lo mal ou faltar com o respeito; com o tempo ela mudará. No fundo do seu ser, você sabe que ela não vai mudar, que isto lhe causa sofrimento, mas tem muito medo de acabar com este relacionamento e prefere suportar o insuportável.

Você fica ansioso se essa pessoa não está por perto

Esta pessoa se transformou em uma necessidade, você sente medo de que ela não esteja constantemente do seu lado, porque isto significa que você pode perdê-la se não controlar onde está e o que está fazendo. É como estar morto de sede e não encontrar água para beber, mas com a diferença de que a água é uma necessidade real.

Você sente que a vida não teria sentido se ela não estivesse do seu lado

Imaginar um futuro sem essa pessoa provoca pavor. Você acredita que sem essa pessoa não poderia estar feliz, não poderia aproveitar a vida, que ficaria sozinho, etc. Todos esses pensamentos são produto da crença de que precisamos do amor para viver. No entanto, depender do outro não é uma boa opção.

dependencia-casal

Você deixa de ser você mesmo quando está nesse relacionamento

Você não pratica mais as atividades que gostava, não faz planos e se afastou dos seus amigos. Agora, você prefere as atividades que o seu parceiro gosta e até mesmo se interessa por coisas que nunca imaginou que pudessem despertar o seu interesse. Em suma, você não é mais a pessoa autêntica que era antes, mas se tornou uma cópia do seu parceiro. Isso, no fundo, faz você se sentir vazio.

Algumas chaves para se tornar independente

Se você se identificou com esta situação e deseja sair da “gaiola em que você mesmo se meteu”, precisa enfrentar o medo da solidão ou da falta de amor. A chave para se tornar independente está dentro do seu bolso. Use-a!

  • Modifique os pensamentos românticos: o romance é agradável e divertido em doses normais. Quando não conseguimos controlá-lo, podemos pensar coisas tão falsas como “sem você não valho nada”, “sem você eu morro”, “sua ausência me machuca”, etc. Estas ideias, inculcadas pela nossa cultura, nos tornam ansiosos diante da percepção constante de uma ameaça de perda.
  • Ninguém é propriedade de ninguém: dizemos “meu namorado”, “meu parceiro”, “meu marido”. Na verdade esse “meu” nada mais é do que um recurso comunicativo, porque na realidade essa pessoa é livre, ela não nos pertence. Ela faz parte da nossa vida porque quer, mas pode ir embora quando desejar, queiramos ou não. Portanto, desapegue e entenda que, mesmo sendo o seu parceiro nesse momento e compartilhando a vida de uma certa maneira, um dia tudo pode se acabar e você sobreviverá.

mulher-borboletas

  • Reflita sobre as suas crenças: Por que é necessário ter o amor dessa pessoa? O que você faz com esse amor? Esse amor traz satisfação e bem-estar ou vai mais além? Onde está escrito que eu preciso do meu parceiro para ser feliz?
  • Mude o seu comportamento: depois de modificar esses pensamentos e crenças negativas, você precisa colocá-los em prática a nível comportamental. Deixe de controlar o seu parceiro e pare de lhe dar explicações desnecessárias.

Aproveite a companhia do seu parceiro, mas também a sua própria companhia, tanto com as outras pessoas quanto sozinho. Faça o que gosta de fazer e não o que deve fazer porque você tem um parceiro. Se ele aceitar a sua mudança, será maravilhoso. No entanto, se não aceitar, saia correndo! Essa pessoa não é digna de você. Não é preciso depender de alguém para ser feliz.

Recomendados para você