Como ensinar a gratidão às crianças

novembro 29, 2019
Ensinar a gratidão às crianças pode ser uma longa tarefa. A ideia é acompanhar seu desenvolvimento biológico de perto para que possam aproveitar essa maravilhosa virtude.

Ensinar a gratidão às crianças vai além de ensiná-las a responder com um “obrigado”. Estimular um sentimento de gratidão é, na verdade, uma coisa completamente diferente. Ser grato vai além dos bons modos, é uma mentalidade, um traço e um estilo de vida.

A gratidão é, então, um valor que toda criança deveria desenvolver para ser capaz de reconhecer o que os demais fazem por ela. Ser grato é uma característica pessoal importante que possui outras características correlatas, como a generosidade e a bondade.

Uma criança grata é menos egoísta, uma atitude que além de tudo a fará muito mais feliz e a colocará em uma posição melhor no que diz respeito a relações interpessoais.

“A gratidão converte o que temos em suficiente. É um sinal de almas nobres”.
-Esopo-

Menino segurando um coração de tecido

Dicas para ensinar a gratidão às crianças

Centenas de estudos concordam que, entre outros benefícios, praticar a gratidão:

  • Nos predispõe a sentir emoções positivas
  • Reduz o risco de depressão
  • Aumenta a satisfação nas relações
  • Incrementa a capacidade de recuperação frente a eventos estressantes da vida

Não há dúvida de que ensinar a gratidão às crianças é um presente que podemos dar a elas, mas é também um presente para as pessoas ao seu redor. A seguir, apresentamos algumas estratégias para ensinar as crianças a serem gratas.

1. Dar o exemplo

Os pais e outros adultos de referência são o primeiro modelo de comportamento das crianças. Se as crianças virem seus pais se comportando de maneira generosa, aproveitando e valorizando as coisas boas que ocorrem, mesmo que sejam muito pequenas, elas vão querer seguir o exemplo dado por seus progenitores.

Se, pelo contrario, as crianças veem seus pais e outros adultos brigando constantemente por tudo, comportando-se de maneira grosseira e arisca, nunca estando satisfeitos com nada, será muito difícil que entendam o que significa ser grato.

2. Ajudá-las a entender que os outros também têm necessidades

É normal que as crianças pequenas sejam um pouco egoístas e egocêntricas, e é difícil explicar a elas que o mundo é grande e não gira apenas para satisfazer os seus desejos.

Biologicamente, a possibilidade de entender que tudo não se reduz a eles vai ganhando espaço com o tempo. No entanto, nós também podemos ajudar.

Temos que ajudá-las a ver que todos nós temos desejos que, em muitas ocasiões, não podem ser atendidos. Que as pessoas possuem desejos contrários ou pouco compatíveis.

Desse modo, não poder satisfazer um desejo pode gerar frustração para qualquer um e ainda cegar a nossa atenção para o que temos, criando um mundo onde há apenas falta.

3. Ensinar a dividir

Uma criança que aprende a dividir aprende, ao mesmo tempo, a valorizar o que ela possui, tanto no que diz respeito a coisas e comodidades quanto a pessoas com as quais ela pode contar. Dividir implica aprender a ter consideração com os demais e ampliar os horizontes sobre o mundo.

4. Enfatizar a importância de agradecer

Na missão de ensinar a gratidão às crianças, queremos destacar uma ideia: agradecer não deve ser só algo mecânico que as crianças devem aprender a dizer quando recebem algo.

Ainda que a princípio “obrigado” seja só uma palavra para os pequenos, eles devem aprender pouco a pouco o seu significado verdadeiro. O costume de dizer obrigado pode criar, aos poucos, a consciência e o entendimento do porquê de se sentir agradecido.

5. Agradecer às crianças quando fizerem algo bom

Quando as crianças fizerem algo bom, temos que agradecer. Mostrar a elas a gratidão que estamos tentando ensinar. Afinal, é isso que esperamos que eles mostrem às outras pessoas na mesma situação: agradecimento. É parte do exemplo que temos que nos esforçar para ser.

Desse modo, as crianças descobrirão que são importantes e que há coisas simples que agradam aos outros e que fazem as pessoas felizes. Por sua vez, também vão querer descobrir quais são essas coisas em relação às pessoas que amam.

6. Falar sobre as coisas boas pelas quais se está grato

É bom pedir à criança que expresse o porquê de estar se sentindo agradecida, sem reprovar ou negar o valor de nada. Desse modo, é possível conhecer melhor a criança para descobrir, assim, o seu jeito de ser e onde você deve reforçá-lo para que consolide a sua gratidão.

Os adultos também devem explicar para as crianças as coisas pelas quais são gratos. Isso pode ampliar a visão de mundo da criança, e também gerar diálogos que vão ajudar a valorizar as coisas boas que acontecem na vida.

Pai sorrindo com filha no colo

A importância de ser grato para ensinar a gratidão às crianças

Como pudemos ver, ensinar a gratidão às crianças tem muitas vantagens. O problema é que ela nem sempre surge de maneira natural.

Os aspectos negativos em nossas vidas, como as decepções, os ressentimentos e os medos, muitas vezes ocupam nossa atenção e não nos deixam ver os aspectos positivos. Dessa forma, acabamos criando um traço de personalidade que envolve a não aceitação da gratidão.

Robert Emmons, um especialista acadêmico em gratidão, argumenta, no entanto, que desenvolver intencionalmente uma perspectiva mais agradecida nos ajuda a melhorar nosso nível de satisfação com a vida.

No processo de ensinar as crianças a serem gratas, aprenderemos a reparar no fato de que muitas coisas boas são presentes que tivemos a sorte de receber. Ao fazer do agradecimento um hábito, poderemos mudar o tom emocional das nossas vidas e criar mais espaço para a alegria e a conexão com as outras pessoas.

Reklau, M (2019). El poder  de la gratiud.