Deixar partir é perceber que algumas pessoas são parte da sua história

· dezembro 26, 2016

Deixar partir é perceber que algumas pessoas são parte da sua história, não do seu destino. Isto não significa que não doa. As despedidas sempre doem, mesmo quando já faz tempo que são desejadas. Essa é uma das leis emocionais que regem nossas vidas na interação com os outros.

Existem relacionamentos (ou pessoas) que criam marcas. Por mais que você lute, por mais que você procure salvar, por mais que você ame, por mais que seja preciso permanecer, simplesmente, com um sopro, se desmoronam. Não é bonito dizer adeus, mas às vezes é verdadeiramente libertador, e é nessa liberdade que residem a beleza e a necessidade.

Porque às vezes temos essa necessidade de partir para ser feliz, de deixar para trás uma vida cheia de dor e de inquietudes, de abandonar a incerteza emocional, de obter nossa própria paz interior e de sermos autores da nossa própria liberdade emocional.

“E melhor se retirar e deixar uma bela lembrança do que insistir e se transformar em um verdadeiro incômodo. Não se perde o que não se teve, não se mantém o que não é seu e não dá para se prender a alguém que não quer ficar”.

casal-abracado

É melhor dizer adeus sem deixar palavras no tinteiro

É preciso saber dizer adeus às pessoas que machucam uma parte de você, considerando que de tudo, absolutamente de tudo, podemos tirar uma lição para futuras experiências. Isso não quer dizer que, às vezes, não valha a pena a tristeza que nos lança à deriva. Porque é bonito amar e aprender com os relacionamentos que não podem ser.

Isso é definido muito bem por um grande escritor, Gabriel Garcia Márquez. Da passagem que expomos a seguir, podemos extrair um grande aprendizado emocional, sobre a importância de amar com todas as nossas forças mesmo que esse amar tenha um ponto que sentencie o final:

“Se eu soubesse que hoje seria a última vez a ver você dormir, a abraçaria fortemente e rezaria para poder ser o guardião da sua alma. Se soubesse que esta seria a última vez a vê-la sair pela porta, lhe daria um abraço, um beijo e a chamaria novamente para lhe dar mais.

Se soubesse que esta seria a última vez a escutar a sua voz, gravaria cada uma das suas palavras para poder ouvi-las vez após vez indefinidamente. Se soubesse que estes seriam os últimos minutos a vê-la, diria “amo você” e não assumiria, estupidamente, que você já sabe disso.

folhas-outono

Sempre existe um amanhã e a vida nos dá outra oportunidade para fazer as coisas direito mas, caso eu me engane e hoje seja tudo o que nos resta, gostaria de lhe dizer quanto amo você, que nunca irei esquecê-la.

O amanhã não é garantia para ninguém, jovem ou velho. Hoje pode ser a última vez que você está com aqueles que ama. Por isso não espere mais, faça-o hoje, já que o amanhã nunca chega. Certamente você lamentará o dia em que não tirou um tempo para um sorriso, um abraço, um beijo, no qual estivesse muito ocupado para lhes conceder um último desejo.

Mantenha os que você ama próximos a você, diga-lhes ao ouvido o quanto você precisa deles, ame-os e trate-os bem, tire um tempo para lhes dizer “sinto muito”, “me perdoe”, “por favor”, “obrigado” e todas as palavras de amor que você conhece. Ninguém se lembrará de você pelos seus pensamentos secretos”.

cuidar-do-coracao

Quando o adeus doer, abra os olhos e aprenda uma lição

Não há nada mais triste do que um adeus. Porque até nunca é até nunca, mas adeus é até o quê? Durem quanto durarem os amores, as amizades ou qualquer outro tipo de relacionamento, estas precisam estar fundamentadas na expressão dos sentimentos, emoções ou pensamentos.

É importante não ficarmos com a sensação de que não dissemos o que sentíamos. Porque o adeus é mais doloroso quando nossa própria pena ainda está com tinta. Se não a usamos, esta secará e, provavelmente, estragará nossa ferramenta de escrita.

Ou seja, falando com outras palavras, nosso próprio passado emocional determinará nosso presente. Portanto, é importante administrar nossos sentimentos, emoções e pensamentos, de acordo com o momento que estamos vivendo.

Tenha isto bem presente: um adeus dói, mas as despedidas mais dolorosas são as que não se pronunciam, as que deixam assuntos pendentes em uma caixa dourada com diversos cantos que podem machucar nosso próprio coração.