Como ganhar autonomia em seus relacionamentos

junho 16, 2019
A solução para a dependência emocional em uma relação é ganhar autonomia pessoal na mesma. Embora não seja fácil fazer isso, compartilhamos algumas dicas para conseguir.

Combater a dependência emocional não é fácil, mas também não é impossível. Quebrar as correntes que nos ligam a outra pessoa, estabelecer limites e procurar atividades e momentos próprios são estratégias que nos ajudarão a ganhar autonomia nos relacionamentos.

É importante saber que durante os primeiros meses de um relacionamento, é normal contar os minutos para ver a outra pessoa e desejar passar o maior tempo possível com ela. Isso desaparece quando a fase da paixão começa a se desvanecer para dar origem a um amor maduro.

O problema ocorre quando o desejo de estar com o outro se torna uma necessidade e o fato de estar sozinho ou fazer qualquer plano sem a outra pessoa se torna um incômodo. Neste tipo de situação, a dependência emocional aparece em cena.

É quando começamos a deixar de sermos nós mesmos para satisfazer os desejos e expectativas de outra pessoa. Nós nos acorrentamos a ela e ao relacionamento e, finalmente, nos tornamos invisíveis… O que fazer para lutar contra isso?

Autonomia nos relacionamentos

Fazer atividades diferentes para ganhar autonomia nos relacionamentos

Por mais que concordemos com nosso parceiro em um grande número de aspectos, inevitavelmente outros serão totalmente diferentes e causarão desacordo.

Não é possível concordar em absolutamente tudo: talvez adoremos caminhar e nosso parceiro não; talvez nos sintamos motivados por esportes de força e ela prefira os aeróbicos…

O importante é que essas diferenças devem ser respeitadas, porque ser um casal não significa sacrificar nossa independência, nossos gostos e hobbies ou nossas opiniões, e muito menos estarmos juntos o tempo todo.

Um relacionamento é muito mais do que ser iguais e coincidentes, é sobre conectar, respeitar, aceitar e crescer juntos.

No entanto, para as pessoas que sofrem de dependência emocional, o medo do abandono e da perda de outra pessoa podem levá-la a limitar suas atividades e, em última análise, a limitar seu mundo inteiro.

O ponto é que isso, que a princípio parece inofensivo, afeta negativamente a autoestima. Por isso, recomenda-se não abandonar o que se aprecia e em que a outra pessoa não esteja envolvida.

Além disso, ter esse espaço íntimo e pessoal também ajuda a combater uma das crenças que são mais prevalentes no amor romântico: ganhar autonomia na relação não significa amar menos, mas atender a si mesmo e cultivar o que nos faz vibrar, sem depender de outra pessoa para fazer isso.

Distinguir entre amigos com e sem parceiro

Às vezes, quando temos um relacionamento, encontramos outras pessoas comprometidas com as quais temos uma amizade. Isso é muito positivo e enriquecedor; mas o que acontece com as amizades que são solteiras e que colocamos de lado quando encontramos nosso parceiro?

Muitas pessoas deixam seus amigos porque não querem deixar o parceiro, especialmente aqueles que vivenciam a dependência emocional. O problema é que isso não é muito saudável.

Se pensarmos a longo prazo, veremos que essa atitude pode ter consequências muito negativas: não nos importamos mais com aquele amigo que sempre esteve ao nosso lado? Ele realmente fez alguma coisa para nós? O que acontecerá se o relacionamento terminar?

Pensar que o fim pode chegar é difícil, mas as probabilidades existem. Não temos garantia de que o que temos com a outra pessoa durará para sempre – outra das crenças do amor romântico. Portanto, não cuidar de nossas amizades pode nos fazer ficar sozinhos e sem apoio.

É sempre gratificante contar com pessoas que estão lá, não importa o que aconteça, que gostem da nossa companhia e que compartilhem experiências. O que não é aceitável é só estar disponível para elas quando não temos um parceiro.

As pessoas com dependência emocional precisam ganhar autonomia para perceber que existe vida além do parceiro. Embora coloquem tudo ao lado deles, às vezes o relacionamento pode ser quebrado. Em vez de dar tempo a si mesmos e valorizar as amizades que foram deixadas de lado, essas pessoas muitas vezes se envolvem novamente em um relacionamento, aumentando ainda mais a dependência do casal.

Amigas se abraçando

O mal que a ideia do “somos um” pode causar

Uma das maiores crenças que prejudicam o bem-estar de um relacionamento é a narrativa de que “somos um”.

Quando estamos em casal, para combater essa crença, precisamos nos ver como uma equipe composta por duas pessoas que estão compartilhando suas vidas, mas que não são um só. Portanto, somos diferentes, mas com um caminho em comum: o relacionamento.

De acordo com todas as crenças que são desenvolvidas em torno dos relacionamentos do casal, o “somos um” que pode parecer tão inocente, até mesmo afetuoso, pode se transformar em algo muito perigoso.

Isso acontece porque, em certas situações, não sabemos como identificar exatamente onde estão os limites entre a individualidade de cada um, e gradualmente nos desvanecemos em um relacionamento sustentado por crenças irracionais, enquanto perdemos a nós mesmos.

Todos nós devemos aprender a ganhar autonomia nos relacionamentos. Embora muitas pessoas já o façam, basta olhar em volta para ver como há muitas outras que não o fazem.

Talvez alguns deles se saiam bem como um casal quando essa autonomia não existe e isso os faz sentir melhor ao experimentar o relacionamento dessa maneira, mas para pessoas que sofrem de dependência emocional, essa abordagem não funciona.

O máximo que eles conseguem é fazer escolhas ruins, enquanto perdem sua autoestima ao longo do caminho…