Como saber se a sua saúde mental piorou?

01 Janeiro, 2021
Às vezes, ligamos o piloto automático e dizemos a nós mesmos que "vamos dar o máximo", mas a verdade não é bem assim. Isso porque a saúde mental pode estar enfraquecendo, porque as emoções, o estresse e a ansiedade podem ter nos prejudicado.

Como saber se a sua saúde mental piorou? Diferentemente do que podemos pensar, não é fácil detectar que há algo de errado com nós mesmos. Somos, no fim das contas, uma sociedade que normaliza a ansiedade, que acha comum estar estressado e que acredita que a depressão é coisa de quem não sabe lidar muito bem com a própria vida.

Continuamos percebendo a saúde mental de forma distorcida. Muitos entendem o bem-estar mental em termos de loucura ou sanidade, fraqueza ou força. Acreditar nesse tipo de ideia é um grande erro, pois todos nós podemos sofrer com algum problema psicológico em algum momento, e isso não faz de nós pessoas menos aptas, e sim humanas.

É importante lembrar a definição da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a saúde mental: “É um estado de bem-estar emocional, social e pessoal no qual o indivíduo é consciente das suas aptidões para enfrentar os problemas comuns da vida. Isso permite que ele trabalhe e desfrute das suas relações sociais para se desenvolver com satisfação.”

Precisamos admitir que nem sempre conseguimos alcançar essas metas. Nem sempre sentimos esse equilíbrio emocional para lidar com os desafios cotidianos. O bem-estar psicológico não é algo que “vem de fábrica”. Às vezes ele enfraquece e outras vezes, por diversas razões, acaba falhando e nos fragilizando.

Homem preocupado

Dicas para saber se a sua saúde mental piorou

Às vezes nos esquecemos. Um dos pilares que possibilitam o crescimento de um país social, humano e economicamente saudável é a saúde mental. Sem ela, tudo cai, tudo desmorona e perde o sentido. Por sua vez, esse bem-estar psicológico depende de múltiplos fatores: suporte emocional, oportunidades profissionais, atendimento em saúde, um contexto livre de conflitos, discriminações, violência, etc.

Podemos dizer que há uma retroalimentação contínua em todas as esferas que cercam o indivíduo. O que nos envolve nos afeta, e dependendo do nosso estado psicológico, filtramos tudo o que nos cerca. A partir de tudo isso, é necessário normalizar de uma vez por todas a saúde mental.

Se não é difícil dizer que sofremos de diabetes ou de algum problema cardíaco, o mesmo deveria acontecer com a depressão pós-parto, com o transtorno bipolar ou com a ansiedade generalizada.

Normalizar as doenças e transtornos mentais é aceitá-los, integrá-los e, antes de tudo, respeitar as pessoas que sofrem com eles. Saber detectá-los precocemente e procurar a ajuda de um especialista é uma prioridade. Vamos saber, então, como perceber se a saúde mental piorou nas últimas semanas ou meses.

Nervosismo, ansiedade e irritabilidade

As mudanças no humor costumam ser o primeiro indicador de algum problema. Sentir mais irritação, raiva, perceber que estamos sem paciência e que tudo nos incomoda são aspectos reveladores. No entanto, tais realidades devem ser constantes, devendo durar mais de três semanas.

Esquecimentos, problemas de concentração

Há momentos em que é muito difícil manter a atenção, pensar, tomar decisões e até mesmo acompanhar uma conversa. Nesses momentos também é comum esquecer das coisas, não se lembrar de compromissos com as pessoas, ou de coisas que precisamos fazer, entregar, etc.

Frequentemente, algum transtorno de ansiedade costuma estar por trás destas realidades.

Mudanças nos hábitos de sono e na alimentação

Um dos aspectos para saber se sua saúde mental piorou também é perceber como você está dormindo e se alimentando. Algumas pessoas são imediatamente afetadas pela insônia. Entretanto, outras dormem em excesso, sentem-se sempre esgotadas e só pensam em fechar os olhos e descansar.

Da mesma forma, é importante prestar atenção aos hábitos alimentares. Comportamentos como comer compulsivamente ou perder o apetite são dois indicadores importantes.

Deixar de desfrutar do que antes era agradável para começar a se isolar

A gradual desconexão do ambiente, assim como a apatia e o afastamento dos hobbies são aspectos importantes a serem considerados. O bem-estar psicológico também é determinado pela nossa capacidade de desfrutar do lazer e de curtir nossas amizades, familiares, etc.

Perceber que muitas dessas coisas deixam de ser interessantes e perdem a importância deveria ser suficiente para nos convencer da necessidade de procurar ajuda.

As obsessões que obscurecem nossas vidas

Às vezes, uma pessoa pode começar a ficar obcecada por alguma questão, por ideias ou situações a ponto de não poder fazer mais nada. Não estamos falando apenas de pensamentos irracionais ou negativos, como acreditar que tudo vai dar errado ou que não temos valor para ninguém.

Em alguns momentos, podemos nos ver em situações nas quais é muito complicado, por exemplo, deixar de pesquisar certos conteúdos na internet ou pensar que estamos sendo observados.

Vontade de chorar quase toda hora

Não importa se algo sério aconteceu ou se o mundo está desmoronando… Há tristezas que se prendem a nós sem explicação e dias nos quais só sentimos vontade de chorar. Entretanto, a verdade é que isso pode acontecer por um breve período de tempo para logo depois voltarmos à normalidade, sem muito problema.

Para saber se a sua saúde mental piorou, é importante analisar o seu estado de humor. Se sentimos que sempre há uma “névoa” dentro de nós, além da vontade constante de chorar, é hora de falar com alguém que possa ajudar.

Mulher desesperada

O indicador mais importante para saber se a saúde mental piorou é pensar em suicídio

Não há fato mais preocupante do que alguém pensar em como seria o mundo sem a sua própria presença. A pessoa que só deseja parar de sofrer pensa em “deixar de existir” como forma de solucionar seus problemas. A ideação suicida é um fator que não devemos ignorar em nenhum momento. Se alguma vez já tivemos essa ideia, não devemos hesitar em procurar ajuda especializada.

Para concluir, para saber se a sua saúde mental piorou também pode ser válido consultar as pessoas que te amam. Às vezes, quem está próximo de nós vê muito mais do que nós mesmos. Devemos cuidar da nossa saúde mental da mesma forma que cuidamos da saúde física, pois ambas as dimensões determinam a nossa qualidade de vida.

  • H. Herman, Saxena. S, Moodlie M.  (2018) Determinantes de la salud mental actual. Organización Mundial de la Salud.
  • O’Reilly, M., Svirydzenka, N., Adams, S., & Dogra, N. (2018, July 1). Review of mental health promotion interventions in schools. Social Psychiatry and Psychiatric Epidemiology. Dr. Dietrich Steinkopff Verlag GmbH and Co. KG. https://doi.org/10.1007/s00127-018-1530-1
  • Parker, L., Bero, L., Gillies, D., Raven, M., Mintzes, B., Jureidini, J., & Grundy, Q. (2018). Mental health messages in prominent mental health apps. Annals of Family Medicine16(4), 338–342. https://doi.org/10.1370/afm.2260