O riso é a linguagem da alma

O riso é a linguagem da alma

13, março 2016 em Psicologia 2824 Compartilhados
O riso de uma mulher

Quando você sorri, você me mostra os seus pensamentos mais profundos, me deixa ver você, me deixa explorar cada um dos seus segredos e me sinto próxima a você. Às vezes, você me contagia de alegria, simplesmente por esboçar uma pequena curvatura nos seus lábios, pois os seus olhos já sorriem para mim antes que o riso chegue à sua boca.

Através de cada um dos seus sorrisos você me mostra o mundo tal como o vê, me ensina que há uma forma de ver a vida com a alma aberta e disposta a aprender. Se você não sorrir, lutarei com tudo o que estiver ao meu alcance para os seus lábios chegarem até o céu.

“Nega-me o pão, o ar,
a luz, a primavera,
mas nunca o teu riso,
porque então morreria.”

-Pablo Neruda-

mulher sorrindo simbolizando a empatia

Por que perdemos o senso de humor?

Uma criança ri cerca de 400 vezes ao longo do dia, e um adulto cerca de 15. Isso pode ser porque perdemos a inocência ou o senso de humor, mas a verdade é que muitas vezes precisamos recuperar a facilidade de rir como as crianças, de nos divertir e aprender a ver a vida de uma forma muito mais simples.

Uma das causas da nossa falta de humor em determinadas ocasiões é a rigidez com que nos comportamos, nossa falta de naturalidade, nosso medo de quebrar as regras, de não respeitar as normas. Mas quem escreveu as regras? O que acontece se não a respeitarmos? Não vai acontecer nada, simplesmente seremos nós mesmos.

Basta pegar um ônibus de manhã cedo e ver o rosto das pessoas para nos darmos conta de que ninguém mais sorri, que todos perderam o bom humor. Mas você já parou para pensar no que iria acontecer se você sorrisse um pouco mais? Você não perde nada, os seus problemas continuarão ali, mas se você esboçar um sorriso certamente os verá de outra forma.

Aprender novamente a rir de si mesmo

Quando somos crianças, não temos vergonha nem pensamos nos nossos defeitos ou virtudes, simplesmente somos felizes e sorrimos para a vida. Portanto, o riso também é uma questão de autoestima. Se tivermos amor próprio, seremos capazes de aceitar os nossos defeitos e as nossas virtudes e deixar de lado a importância que damos ao que as outras pessoas pensam.

Mas não é só se você tiver uma autoestima adequada que será capaz de rir de si próprio; se você rir de si mesmo irá fortalecer a sua autoestima. Portanto, é algo que funciona nos dois sentidos.

Outra forma de reaprender a rir de nós mesmos é descobrir como superar a nossa timidez, nossa vergonha pela opinião dos outros, já que essa sensibilidade à crítica negativa é o que nos paralisa e não permite que desfrutemos do nosso riso. Aprenda a ser espontâneo, diga o que passa pela sua cabeça, faça piadas, sorria, não tenha medo, não vai acontecer nada e você vai até se divertir.

“Um sorriso é a chave secreta que abre muitos corações.”
-Robert Baden Powell-

menina com corações

O riso como terapia

A terapia do riso deixou de ser apenas uma forma de lutar contra o estresse ou de aproveitar um bom momento entre amigos, para se converter em um método com aplicações médicas e psicológicas. A base é que quando se força uma gargalhada, isso nos fará sentir igualmente bem e acabará surgindo um riso natural.

O psicólogo José Elías, pioneiro na risoterapia na Espanha, mostrou que o riso fortalece o coração, e que quando nos rimos movemos 420 músculos no nosso corpo, entre eles o músculo do coração. Além disso, o riso reduz a pressão arterial porque aumenta o diâmetro dos vasos sanguíneos e favorece a respiração.

Portanto, o riso melhora a nossa qualidade de vida e a nossa saúde, além de ter efeitos positivos tanto físicos quanto psicológicos. Aprender a rir ajuda a vermos a vida a partir de outro ponto de vista, muito mais agradável e saudável. Portanto, sorria, pois essa é a linguagem da sua alma, a forma como você pode sair de dentro do seu corpo e voar.

Recomendados para você