Demência com corpos de Lewy: sintomas e diagnóstico

· janeiro 2, 2019

A demência com corpos de Lewy (DCL) é uma síndrome que degenera progressivamente o cérebro. É causada pela formação de depósitos de proteínas nas células que se encontram nas áreas do cérebro dedicadas ao pensamento, à memória e à motricidade.

É o segundo tipo de demência mais comum depois do Alzheimer. A demência com corpos de Lewy compartilha muitos sintomas com o Alzheimer e com o Parkinson, por isso pode ser confundida com eles.

Ela tem os mesmos sintomas comportamentais e cognitivos característicos do Alzheimer. Da mesma forma, compartilha a rigidez muscular, a lentidão de movimentos e os tremores próprios do mal de Parkinson. Entretanto, quem sofre de DCL costuma ter alucinações visuais muito vívidas.

A seguir serão expostos os sintomas, as formas de diagnóstico e as causas desse tipo de demência.

Homem com sintomas de demência

Sintomas da demência com corpos de Lewy

A demência com corpos de Lewy afeta o cérebro de forma progressiva. A média de vida depois de ser diagnosticado com a doença é de aproximadamente 8 anos.

A princípio, surgem os sintomas típicos do mal de Parkinson, mas à medida que a doença vai evoluindo, vão surgindo outros sintomas. Diferentes estudos chegaram ao consenso de que os sintomas típicos da DCL são:

  • Alucinações visuais vívidas. Geralmente são recorrentes e podem adotar qualquer forma, incluindo animais e pessoas que não estão ali. Também é possível que tenham alucinações de outro tipo: auditivas, olfativas ou táteis;
  • Alterações motoras. São muito similares às que podemos ver no mal de Parkinson. Incluem movimentos lentos, rigidez muscular, tremores e caminhar arrastando os pés;
  • Transtornos comportamentais e cognitivos. Apresentam estados de confusão, é difícil prestar atenção, têm problemas de percepção temporal e espacial e dificuldade para tomar decisões razoáveis. Todos estes sintomas são análogos aos que se apresentam com o Alzheimer, mesmo que costumem ser menos severos;
  • Flutuações dos sintomas comportamentais e cognitivos. As pessoas que sofrem de demência podem melhorar ou piorar de um dia para o outro, inclusive de uma semana para a outra. Por exemplo, o paciente pode falar e se lembrar de um dia específico, mas ser incapaz de fazer isso no dia seguinte;
  • Déficit na regulação de certas funções corporais. Geralmente, uma parte do sistema nervoso autônomo é afetado pela DCL. Especificamente a encarregada de regular a pressão arterial, a sudorese e o processo digestivo. Isso pode causar enjoos e problemas intestinais.

Como nós mencionamos, a demência com corpos de Lewy é progressiva, por isso os sintomas costumam piorar nos últimos anos de vida do paciente.

Esse tipo de demência pode gerar um grande sofrimento, pois o paciente pode apresentar quadros depressivos, comportamentos agressivos e alterações motoras.

Diagnóstico da demência com corpos de Lewy (DCL)

A demência com corpos de Lewy é difícil de diagnosticar, principalmente porque se assemelha a outros tipos de demência, como o Alzheimer e o Parkinson. Além disso, não existe um teste específico para diagnosticar esse tipo de demência. Assim, são usados diversos testes para descartar outras doenças.

A velocidade com a qual se desenvolvem os sintomas apresentados anteriormente é um dos indicadores mais confiáveis. Se os sintomas mentais se apresentarem no lapso de um ano, é provável que a origem seja a DCL.

Seguindo com o diagnóstico diferencial, as análises de sangue podem mostrar se a origem dos sintomas reside em uma deficiência de vitamina B12. Da mesma forma, podem descartar problemas na tireoide ou doenças como a sífilis ou HIV.

Através da exploração do cérebro com imagens de ressonância magnética (MRI) ou de tomografias, podem ser descartadas outras doenças. Alguns exemplos são acidentes vasculares cerebrais, excesso de líquido cefalorraquidiano ou a presença de um tumor.

Estas imagens podem ser usadas para o diagnóstico da demência com corpos de Lewy porque o cérebro dos pacientes que sofrem dessa doença apresenta mudanças significativas. Entre as mudanças estão: a degeneração ou atrofia do córtex cerebral e a morte de neurônios no cérebro médio, especialmente na “substância negra”.

Da mesma forma, no cérebro dos pacientes com DCL é possível observar lesões que afetam as funções dos neurônios. Lesões que levam o nome de corpos de Lewy. Os neurônios afetados encontram-se principalmente no hipocampo.

Idoso cuidando de mulher idosa

Causas e fatores de risco

Como já adiantamos, a demência com corpos de Lewy ocorre pelo acúmulo anormal de proteínas no cérebro. Este acúmulo evita a comunicação celular e dificulta a regeneração neuronal. Atualmente, são desconhecidas as causas exatas desse acúmulo anormal de proteínas.

No entanto, sabe-se que certos fatores aumentam o risco de sofrer de DCL. As pessoas maiores de 60 anos e do sexo masculino são mais propensas a sofrer da doença.

Além disso, caso exista uma pessoa com demência com corpos de Lewy ou Parkinson na família, a probabilidade de sofrer de alguma dessas duas doenças é mais alta.