Como aliviar a dor da decepção?

Sofrer uma decepção pode nos levar a nos isolar e desconfiar do mundo. No entanto, mais cedo ou mais tarde, devemos aprender a nos abrir novamente.
Como aliviar a dor da decepção?

Última atualização: 19 março, 2022

Todos nós já confiamos em alguém que acabou nos machucando. Depois deste episódio, certamente dissemos que nunca mais “voltaríamos a cair” no mesmo jogo e que ficaríamos cheios de desconfiança. Aprender como aliviar a dor da decepção é algo que pode nos ajudar.

Seja qual for o caso, o normal é que a decepção profunda nos deixe com uma ferida também profunda, que levará tempo para cicatrizar. Um dano que muitas vezes tem a ver com a confiança, uma das coisas mais difíceis de restaurar.

Depois de passar por uma decepção, seremos obrigados a lidar com uma série de sentimentos negativos; porém, não teremos outra escolha a não ser olhar para eles e aceitá-los se quisermos seguir adiante. Permitir-se sentir e expressar essas emoções será fundamental, assim como obter um aprendizado valioso por meio dessa experiência. Porém, antes de tudo, teremos que aprender a confiar novamente.

Proteger-nos da dor da decepção, o efeito capa de chuva

Depois de uma decepção, geralmente fechamos as portas para novas experiências por medo de sofrer novamente, de sentir essa profunda dor da decepção. É por isso que muitas pessoas preferem ou optam por não se apegar a alguém pensando que, dessa forma, vão minimizar o risco de se machucarem novamente.

Os psicólogos chamam essa escolha de “efeito capa de chuva“. Pode acontecer quando demos o melhor de nós ao nosso parceiro e ele nos traiu com outra pessoa, quando somos completamente honestos com um amigo e ele nos apunhala pelas costas ou quando sofremos o abandono de nossos pais ou familiares. Infelizmente, ainda que não tenha sido por causa de uma dessas três situações, você certamente já experimentou esse sentimento. 

Mulher com dor da decepção olhando para o mar

Há um ditado popular que diz que “gato escaldado, tem medo de água fria”. Algo semelhante pode ser aplicado a esse efeito de capa de chuva. Fazendo uma comparação, ser escaldado seria uma decepção e a água fria, uma pessoa. Ou seja, isso significa que mesmo que não tenha sido a água fria aquela que nos escaldou, a nossa ferida ainda nos fará sofrer e lembrar desse fato doloroso.

Mas deixando os ditados populares de lado, é bom entender do que se trata esse “efeito capa de chuva”. No momento em que nos relacionamos com alguém, as expectativas vão se formando e aumentando. Isso nos leva a começar a fazer previsões sobre o comportamento, os pensamentos e os sentimentos dessa pessoa no futuro.

De tudo o que esperamos, uma parte pode se basear no que já sabemos porque vivenciamos com a pessoa. Enquanto isso, outra parte pode se basear no que ouvimos sobre ela. E, finalmente, uma outra parte pode simplesmente se basear na nossa idealização ou nos nossos desejos, no fato de misturarmos os nossos desejos com a realidade.

Quando as expectativas são muito altas ou quando a pessoa não cumpre com suas “obrigações implícitas”, nós nos sentimos desapontados, frustrados, tristes e até mesmo irritados, como resultado da profunda dor da decepção. No entanto, é preciso tentar evitar que essas expectativas nos machuquem, ou melhor, devemos nos adaptar ao que a realidade está nos oferecendo e a essa pessoa.

Porém, nem sempre a decepção se deve à nossa ideia de parceiro, amigo ou colega “perfeito”. Afinal, a decepção também ocorre quando a outra pessoa se porta muito mal conosco e faz coisas que nos fazem sofrer. Nesse momento, surgem outros sentimentos, tais como rancor e raiva, além dos já mencionados acima (frustração, tristeza, decepção e irritação).

mulher com lágrima

E o que acontece depois? Ainda que não esteja chovendo, colocamos uma capa de chuva para não nos molharmos. Ou seja, isso significa que, quando uma nova pessoa aparece em nossas vidas, sentimos medo de sofrer e não nos abrimos o suficiente para deixá-la entrar, pois temos a intenção de nos proteger da dor de futuras decepções.

Algumas pessoas podem até mesmo dizer que, mais do que uma capa de chuva, estão usando armaduras como as usadas pelos cavaleiros da Idade Média. Tudo depende do quanto a pessoa sofreu e do tamanho da dificuldade para superar essa situação e tudo o que foi vivido.

Os perigos do efeito capa de chuva

Dentro dessa capa, sentimos que estamos seguros, como se nada de ruim pudesse nos acontecer. No entanto, também estaremos perdendo a possibilidade de experimentar outros sentimentos. Se colocarmos uma capa de chuva e não chover, não poderemos aproveitar os raios do sol na nossa pele, por exemplo.

Além disso, ao nos protegermos demais com essa capa impermeável, não conseguiremos crescer como pessoas. É verdade que, diante de uma decepção ou quando somos enganados, no início, não temos vontade de conhecer pessoas novas ou de sair de casa. Porém, aos poucos, é necessário superar essa fase.

Não conseguiremos nada de positivo se nos fecharmos e não permitirmos que ninguém “entre no nosso refúgio”

Mulher chorando com sua alma abraçando seu parceiro

Outra consequência de fechar a sete chaves as portas e janelas da nossa casa (coração) é que as pessoas ao nosso redor começarão a se afastar de nós. Então, vamos pensar que elas nos abandonaram ou que são todas ruins. Porém, será a nossa própria barreira que levará para bem longe aqueles que realmente importam para nós e que se preocupam tanto conosco.

Ninguém está dizendo que é fácil superar uma decepção, ainda mais se for uma decepção amorosa. Porém, é preciso começar a tirar a capa de chuva se não estiver caindo uma tempestade para, dessa forma, poder aproveitar a brisa e o sol do meio-dia.

Atreva-se a cantar na chuva e pular nas poças!

Pode interessar a você...
Quem muito espera se decepciona
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Quem muito espera se decepciona

Dizem que quem muito espera se decepciona e que quem nada espera se surpreende. Entretanto, é verdadeiramente difícil não esperar nada de ninguém…



  • Rachman, S. (2010). Betrayal: A psychological analysis. Behaviour Research and Therapy48(4), 304-311.
  • Verdesoto, J. R., Villacís, M. V., & Franco, X. E. (2019). Impacto emocional de la infidelidad en las relaciones de pareja. Importancia de su conocimiento para el psicólogo clínico. Opuntia Brava11(4), 349-361.