O efeito fruto proibido - A Mente é Maravilhosa

O efeito fruto proibido

Maio 12, 2016 em Psicologia 0 Compartilhados
O fruto proibido

Você já reparou que quando alguma coisa é proibida, perigosa, inacessível ou difícil, ela se torna mais atrativa? No entanto, quando as coisas são fáceis demais ou estamos muito seguros de que as temos, acabamos por ficar entediados ou por perder o interesse. Isto se denomina “efeito fruto proibido”.

O efeito fruto proibido acontece em todos os seres humanos e é o resultado do desejo do homem de saber mais sobre o desconhecido, de conhecer as consequências daquilo que, supostamente, é perigoso. Os seres humanos não gostam de proibições nem de imposições pois veem sua liberdade ameaçada, algo extremamente valioso para nós.

“Sem o proibido, tudo seria um caos, e se tudo fosse proibido, também seria um caos.”
-Platão-
Portanto, quando algo é proibido, imediatamente desperta o nosso interesse e curiosidade, e ficamos muito motivados para saber mais e explorar esse proibido, afirmando a nós mesmos que somos livres e aliviando essa curiosidade insuportável.

Quem nos disse o que é ou não proibido?

Desde pequenos, a família, a escola e a sociedade nos dizem o que é certo e o que é errado, e vão nos impondo certos limites que não devemos ultrapassar, pois se isso acontecer, teremos que enfrentar consequências negativas.

Adão e Eva com o fruto proibido

Mas o ser humano gosta de experimentar na própria pele essas consequências sobre as quais nos advertem, já que o fato de alguém nos dizer que há um lado obscuro desperta a nossa atenção para experimentar e saber onde estão os limites.

Ultrapassar essas barreiras que o mundo e os outros nos ditam nos dá um certo prazer, devido ao que se conhece como “medo consciente”, isto é, temos medo por essas consequências que poderiam ocorrer, mas somos conscientes de que controlamos a situação e que, se quisermos, podemos parar a nossa aventura e nos afastar.

Isso é o que acreditamos, porque em pouco tempo percebemos que a coisa não é tão simples como imaginamos, mas essa sensação de controle é responsável por gostarmos de transgredir certas normas ou regras…

Em que contexto gostamos do que é proibido?

O nosso gosto pelo que é censurado, complicado ou que pode trazer consequências perigosas está presente em muitas situações da nossa vida diária. Basta dar uma olhada nas relações sociais.

Por exemplo, se um homem se faz de difícil, ele se torna irresistível; mas se você vir que o conquistou e que ele está louco por você, então você perde grande parte do interesse, pois já não existe aquele “perigo” que ativa a nossa adrenalina e faz com que seja divertido conhecer a pessoa.

“A melhor maneira de se livrar da tentação é ceder a ela”.
-Oscar Wilde- 

Com o assunto da infidelidade é a mesma coisa. O formigamento que percorre o corpo ao fazer algo que moralmente não deveríamos fazer é, para algumas pessoas, muito tentador e atrativo. Violar o contrato que temos firmado com o nosso parceiro pode ser algo perigoso, mas sermos conscientes de que somos nós que nos metemos neste perigo é o que acaba sendo emocionante.

A mesma coisa acontece com as dietas: se nos dizem que é totalmente proibido comer chocolate, pães ou algum alimento em concreto, estaremos o tempo todo com a tentação na cabeça e vamos acabar sucumbindo a ela.

Como podemos lidar com o efeito fruto proibido para que ele nos beneficie?

Lidar com o efeito fruto proibido pode ser benéfico se nos conscientizarmos de sua existência e se aprendermos a dirigi-lo de forma adequada. A seguir indicamos algumas diretrizes para fazer isso:

  • Nas relações sociais: Nunca exija nada de ninguém, muito menos proíba ou censure. Para começar, quem somos nós para criticar, censurar ou proibir algo a alguém? Lembre-se de que as pessoas não gostam de nada que lhes tire a liberdade. No entanto, você pode sempre dar conselhos ou sugestões com carinho e amor, o que aumenta muito as possibilidades de que as pessoas ao seu redor comecem a modificar aquilo que você não gosta.
  • Na hora de paquerar: Aprenda a ser interessante. Se você quer conquistar alguém, tem que jogar um pouco e flertar antes de se oferecer por inteiro. Mesmo se estiver querendo enviar uma mensagem fofa no whatsapp para essa pessoa ou chamá-la para sair, faça com que ela sinta a sua falta, mas com moderação. É importante que a outra pessoa não pense que já está tudo feito e que te tem seguro, pois isso diminui o interesse. Portanto, faça com que ela pense que você é um pouco “difícil”.
“Não há maior tentação do que não ser tentado”.
-Antonio de Guevara-

Casal olhando nos olhos

  • Se você está fazendo um regime: Não se imponha dietas muito rigorosas; isso só vai fazer com que você passe fome e no final acabe comendo demais. Também não se proíba de comer nenhum alimento, em vez disso, permita-se uma exceção de vez em quando. Comer um doce uma vez por semana, um refrigerante ou batatas fritas não faz tão mal assim, e faz com que a tentação diminua.
  • Educando: As crianças e os adolescentes precisam ter limites, mas devemos sempre dar-lhes explicações de por que algo se deve ou não se deve fazer. As pessoas precisam que lhes expliquem as coisas e que as entendam, senão as crianças vão acabar violando essas normas por mera curiosidade. Também é importante oferecer alternativas em vez de proibir em absoluto.

É importante conhecer o efeito fruto proibido para lidarmos melhor com as pessoas ao nosso redor ou em certas circunstâncias. Devemos ser muito conscientes de que o mais importante tanto para nós quanto para os outros é conquistar a liberdade, mas todos temos capacidade de escolha e de autocontrole.

Recomendados para você