Conceitos errôneos sobre os jovens

· agosto 10, 2018

Em muitas ocasiões, culpamos os jovens por problemas que estão muito mais enraizados na sociedade do que pensamos. Atribuímos esses problemas à sua imaturidade e pouca idade, à sua falta de experiência na vida em geral. Infelizmente, há muitos conceitos errôneos sobre os jovens.

O grande poeta francês Victor Hugo dizia que nos olhos do jovem arde a chama; nos olhos do velho brilha a luz”. No entanto, como é lógico, nem sempre há luz nos olhos dos idosos, assim como a chama que acende a energia nos jovens não é negativa em todas as circunstâncias.

Por que existem tantos conceitos errôneos sobre os jovens?

Atualmente, a atitude e o comportamento dos jovens são temas muito discutidos. As conclusões costumam ser bastante negativas, prevalece a concepção de que os adolescentes são despreocupados e sem valores. Apesar disso, esquecemos as influências da educação e os exemplos dos mais velhos.

Se os pais e os agentes sociais não se importaram o suficiente com a educação dos jovens, o que podemos esperar? Não é uma boa ideia que o ensino e a educação fiquem nas mãos da mídia ou da Internet. Entretanto, não podemos responsabilizar pais e educadores por essa situação, pois em todas as circunstâncias há sempre uma confluência de fatores que interferem na obtenção desse resultado.

Jovens se divertindo juntos

O psicólogo cubano Manuel Calviño tem um artigo muito interessante relacionado a este tema, intitulado ‘Falácias da Juventude’ e publicado em seu livro, “Vale a pena”. Através dele, ele nos convida a refletir sobre a quantidade de conceitos errôneos que, de forma proposital ou não, são derramados sobre os nossos jovens.

É verdade que podemos responsabilizá-los por algumas circunstâncias, mas não é possível que eles sejam penalizados por tudo o que acontece. Por isso, é importante saber quais são os equívocos mais comuns sobre a juventude. Abaixo explicaremos alguns deles.

Nem todos os jovens são iguais

Este é um dos equívocos sobre a juventude que Calviño comenta em seu livro. Não há dois jovens iguais, então você não pode julgar todos igualmente. O fato de uma criança agir sem pensar e sem medir as consequências das suas ações não implica que o outro, ou todos, ajam da mesma maneira.

Se julgarmos e generalizarmos esses comportamentos para todos os jovens, estaremos cometendo um erro. Um menino pode ser mais impulsivo e imprudente por causa da sua idade, mas não acontece o mesmo com um grande número de adultos e idosos?

Talvez um jovem seja capaz de arriscar mais porque acredita que terá tempo para resolver se algo der errado. Essa atitude pode ser compreensível. Mas se ele for um adulto, o julgamos de outra forma, porque levamos em conta a sua experiência, conhecimento, educação e a calma que a idade oferece.

Os jovens são motivados apenas pela diversão

É verdade que um grande número de jovens se sente muito motivado por festas, pela dança ou pela diversão. Mas também não é verdade que eles estão em uma idade em que devem experimentar o mundo com seus próprios pés?

“Dos meus erros da juventude, o que me dá mais pena não é tê-los cometido, mas não poder cometê-los novamente”.
-Pierre Benoit-

Encontrar-se com amigos e sair é normal durante a juventude. Agora, não é verdade que a diversão é a única coisa que motiva os jovens. Muitos deles mostram uma grande inclinação para a arte, a cultura, o conhecimento…

De fato, toda vez que um jovem se sente desafiado, ele mostra a sua inteligência e eficiência. Eles mostram que podem se apaixonar pelo que realmente os atrai. Não é verdade que eles gostam apenas de festa.

Mulher lendo um livro

Os jovens não valorizam o que eles têm

Esta é outra ideia errônea sobre a juventude. Está associada a pessoas ingratas e despreocupadas que nunca se contentam com nada. Além disso, muitos adultos estão convictos de que os jovens vivem apenas de aparências.

No entanto, as crianças pequenas não costumam ser as mais hipócritas das sociedades atuais. Se elas recebem algo que não gostam ou não acham útil, dizem abertamente. Na verdade, não estamos falando de um exercício de sinceridade? E, além disso, não lhes ensinamos desde a infância a importância de sempre dizer a verdade?

Eles também são criticados por serem inconformados e participarem de discussões. Mas, se nós os educamos para serem sinceros e defenderem as suas crenças, não é lógico que eles respondam, discutam, se apaixonem e se posicionem? O problema não é tanto o conteúdo, mas a maneira de expressar esse conteúdo. Neste caso, não podemos generalizá-lo apenas com jovens. É mais uma questão de educação pessoal.

“Não basta ser jovem. É necessário estar bêbado de juventude, com todas as suas consequências”.
-Alejandro Casona-

Como vemos, Manuel Calviño acertou ao falar sobre as muitas concepções errôneas que temos sobre a juventude. Às vezes, nós internalizamos essas ideias de forma não intencional.

Isso não significa que eles não cometam erros, é claro que eles erram, como todos nós. Isso é próprio da idade, e os jovens querem testar as suas habilidades e prová-las ao limite. Gostemos ou não, é o seu momento de experimentar.