Amor: e se só restasse este sentimento

E se só restasse o amor

Carolina Diamond 21, abril 2016 em Emoções 591 Compartilhados
Amor

Amor, preciso ir embora! – eu pensava, chegou o momento de dizer adeus, mas algo me prendia aquela história. Eu, ele, tantos nós ao longo do caminho. Uma identidade misturada e eu já não era mais só eu, então como eu haveria de partir?

Você não entende, se fez meu e me acha sua e assim não enxerga que eu preciso de brilho próprio, que não posso viver à sua sombra esbarrando em meus próprios desejos. Não entende minha necessidade urgente e gritante de viver aventuras, de ser surpreendida, de estar livre por assim dizer, livre de rótulos que me fazem apenas sua.

Você não traz mais flores, não prepara mais o jantar e nem fala mais em cinema; ficamos assim, embolados em uma felicidade conjugal onde cada um se enquadra em seu mundo particular. Não sobraram histórias engraçadas, não há mais risos espontâneos, não existe mais brilho nos olhos. Ficou o amor e ponto.

E o que se faz com amor quando todo o resto vai embora? O que se faz com apenas eu, você e o amor quando eu ainda preciso de paixão, de suspiros, de noites de lua cheia e uma taça de vinho para acompanhar? O que se faz quando foram embora meus sonhos de vida, meus devaneios românticos, quando a conquista já é garantida e não resta mais nada, nada além de eu, você e o amor?

O que você faria se só lhe restasse o amor? O que você acha que posso fazer quando me resta apenas o amor? Como posso dizer não para mim, para tudo que pensei ser um dia, como posso não mais saber se eu sou eu ou se eu sou nós? Quero partir, o coração não deixa, ele busca nesses rasgos de histórias as lembranças que vivemos e me convence de que somos melhores juntos, me convence de que o amor é suficiente para reconstruir. Ele me diz baixinho que toda linda história de amor precisa acabar um dia, para recomeçar aqui ou em outro lugar, portanto ele diz: fique, fique aqui, ainda resta amor.

Decepção no amor

O amor em tempos de agora…

Bom mesmo é sentir alguém que caminha ao seu lado sem medo de se entregar, que vive a paixão, a fúria, o amor e a raiva do momento, a alegria ou tristeza, que explora seus sentimentos sem dúvidas, anseios e completamente solto nas suas histórias.

Bom mesmo é se entregar junto com esse alguém e fazer daquela noite a inesquecível noite da sua vida, é fazer dessa história, seja ela curta ou para sempre, a história que você sonha e não teme em viver cada segundo com profundidade, como quem mergulha em um oceano sem saber o que vai encontrar, mas tendo a certeza dentro do seu coração de que vai valer a pena.

Bom mesmo é viver! É amar e ver o amor nos olhos do outro, é se doar com vontade simplesmente porque se sente bem assim, é respirar fundo, é ganhar um abraço firme de quem você menos espera, é erguer a cabeça e ter a certeza de que nasceu para acontecer.

amor entre o casal

Pra terminar, bom mesmo é gente que diz o que quer e não tem medo de ouvir a resposta, gente intensa, gente amável, gente de luz, gente de paz, gente corajosa, gente que acolhe e gente que coloca a gente pra frente. Bom é gente que grita, que chora, que ri, que canta alto pra espantar a tristeza, que balança mas não cai, gente que ama a gente, gente que ama bichinhos, gente que fala a verdade, gente sincera de brilho nos olhos, de sorriso que aquece a alma, gente que não precisa falar nada, apenas olhar nos olhos e deixar o silêncio ser a magia do momento que vai eternizar no coração, na memória e marcar profundamente a sua história.

No fim da noite, resta a memória. Fica tudo ali, pairando no ar, uma memória que vira história e que fica doida pra acontecer em algum outro coração, entre outros olhares, em pensamentos vizinhos, em diálogos aleatórios… O resto é história e memória!

Carolina Diamond

Carol Daimond Instagram: @questaodesersite Fanpage: Questão de Ser http://www.questaodesersite.wordpress.com

Ver perfil »
Recomendados para você