Dor no peito por ansiedade

junho 17, 2019
O nervosismo quase sempre encontra uma forma de se refletir em sintomas físicos; a dor no peito por ansiedade é uma das mais incômodas de todas. Saiba mais sobre esse fenômeno e entenda como distingui-lo de uma situação mais grave.

A ansiedade pode se expressar de muitas formas, desde uma sensação de sufocamento ou uma espiral de pensamentos negativos que desembocam no medo de morrer a paralisações, náuseas ou enjoos. De fato, muitas delas vão além da simples ativação fisiológica. Entretanto, se há um sintoma que provoca um medo enorme, este costuma ser a dor no peito por ansiedade.

Enquanto outros sintomas fruto de estados ansiosos costumam chamar menos atenção, a dor no peito por ansiedade é um dos que gera mais preocupação naqueles que a sofrem. Talvez seja porque a dor pode imitar quase perfeitamente a dor sentida durante um problema cardíaco.

“Se o homem realmente se acostuma à dor, por que sofre cada vez mais com o passar do tempo?”
– Anônimo –

É por isso que saber diferenciar a causa de origem da dor no peito, principalmente quando acontece na região média, é tão importante; afinal, no pior dos casos, esse tipo de dor pode indicar um problema de saúde urgente.

Quando uma ou mais artérias coronárias sofrem uma obstrução ou uma ruptura e o sangue para de fluir para uma região cardíaca específica, essa região, diante da falta de oxigênio e nutrientes, produz uma resposta altamente dolorosa como indicativo de que algo não está funcionando bem na área cardíaca.

Mulher com dor no peito

A sensação de dor acontece em uma área diferente do coração – nesse caso, no peito – e é exatamente esse tipo de dor que muitas pessoas associam quase exclusivamente com um infarto ou ataque cardíaco.

Por isso, não é de se estranhar que ao sentir subitamente uma dor pulsante na região peitoral média, qualquer pessoa tenha a tendência a pensar que está sofrendo um problema cardíaco.

A questão é que é preciso ter cuidado com aquilo que vem a seguir, já que, na verdade, são muitas as causas da dor no peito. Entre elas, podemos encontrar as seguintes:

  • Eventos cardiovasculares;
  • Traumatismos;
  • Problemas osteoarticulares;
  • Lesões musculares;
  • Tumores;
  • Gasto cardíaco elevado e sustentado no tempo;
  • Somatizações ansiosas.

É interessante conhecer a fundo este último caso, porque não só acontece com uma frequência considerável, mas também pode ser um sinal de alerta que indica que a pessoa está passando por níveis de estresse extremos.

Por que o peito dói como consequência da ansiedade?

Existe um fenômeno que se encontra entre o físico e o psicológico chamado somatização, que foi amplamente estudado tanto pela área psicológica quanto pela médica.

Ele se baseia na manifestação corporal (em forma de dor, movimentos anormais, problemas de saúde, doenças cutâneas, etc.) de estados emocionais internos.

A vivência de emoções intensas, sejam elas negativas ou positivas, costuma apresentar uma correlação sensorial no peito; por isso, quando sentimos muita felicidade podemos sentir como se o nosso peito fosse explodir de tanta alegria.

Da mesma forma, uma sensação séria de descontentamento favorece o aparecimento de uma sensação desagradável no peito. Por isso, é natural que, muitas vezes, a área do corpo escolhida para marcar presença pela ansiedade seja o peito, e que tal manifestação seja justamente a dor.

Embora a somatização seja muito comum e não represente um perigo iminente, às vezes pode indicar que existem outros elementos ansiogênicos na vida da pessoa.

No geral, a dor no peito por ansiedade não aparece logo de cara nos episódios de ansiedade transitórios ou isolados. Pelo contrário, costuma surgir como resposta a uma presença intensa e prolongada de ansiedade no indivíduo. Uma presença que poderia gerar consequências negativas para a saúde e bem-estar.

Diante da percepção de uma dor no peito por ansiedade, a resposta lógica da pessoa pode ser experimentar maiores níveis de ansiedade. Dessa forma, cria-se um círculo vicioso que se retroalimenta e que, muitas vezes, piora a situação.

Mulher sofrendo de ansiedade

Como distinguir uma dor no peito por ansiedade de algo mais grave?

Diante da aparição de uma dor no peito, a primeira medida consiste em buscar atenção médica, pois pode ser um caso sério de saúde. No entanto, por não saber com antecedência se há uma verdadeira razão de preocupação, é importante tentar manter a calma.

Além disso, quando a dor no peito corresponde a um problema cardíaco, costuma estar acompanhada de outros sinais e sintomas que não costumam estar presentes quando essa dor tem uma base puramente ansiosa. Por exemplo:

  • O ritmo cardíaco se torna irregular e frequentemente fraco.
  • Aparece, de forma simultânea, uma sintomatologia vegetativa incluindo suor frio e crises hipotensivas.
  • A pessoa pode sentir enjoo, perder a força e até desmaiar.
  • A dor é mais abrasiva e pulsante, como se atravessasse o peito de fora para dentro ou como se atingisse o braço esquerdo ou o pescoço.
  • É típico que apareçam, ao mesmo tempo, sintomas que derivem em problemas digestivos (dor na boca do estômago, indigestão, mal-estar emocional e inclusive náusea e vômito).
  • Geralmente, pode-se observar uma palidez na pele.
  • A dor não costuma diminuir à medida que a pessoa se tranquiliza.

Portanto, diante de uma dor no peito, o mais adequado é manter a calma e esperar que um profissional confirme a origem da mesma, principalmente se a pessoa possui uma certa tendência a apresentar ansiedade.

É importante levar esse assunto a sério e vale a pena introduzir em nossas rotinas alguns hábitos que podem ajudar a combater os efeitos da ansiedade e do estresse.