Filofobia, como identificá-la e como combatê-la – A mente é maravilhosa

Filofobia, como identificá-la e como combatê-la

16, março 2015 em Psicologia 39 Compartilhados
filofobia

Imagine esta cena. Uma garota se apaixona por um rapaz. O sentimento é recíproco e tudo parece estar bem. Depois de algum tempo, o rapaz começa a sentir ansiedade, nervosismo e focar somente nos defeitos da garota. Quando ela o convida para jantar com seus pais, tem um ataque de pânico, seu coração acelera e não consegue respirar.

De repente, ele decide terminar o namoro. O que aconteceu?

Parece que esse rapaz sofre de filofobia…

O que é filofobia?

A filofobia nada mais é do que o medo irracional de se apaixonar por alguém. Em casos mais graves, pode abranger também o amor pelos amigos e familiares.

A filofobia não é o nervosismo normal que ocorre quando a pessoa se apaixona por alguém. Não são simplesmente borboletas no estômago. O medo é tão intenso que desencadeia vários mecanismos de defesa. Essas pessoas expressam desconforto, nervosismo e ansiedade quando ficam expostos a situações que possam criar algum tipo de vínculo ou afeto.

Quais são os padrões de comportamento associados a filofobia?

Como o rapaz da nossa história, o mecanismo de defesa mais utilizado por pessoas com esse distúrbio é encontrar defeitos no seu parceiro. Usa esses supostos defeitos como justificativa para não aprofundar seus sentimentos.

Muitos filofóbicos, para não enfrentar seus problemas com a intimidade, se apegam a amores impossíveis e inalcançáveis. Convencem a si mesmos que não podem amar, pois seu amor é impossível.

O artigo “Filofobia: Medo de amar” da theclinic.cl, explica “A ideia de que o seu parceiro vai deixá-lo por outra pessoa serve como desculpa para não se comprometer“. Por isso provocam brigas, geralmente motivadas pelo ciúme, para que a outra pessoa termine a relação. Quando percebem que a relação está se aprofundando, se afastam, não respondem aos seus telefonemas e até inventam desculpas para não se encontrar com o parceiro.

Por que procurar ajuda?

Se você se identificou com esse artigo, talvez seja o momento de procurar ajuda. A filofobia tem cura. É possível superar esse medo. Existem várias terapias para tratar essa fobia.

A terapia cognitiva irá ajudá-lo a compreender o pensamento que o leva a sentir medo e ensinará técnicas para mudar os padrões de pensamentos negativos para positivos.

A terapia de dessensibilização é utilizada para todos os tipos de fobia. Ela coloca o paciente em contato com o objeto ou situação que ele teme, nesse caso, o relacionamento amoroso. O terapeuta pode usar a tecnologia para simular essa interação e preparar a pessoa para situações da vida real.

Muitos tiveram sucesso com a Programação Neurolinguística, hipnose e outros métodos. Um profissional de saúde mental poderá ajudá-lo a escolher a terapia mais adequada para o seu caso específico. Algumas pessoas se sentem constrangidas ao procurar um psiquiatra, psicólogo ou terapeuta. Por que não? Essas técnicas podem nos ajudar muito. Aprimore-se e vença seus medos.

Não deixe que o amor se torne um problema. A filofobia pode nos levar à solidão e a depressão. Amar é bom. Você pode superar esse medo e experimentar a alegria de amar e ser amado.

Imagem cortesia de bree95

Recomendados para você