Os dinamarqueses são o povo mais feliz pelo "Hygge". O que é isso?

Os dinamarqueses são o povo mais feliz pelo “Hygge”. O que é isso?

31, julho 2017 em Curiosidades 402 Compartilhados
Os dinamarqueses são mais felizes pelo Hygge

As pessoas que vivem na Dinamarca são mais felizes que em qualquer outro país. Por quê? Podemos responder a essa pergunta com uma palavra: “Hygge”. Essa é uma palavra que não tem tradução em português, mas Hygge se relaciona com o bem-estar pessoal, com compartilhar momentos com os entes queridos e com desfrutar seu próprio lar.

Quem não gosta de ficar em casa quando está frio, compartilhando um café com seu amor ou com seus filhos, e lendo um livro enquanto tem na mão uma xícara de chocolate quente? Seria algo monótono se fizéssemos isso todos os dias, mas repetir esse ato com uma certa assiduidade com certeza não é monótono, mas sim nos traz uma grande felicidade.

Mesmo quando não estiver frio, você pode trocar a manta no sofá por uma varanda ou por um passeio em que valem mais as palavras e a companhia que os passos. De uma forma ou de outra, estou certa de que você entendeu a ideia, e de que lhe ocorreram várias formas e de colocar essa palavra dinamarquesa tão original em sua vida.

Sentir-se bem e confortável para ficar feliz

Quando perguntamos aos habitantes da Dinamarca sobre sua própria definição de Hygge (uma palavra local que não tem tradução para nenhum outro idioma), eles dizem que se trata de fazer aquilo que os fazem felizes. Hygge é mais uma atitude ou um estilo de vida, é buscar o lugar mais acolhedor da casa, passar tempo com os entes queridos e deixar de lado as obrigações. Essa é a chave para que esse país escandinavo seja considerado o melhor para se viver, ainda que tenha condições climáticas tão adversas e severas no inverno.

Durante os meses de muito frio, os dinamarqueses passam quase todo o dia em suas casas (só há 4 horas diárias de luz) e por isso eles dão tanta importância para a decoração do lar, para o conforto dos móveis e para o espaço das casas. Também prestam muita atenção às atividades que podem ser realizadas dentro do seu próprio lar: ler, ver um filme, cozinhar, brincar, aprender, conversar… e sobretudo, compartilhar momentos com a família.

Uma boa xícara de café com amigos

Lugares íntimos, felicidade garantida

O estilo de decoração minimalista não é “permitido” na Dinamarca. Na realidade, não é muito escolhido porque reduz o sentimento de conforto, de sentir-se protegido e abrigado. Por isso, para a decoração são empregadas cores quentes como o laranja e o vermelho, e compram móveis de madeira grossa e acessórios e objetos que sejam úteis.

A intimidade dos espaços ou ambientes também está relacionada com a iluminação. Ainda que seja noite grande parte do tempo, muitas horas do dia as pessoas preferem usar velas ou lâmpadas com luzes suaves, assim como o fogo, para se esquentar ou iluminar a sala. Nada de lâmpadas brancas e muito potentes.

Velas queimando

Outro ponto que merece atenção são os tecidos que são escolhidos, não somente para as roupas mas também para as almofadas, as cortinas, e os cobertores das camas e sofás. São grossas, de cor terra e são reconfortantes.

Para os dinamarqueses tudo isso constitui a definição de felicidade. E não é se conformar com ficar em casa… é aproveitar o lar quando não há possibilidade de sair para a rua. Ou inclusive quando o clima permite que saiam!

Todos podemos aproveitar o conceito “Hygge”?

Este modelo de felicidade dinamarquesa já foi exportado para outras partes do mundo. Por quê? Porque inclusive em cidades que não têm muito frio já se deram conta de que passar momentos em casa com a família e os amigos, bebendo um café, uma cerveja ou um vinho, ou tomando um sorvete e fazendo o que gostamos, vai ser sempre reconfortante.

Algo que devemos ter em conta é que o Hygge não está relacionado só ao inverno, ainda que na Dinamarca o inverno seja tão longo. Também se pode implementar a filosofia nos meses quentes de verão em qualquer parte do mundo. Por quê? Porque se trata de um modo de viver e de se sentir bem, e não tem nada a ver com o clima, ainda que de alguma maneira parta dele.

Mulher lendo um livro

No livro “O ano em que vivemos como dinamarqueses”, de Helen Russel, a experiência de um estrangeiro aproveitando ao máximo do Hygge é detalhada. A autora afirma que Hygge se trata de ser bons com nós mesmos, de não nos negarmos os mimos, de não nos castigarmos, de buscar esses momentos de felicidade que estão nas coisas pequenas: um pedaço de chocolate, um capítulo de sua série favorita, um livro que você adore, um pouco de música e o calor de um abraço.

Se nos detivéssemos e pensássemos nessas “amenidades” nos daríamos conta de que realmente são essas coisas que nos fazem sentir bem e ficar felizes. Todo o resto é acessório, é mundano: a verdadeira sensação de bem-estar não se encontra em um armário cheio ou um carro do último modelo, mas sim em um tempo compartilhado com quem amamos e nas atividades que nos trazem conforto. Isso é viver Hygge!

Recomendados para você