Conheça a cor que reduz o estresse: a tonalidade da calma

· fevereiro 3, 2018

Existe uma cor que reduz o estresse e nos transmite calma e tranquilidade. É a tonalidade que contempla o mar e compõe os oceanos. É a cor do céu limpo nas tardes reluzentes de verão e nas manhãs frescas de outono. Assim, o azul e todas estas paisagens onde sua paleta de tons fica impressa, facilitam um cenário propício para o relaxamento e o bem-estar.

É interessante saber que, ainda que a cor azul seja atualmente uma das preferidas das pessoas, no passado não era. Isso acontecia por uma simples razão: o azul não era muito visto. Além desse tom presente no céu e nos mares, não era comum vê-lo fazer parte do cotidiano das sociedades antes do século XII (com exceção da cultura egípcia).

“O que é preciso para ser feliz? Um pouco de céu azul acima de nossas cabeças.”
– André Maurois –

Foi precisamente neste século que, graças às novas técnicas químicas e de fabricação, o azul passou de um tom estranho para fazer parte dos tecidos religiosos, dos escudos das armas e das obras de artistas seletos. Da noite para o dia, o povo experimentou o impacto psicológico e emocional relacionado a essa tonalidade.

Foi associado à divindade, ao místico, e à elegância. Mais tarde, no século XVIII e com o desenvolvimento de novos pigmentos, surgiu uma gama muito mais ampla de azuis. Com eles e graças aos estudos desenvolvidos por Michael Pastoureau, ficou em evidência uma realidade inegável: o azul era a cor favorita de todos os países ocidentais. Era o tom que gerava bem-estar e confiança no ser humano…

Flor azul

A cor que reduz o estresse

Passamos anos realizando estudos no desconhecido mundo da psicologia da cor, obtendo resultados surpreendentes. O que começou o próprio Isaac Newton, e que mais tarde continuou Goethe, foi desenvolvido depois nos livros de Eva Heller. Atualmente universidades do mundo todo analisam a relação da cor com o mundo do marketing e da publicidade, ou como objetivo de criar entornos de trabalho mais acolhedores e ao mesmo tempo mais produtivos.

Assim, algo que os especialistas sabem há anos é que a cor que tem um poder maior para reduzir o estresse é o azul. Pode ser que esta conclusão tão lógica chame a atenção, visto que como já sabemos, a maioria de nós filtra as cores associando a elas conteúdos inconscientes.

Tentemos evocar a sensação que temos quando estamos diante de um mar calmo, de águas azuis que se mesclam com o horizonte de um céu da mesma cor. Se reproduzirmos bem essa imagem, a calma que emanamos é imensa, reconfortante, maravilhosa, e isso é algo que a maior parte da população também sente.

Por outro lado, algo que os cientistas da Universidade de Granada (UGR, Espanha) demonstraram, em colaboração com o Colégio de Educação Especial São Rafael de Granada, é que a luz azul gera um efeito muito benéfico quando a pessoa experimenta um estresse psicossocial agudo (quando discutimos com alguém, quando trabalhamos sob pressão…). De fato, a cor azul oferece mais calma do que a cor branca.

Ainda, nos trabalhos realizados por Eva Heller foi possível ver que os quartos ou entornos escolares onde o azul predomina reduzem o surgimento de birras ou de problemas de comportamento nas crianças. Seu efeito calmante é inegável.

Construções azuis

A cor azul, onipresente

A cor que reduz o estresse é, ao mesmo tempo, a cor mais onipresente nas marcas publicitárias. A maioria faz uso dessa tonalidade porque, no fundo, os especialistas em neuromarketing sabem muito bem o que ela gera em nosso subconsciente:

  • O azul não é só visual; ele é, acima de tudo, experiencial.
  • Gera confiança, tranquilidade, calma.
  • As grandes marcas como Facebook, Twitter, Ford, Volkswagen, IBM, Roche, BBVA e Carrefour a utilizam porque sabem que o azul transmite confiança e lealdade.

Por outro lado, se pensarmos no tema nos damos conta de que as grandes companhias aéreas também usam essa cor que reduz o estresse. Se há algo que estas empresas precisam é gerar calma, bem-estar e confiança no cliente, por isso este tom está presente na maioria das companhias.

Sol azul e céu azul

Para concluir, não é preciso pintar nossa casa inteira de azul celeste para conseguirmos um efeito de calma constante. Se fizermos isso, no fim das contas nos habituaremos e o cérebro vai experimentar uma certa sobrecarga na percepção. A chave está no equilíbrio, em saber que quando passamos um dia ruim, não há nada tão curador quanto dar um passeio na praia ou deitar em um parque para deixar nosso olhar na imensidão do céu.

A cor que reduz o estresse sempre está ao nosso alcance, e às vezes é o suficiente voltar o rosto em busca de uma janela e simplesmente nos desconectarmos e mergulharmos nesta tonalidade mágica.