Construí minha vida sobre um castelo de cartas

· janeiro 30, 2017

Construí a minha vida sobre um castelo de cartas, embora tenha demorado muito tempo para perceber isso. Acreditava que tinha boas cartas no baralho, mas, de repente, perdi a partida. Essas cartas eram pequenas conquistas que pensava que havia conseguido pouco a pouco e que, com um maldito sopro de ar, perdi em um abrir e fechar de olhos.

Tinha a carta do trabalho, a carta da independência, a carta da liberdade e a carta da confiança. Mas chegou um monstro chamado crise para jogar com o baralho. E esse castelo de cartas sofreu a sacudida de um furacão que destruiu cada andar, quebrando as muralhas como se fossem feitas de palha.

E então, me dei conta de que não fui eu que procurei essas cartas, mas que elas me foram dadas.

Diante dessas circunstâncias que não esperava, como se tivesse perdido sua vida jogando pôquer em um cassino, o futuro no qual você apostou suas economias saiu voando. Já não havia nada certeiro, o mundo se transformou em azar, e com eles seus medos apareceram.

jogar-cartas

Jogamos a vida com cartas marcadas

Muitas vezes não percebemos que jogamos a vida com cartas marcadas e que somos nós que temos que ganhar a partida. O azar nos coloca em situações que não procuramos, que nos machucam, porque é algo que não podemos controlar.

O que podemos fazer quando as cartas que encontramos na vida não favorecem nossas possibilidades? Como podemos ganhar a partida contra o azar? Principalmente sem perder a perspectiva do jogo da vida. Podemos nos render e nos deixar levar pela tristeza para a qual a inércia do azar nos empurra, ou podemos lutar.

Para poder lutar, muitas vezes temos que contar com diferentes estratégias que possam jogar a nosso favor. Assim, quando as cartas vêm ruins, as chamadas estratégias de enfrentamento podem nos ajudar. As estratégias de enfrentamento são, segundo Lazarus e Folkman, um conjunto de estratégias cognitivas e comportamentais que a pessoa utiliza para gerir demandas internas ou externas que sejam percebidas como excessivas para os recursos do indivíduo.

Ganhar a partida com estratégias de enfrentamento

queda-de-braco

As estratégias de enfrentamento não apenas nos ajudam a lidar com o estresse, como também a enfrentar as emoções e os problemas do dia a dia. Mas, em muitas ocasiões, não utilizamos as estratégias adequadas, e por isso não podemos enfrentar os problemas. As estratégias de enfrentamento, segundo Lazarus e Folkman, são de dois tipos:

  • Estratégias centradas no problema: são utilizadas quando o problema pode ser abordado, seja mudando o ambiente em que ele surgiu ou nós mesmos. As duas principais estratégias desse tipo são:
    • Confrontação: consiste no enfrentamento direto do problema.
    • Planificação em solução de problemas: aqui é comum utilizar a técnica de solução de problemas para encontrar a maneira de abordá-los.
  • Estratégias centradas na emoção: costumam ser utilizadas quando não é possível intervir no problema, porque é algo que não pode ser mudado. O que se procura é mudar o significado emocional do estresse, isto é, a maneira de tratar ou interpretar o que está acontecendo. Essas estratégias são:
    • Distanciamento: usar a negação ou esquecer da existência do problema.
    • Autocontrole: não se precipitar no enfrentamento do problema, são guardados para si mesmo.
    • Aceitação da responsabilidade pelo problema.
    • Escape-evasão: esperar que o problema se resolva sozinho, e até mesmo usar as drogas como um modo de enfrentamento.
    • Reavaliação positiva: pedir ajuda ou conselho para que, a partir de outro ponto de vista, te aconselhem com o problema.

Existe um tipo de enfrentamento especial que é a busca de apoio social, que faz parte dos dois tipos, porque pode ser tanto emocional como centrada no problema. Isso é assim porque depende do uso que damos ou buscamos com esse apoio.

mulher-amanhecer

Cuidado! Nem todas estratégias de enfrentamento são adequadas

Nem todas as estratégias aqui levantadas são positivas ou adequadas na resolução dos problemas. As estratégias descritas acima são as que os autores consideram mais usadas, mas as estratégias de distanciamento e confrontação muitas vezes machucam mais que ajudam.

Por outro lado, as estratégias de planificação e resolução de problemas e a de reavaliação positiva são as que são consideradas mais úteis na hora de enfrentar nossos problemas, uma vez que costumam dar resultados muito positivos.

Assim, quando as cartas da partida da sua vida forrem derrubadas como se fossem parte de um castelo mal construído, utilize as melhores estratégias de enfrentamento para conseguir solucionar os problemas. Se você não sabe utilizá-las, peça ajuda psicológica para aprendê-las e para que o azar e a tristeza não ganhem o jogo. Você decide como joga a partida da sua vida: o azar ou a sorte apenas lhe dão as cartas e você escolhe qual delas jogar em cada momento.