A consciência transpessoal

· fevereiro 2, 2019
Esta escola psicológica considera que nossa consciência normal, a que possuímos no estado de vigília, é só um dos tipos de consciência que o ser humano possui.

A psicologia transpessoal é a única escola psicológica que estuda os processos que transcendem a própria identidade e os estados de consciência. A consciência transpessoal é estudada com base em um modelo com três categorias: o estado pré-egóico, o egóico, e o transpessoal ou trans-egóico. Este último é considerado o potencial mais elevado do ser humano.

O psicólogo transpessoal Ken Wilber foi quem desenvolveu este modelo do espectro da consciência. Ele o propõe como um processo de desenvolvimento interno que dá origem à consciência transpessoal. Esta se define basicamente em um estado que permite ao ser humano estar em conexão com seu entorno e formar uma unidade com ele.

Tomando como referência o trabalho de Wilber, muitos psicólogos transpessoais se dedicaram ao estudo de algumas psicopatias em relação ao estado do paciente com seu nível de consciência transpessoal, pré-egóico ou egóico, algo que a psiquiatria convencional não leva em conta nos tratamentos.

O que é a consciência transpessoal?

Esta escola psicológica considera que nossa consciência normal, a que possuímos no estado de vigília, é apenas um dos tipos de consciência que o ser humano possui. De acordo com este enfoque, existem mais estados de consciência que estão separados uns dos outros de forma muito sutil.

“É como se a nossa percepção habitual da realidade não passasse de uma ilha insignificante, cercada por um vasto oceano de consciência, insuspeitado e desconhecido, cujas ondas batem continuamente contra os recifes que erigiram nossa percepção cotidiana como barreiras… até que, espontaneamente, as ondas quebram e inundam essa ilha com o conhecimento de um novo mundo de consciência, tão vasto quanto inexplorado, mas intensamente real.”
-Wilber, 1984-

Ken Wilber

Essa tomada de consciência e compreensão é o que Wilber chama de Consciência de Unidade. De fato, ela é conhecida desde tempos remotos por muitos diferentes nomes: Iluminação, Nirvana ou Satori. É um estado no qual os sujeitos experimentam a si mesmos além do racional (identidade transpessoal), como um todo em conjunto com o universo. A consciência de unidade.

O modelo de consciência transpessoal

O modelo evolutivo da consciência desenvolvido por Wilber é um modelo hierárquico. Cada uma das três categorias iniciais é formada, por sua vez, por mais níveis.

O nível pré-egóico, ou dos âmbitos inferiores, caracteriza-se pelos instintos e os processos somáticos. Impulsos de ordem emocional e sexual baseados em percepções simples e em emoções. Este nível do pré-egóico também é conhecido como o pré-pessoal e tem três níveis ou estágios:

  • Sensorio-físico
  • Fantasmático-emocional
  • Mente representacional

O nível egóico é alcançado ao transcender o nível pré-egóico, principalmente pelo nível de interiorização. É o que Piaget chamou de “egocentrismo decrescente”. Ou seja, conseguir um maior desenvolvimento implica a capacidade de transcender o ponto de vista próprio e encontrar um superior.

Este nível, também chamado de nível pessoal, tem três subníveis hierárquicos, que são:

  • A mente regra/papel
  • O reflexivo formal
  • A visão lógica (ou Centauro)

O estado trans-egóico também se desenvolve em três etapas:

  • O nível psíquico: vem a ser a culminação do nível pessoal de visão lógica. É caracterizado por um aumento do nível da percepção e das capacidades da mente ordinária.
  • O nível sutil: é um nível intermediário de desenvolvimento espiritual. Implica um desenvolvimento do Deus pessoal, dos arquétipos e do misticismo genuíno.
  • O nível causal: este estado é descrito como o eu universal e sem forma. Nas palavras de Ken Wilber: Uma consciência de unidade sem fronteiras que tudo impregna… um ser que é essencialmente um com o eu Supremo.

Consciência transpessoal

O enfoque psiquiátrico

No geral, este conhecimento da psicologia transpessoal não se aplica aos tratamentos psiquiátricos convencionais para pacientes com psicopatologias muito diversas.

A partir deste ponto de vista, as patologias manifestadas a um nível pré-pessoal não seriam do mesmo tipo que as provenientes de um nível transpessoal. Nem o problema associado a cada estado de consciência seria o mesmo.

A psicologia transpessoal surgiu no final dos anos 60, embora tenha antecedentes muito mais antigos em várias das tradições filosóficas orientais.

Essa psicologia fez parte dos programas de pós-graduação e de inúmeros projetos de pesquisa nas mais prestigiosas universidades do mundo. Mesmo assim, nos dias de hoje, esta interessante abordagem ainda é muito desconhecida por profissionais no campo da psicologia.