Desenvolva um novo sentido: a escuta ativa

· setembro 26, 2015

Todos nós temos algum poder ou alguma habilidade que nos diferencia dos demais. Você sabe qual é a sua? Se você ainda não descobriu, talvez seja interessante ler o seguinte artigo.

Aprenda como desenvolver a escuta ativa, algo que todas as pessoas deveriam ter.

Escuta ativa? E onde se estuda isso?

Antes de passar para a explicação desse novo poder ou habilidade que você terá em breve, é preciso saber os seus detalhes… claro, como um todo. Com ela você poderá compreender mais e melhor as pessoas que estão ao seu redor. Seus amigos e familiares se sentirão mais próximos de você e você poderá conseguir aquilo que deseja. É pegar ou largar.

Não são muitos os que sabem a ciência certa do que é a escuta ativa e, muito menos, como aproveitá-la. Trata-se de uma ferramenta mais que importante, pois ajuda a se relacionar com os demais, resolver conflitos, compreender sentimentos e opiniões de terceiros… É um novo sentido que todos nós deveríamos desenvolver… não acha?

Desenvolva a  a escuta ativa

Se nos guiarmos pela definição científica ou formal, diz-se que a escuta ativa é: “Uma maneira de prestar mais atenção às palavras (e gestos) dos demais, que permite aprofundar os pontos de vista alheios e cooperar com os demais.”

E para o que serve esse super poder? Você achou que ia ter a força do Hulk ou o dinheiro do Homem do Ferro? Então, esse novo sentido pode ser de maior utilidade que ficar verde e musculoso ou usar um traje de robô que voa (ainda que isso seja genial)! Agora você vai descobrir…

Voltando à vida real, por sorte não temos que salvar o planeta dos vilões, então, ao desenvolver a escuta ativa, você também se tornará um super herói.

Desenvolva a  a escuta ativa

Três aspectos para entender a escuta ativa

1- Requer certo esforço da sua parte. Assim, você conseguirá com que o interlocutor se sinta cômodo, compreendido, livre para expressar o que deseja e para poder se concentrar em seus sentimentos, mais que em suas palavras. Mas claro, no começo é difícil porque não estamos acostumados…

Simplesmente, tente ser consciente do que a outra pessoa está dizendo e deixe de pensar no que você quer dizer ou responder; sua vez chegará.

2- Não é fingir que escuta… É ouvir de verdade! Não adianta nada fazer sua melhor “cara de atenção” e, na sua cabeça, ficar pensando em mil coisas, desde a lista de compras da festa do fim de semana, passando pelo que você precisa estudar ou como fará para pagar as contas. A escuta ativa é formada por duas partes, o escutar, por um lado, e a atitude, por outro.

Escute o outro, tente compreender suas palavras, a ideia que ele está transmitindo… mergulhe na conversa.

3- Escutar é uma fonte de informação. Pode ser que, no começo, seja um pouco difícil manter o foco em alguém que está falando sem parar. Pode ser que o assunto não seja do seu interesse, mas acredite, você pode tirar proveito da situação.

Benefícios da escuta ativa

Esta técnica pode ser usada para o bem ou para o mal, por isso você deve ser muito cuidadoso. A ideia é que você recolha informações para, então, ajudar o outro, não para manipulá-lo.

Este super poder que todos temos dentro de nós precisa ser despertado. Ele gera sentimentos muito bonitos no outro e, acima de tudo, estreita os vínculos com as pessoas das quais gostamos. Escutar de maneira ativa gera confiança, segurança e proximidade.

Você pode usá-lo para solucionar um conflito, agir como mediador em um problema entre duas pessoas, conhecer mais a sua família e amigos, ser alguém digno de confiança e, por sua vez, se preparar para se tornar um excelente comunicador.

Desenvolva a  a escuta ativa

Mas, espere um minuto! Se estávamos falando de escutar, o que o falar tem a ver aqui? É que todos os dados que juntamos, depois, são adaptados à conversa, são transformados num conselho certeiro, em uma palavra de alívio… Você será o melhor amigo, colega, parceiro, filho, pai, irmão, que nunca ninguém teve!  Você percebeu que era verdade que você teria um super poder?

Sejamos diferentes dos demais e comecemos a escutar ativamente. Deixemos de lado o “eu, outro eu e super eu” que domina uma conversa e tratemos de prestar mais atenção no que os outros estão dizendo.

Talvez seja um bom momento para compreender porque temos uma só boca e duas orelhas…  Para falar metade do que ouvimos! (ou escutar o dobro do que falamos).

Agora você já tem um super poder à sua disposição, para ser o herói de qualquer história.