Dieta paleolítica: nutrição e genética - A Mente é Maravilhosa

Nutrição e genética: a dieta paleolítica

julho 31, 2018 em Curiosidades 0 Compartilhados
Dieta paleolítica: nutrição e genética

Nos últimos anos, temos acompanhado o surgimento de uma série de dietas e formas de entender a alimentação que prometem resultados milagrosos a quem as pratica. Desde perder peso sem ter que contar calorias nem passar fome, até aumentar a expectativa de vida e a saúde. Uma dieta que se tornou uma das mais famosas é a dieta paleolítica.

Em que consiste realmente esta forma de se alimentar? Ela tem algum efeito benéfico, ou será que nada mais é do que uma enganação para vender livros e ganhar dinheiro? No artigo de hoje você descobrirá tudo que deve saber sobre este estilo de alimentação que está tão na moda.

Dieta paleolítica: em que consiste?

A ideia por trás da dieta paleolítica (ou “dieta paleo”, como é conhecida nos círculos esportivos) é que a nossa genética representa um papel fundamental no efeito que os alimentos têm sobre o nosso organismo. Assim, segundo os defensores dessa corrente da nutrição, os humanos não estariam adaptados aos novos alimentos surgidos após o início da agricultura.

Pelo contrário: como a evolução causa mudanças tão lentas em nosso corpo, os novos alimentos que nossos ancestrais começaram a consumir a partir do Neolítico teriam um efeito prejudicial em nosso organismo, de acordo com os defensores da dieta paleolítica.

Salada variada

Por causa disso, eles propõem que voltemos a comer o que os nossos ancestrais da era das cavernas comiam. Isso incluiria, principalmente, todos os tipos de carnes e peixes, vegetais, frutas e sementes, bem como alguns tubérculos e raízes.

Embora à primeira vista a lista de alimentos aceitos pela dieta paleolítica gere muita aceitação entre as pessoas (afinal, trata-se de voltar a nos alimentar com alimentos saudáveis), a controvérsia sobre esta corrente alimentar gira em torno da visão tão negativa que os cereais têm. Especialmente o trigo e todos os seus derivados.

Por que os cereais são vistos com maus olhos?

Para os amantes da dieta paleo, os cereais são um dos piores inimigos da saúde. Desde que o trabalho de Robb Wolf (um dos primeiros defensores desta forma de se alimentar) foi popularizado, os seguidores da nutrição evolutiva defendem que a agricultura foi um dos piores erros da humanidade em termos de bem-estar.

A principal razão que os defensores da dieta paleo mencionam para demonizar os cereais é que, além de não terem uma grande densidade nutricional (ou seja, não fornecem nutrientes necessários para a vida), eles estão cheios de antinutrientes. Estas substâncias interferem na absorção de todo tipo de vitaminas e minerais, fazendo com que tenhamos mais facilidade para ficar doentes.

Por isso, e apesar de em nossa cultura sempre termos visto o pão e os cereais como algo bom, todos aqueles que seguem a dieta paleolítica os eliminaram totalmente de suas vidas. Mas essa forma de se alimentar realmente funciona?

Evidência científica sobre a dieta paleolítica

Um dos maiores problemas da nutrição é que se trata de uma ciência que ainda está em desenvolvimento. Por isso, e devido à dificuldade de realizar estudos clínicos para comprovar os efeitos das diferentes dietasnão existe um consenso oficial sobre o que é saudável e o que não é.

No entanto, as últimas evidências sobre a nutrição evolutiva indicam que essa forma de alimentação pode ter efeitos muito benéficos em nossa saúde física e mental. Portanto, os especialistas recomendam fazer um experimento: tente comer de acordo com a dieta paleo por um mês. Dependendo dos resultados, podemos decidir se queremos segui-la permanentemente ou não.

Filés de salmão

O que eu posso comer segundo essa dieta?

A premissa da dieta paleolítica é muito simples: coma apenas o que seus ancestrais podiam obter da natureza. Removendo os cereais acima mencionados, isso implica que você pode comer praticamente qualquer coisa que tenha origem animal ou vegetal.

A outra precaução que deve ser tomada é não consumir alimentos processados. Afinal, no ambiente em que evoluímos como espécie, não era possível encontrar sacos de batatas fritas ou refrigerantes açucarados. Estes, sendo muito recentes, causam mais danos ao nosso corpo, da mesma forma que os cereais.

Embora muitas dietas modernas não tenham evidências científicas por trás delas, a dieta paleo parece ser uma exceção. No entanto, antes de fazer uma mudança radical, é fundamental consultar um especialista em nutrição para saber se é viável realizá-la em cada caso.

Recomendados para você