Fique com o amor que proteja sua independência

· agosto 24, 2016

Amar alguém é muito mais que despir um corpo, é despir uma alma, mas esse amor deve ser correspondido para que seja um amor completo, deve haver um equilíbrio entre o sentimento das partes. Frases como “Minha existência não tem sentido sem ela”, “Vivo por e para ela”, “Ela é tudo para mim”, “Ele é a coisa mais importante da minha vida”, “Não sei o que faria sem ela”, são expressões que devem ser completamente abolidas de nosso pensamento e de nosso vocabulário se queremos ter algum dia uma relação saudável.

A intensa sensação que a paixão proporciona tem sido estudada por muitas disciplinas: o pensamento filosófico, os escritores literários, o pensamento científico, a psicologia… Porque trata-se de um estado em que a pessoa se sente inundada pela felicidade, pela alegria, pela sensualidade e por muitas outras sensações positivas.

A paixão é um tipo de obsessão passageira por outra pessoa que produz diversos efeitos como a idealização, a perda da concentração, a insônia, a perda do apetite, o sonhar acordado… Mas todos esses efeitos duram apenas um tempo; logo chega e realidade e a necessidade de ver esta pessoa como ela é.

Estudos sobre o amor

Existem diversos estudos e pesquisas científicas que já demonstraram que quando nos apaixonamos nosso cérebro produz uma combinação de hormônios similares aos que são produzidos em um caso de vício qualquer. Os níveis de dopamina aumentam, assim como os de norepinefrina, e por isso nos sentimos excitados e cheios de energias. Os níveis de serotonina diminuem, o que pode nos levar a pensamentos repetitivos por outra pessoa.

casal-parque-celebrando-amor

Um estudo do Colégio de Medicina Albert Einstein descobriu que quando um amor acaba, assim como acontece quando uma pessoa é viciada em alguma droga, as consequências do vício são tão fortes que podem resultar, em alguns casos, em depressão e em determinados tipos de condutas obsessivas.

Em outro estudo feito no Reino Unido em relação à psicologia do amor 400 pessoas foram entrevistadas e concluiu-se que os pequenos atos são os mais importantes porque são os mais valorizados. Levar um café para seu amor quando ele está sentado, dizer ao seu amor o quão bonito ou bonita está a cada manhã, são pequenas coisas que são muito mais valorizadas do que gastar dinheiro em presentes caros.

Um aspecto que está prejudicando as relações amorosas atualmente são as redes sociais. Segundo uma pesquisa realizada pela Academia de Advogados de Família dos Estados Unidos no ano de 2011, constatou-se um aumento nos divórcios devido ao uso das redes sociais, posto que estas geram ciúmes, desconfiança e, consequentemente, problemas para o casal.

casal-briga-amor

Amor ou dependência

Mas um dos problemas mais profundos que afetam muitas pessoas é a incapacidade de diferenciar amor e dependência. Uma pessoa que tem dependência emocional costuma ter uma baixa autoestima, um caráter submisso e, sobretudo, não consegue viver sua vida sozinha, em solidão.

São pessoas que sentem a profunda necessidade de ter alguém ao seu lado, idealizando essa pessoa e vivendo por e para ela. Algumas características que podem se destacar em pessoas que são dependentes emocionais são as que descrevemos a seguir.

A pessoa que é dependente não sabe viver sozinha. São pessoas que precisam estar sempre em uma relação amorosa e que não aprendem a desfrutar a sua companhia. Geralmente emendam uma relação na outra para evitar ficarem sozinhas, ou porque são incapazes de pensar numa vida sem ser em casal.

Além disso, costumam ter uma baixa autoestima. Um dependente emocional geralmente é uma pessoa que não gosta muito de si mesma, então busca constantemente a aprovação e o carinho de outras pessoas para se sentir segura, merecedora e querida.

Falta de assertividade e entrega total

As pessoas dependentes não sabem dizer não. São pessoas complacentes que, por medo de serem rejeitadas ou de causarem um rompimento em seu relacionamento, não sabem dizer que não, não expressam suas opiniões quando algo não os agrada ou não os faz se sentir bem, simplesmente se concentram em agradar a outra pessoa para não perdê-la.

coração-amarrado-amor

Além disso, costumam colocar a relação amorosa acima de tudo e de todos. Uma pessoa dependente põe seu relacionamento por cima de seus interesses, seus amigos, sua família, o mais importante é o seu par e não permite que nada se coloque no meio da relação. Ou seja, a pessoa dependente põe a relação à frente inclusive de si mesma.

Como contrapartida, o par de um dependente emocional costuma ser uma pessoa segura de si mesma, mas egocêntrica, dominante e pouco afetuosa. Por esse motivo, encontram seu complemento perfeito nos dependentes emocionais.

“Fique com o amor que lhe dá respostas, e não problemas. Confiança, e não mais dúvidas.” 
-Paulo Coelho-