Consequências da violência psicológica em nosso corpo

Consequências da violência psicológica em nosso corpo

Maio 17, 2018 em Psicologia 0 Compartilhados
Consequências da violência psicológica em nosso corpo

As consequências da violência psicológica também surgem em nosso corpo, e não apenas em nossa mente. Prova disso é a grande quantidade de doenças das quais a ciência ainda não conseguiu descobrir a causas, ou formas de tratamento que as curem totalmente. Essas doenças são consequência de uma série de fatores que não desaparecem com um composto medicamentoso que seja vendido na farmácia.

Ainda que saibamos que o corpo e a mente formam uma unidade, na prática e no dia a dia acabamos pensando nas duas coisas como se fossem separados. Tudo que afeta as emoções, porém, afeta o organismo como um todo. Um fato tão impactante quanto sofrer violência psicológica não poderia ser a exceção a essa regra.

Existe um mito muito difundido, infelizmente, que afirma que a violência psicológica é menos importante e traz menos consequências, ou consequências menos profundas, que a violência física. A verdade é que não é exatamente assim. Esse tipo de violência pode deixar marcas no organismo similares às que seriam deixadas por um golpe físico. Falaremos a seguir sobre três das principais consequências da violência psicológica em nosso corpo.

“Você mesmo, tanto quanto qualquer outra pessoa em todo o universo, merece amor e afeto.”
-Buda-

Três consequências da violência psicológica

1. Gastrite nervosa

É importante, antes de mais nada, dizer que a gastrite é uma inflamação da mucosa gástrica, ou seja, da camada que recobre nosso estômago por dentro. Os principais sintomas desse problema de saúde são a dor aguda na região abdominal, uma sensação de ardor no ventre e muita acidez estomacal. Tais sintomas podem chegar a níveis que se tornam incapacitantes.

Homem com dor no estômago

Esse tipo de gastrite também vem acompanhada por alguns sintomas emocionais. Os mais visíveis são inquietude, preocupação, estresse, nervosismo e tensão. A principal causa desse problema é justamente a ansiedade, com suas múltiplas características.

A gastrite nervosa é, em muitos casos, uma marca física da violência psicológica que uma pessoa inflige em si mesma. Pode haver, por exemplo, uma exigência pessoal muito alta, e esta conduz a pessoa a um estado constante de tensão emocional. Isso desencadeia um episódio de estresse e, com o tempo, leva a uma condição de ansiedade. O afetado não escuta o que seu corpo está tentando lhe dizer. Agride a si mesmo e causa danos ao seu próprio corpo, muitas vezes sem nem se dar conta.

2. Hipertensão

A hipertensão é outra das consequências da violência psicológica que podem afetar o plano físico. O ser humano vem filogeneticamente programado para reagir diante de situações de perigo. É uma característica genética para a sobrevivência. Tanto seu corpo quanto sua mente respondem ao perigo desencadeando reações que buscam a preservação da vida.

Hipertensão

A pressão arterial sobre quando há um sinal de perigo e o corpo precisa se preparar para defender-se ou para fugir. Quando o perigo desaparece, a tensão volta para seu ritmo normal. Se o perigo está na nossa mente, então temos uma situação de risco constante que, por sua vez, faz com que a pessoa tenha uma pressão alta para poder se manter o tempo todo em alerta.

Quem se sente atacado ou menosprezado constantemente tem uma maior tendência a desenvolver a hipertensão. Em outras palavras, permanecem em uma posição defensiva diante, por exemplo, de uma violência psicológica que é exercida sobre eles. É comum que isso ocorra com pessoas que estão vivendo em contextos muito conflituosos, ou realmente perigosos para sua integridade emocional ou física.

3. Derrames oculares

Os derrames oculares são as hemorragias que muitas vezes aparecem na parte branca do olho. O mais comum é que esse tipo de hemorragia não produza nenhum outro sintoma além da vermelhidão. Não causam dor, não afetam a visão e também não causam problemas no olho. Simplesmente aparecem um dia qualquer, e no outro desaparecem. A ciência desconhece a causa por trás desta condição, mas há muitas hipóteses a respeito.

Do ponto de vista das teorias psicossomáticas, o derrame ocular pode estar ligado a casos de violência psicológica. Pode ser interpretado como um golpe emocional recebido diretamente no rosto, mas cujas causas e consequências a pessoa escolhe reprimir. Em outras palavras, o corpo reage como se efetivamente tivesse recebido um soco no rosto, ainda que o mesmo não tenha sido físico.

Derrame ocular

O derrame ocular pode ser interpretado como uma ferida por aquele que se viu ou se vê, não necessariamente de modo físico. É uma forma que a mente tem de se expressar através do corpo, que sofre pelo panorama que está contemplando. Isso acontece em condições de violência psicológica.

Infelizmente, muitas vezes não damos a mesma importância para a saúde emocional que damos para a saúde física, como se que fossem dois âmbitos independentes do nosso corpo e de relevância muito diferente. Isso é um erro muito grave. As experiências negativas, como a violência psicológica, não apenas nos levam a doenças físicas, mas também podem levar à morte. Nesse sentido, cuidar de nosso mundo interno é preservar nossa vida, nosso equilíbrio e nosso ser como um todo.

Recomendados para você