Escopolamina: a droga anuladora da vontade - A Mente é Maravilhosa

Escopolamina: a droga anuladora da vontade

dezembro 8, 2017 em Psicologia 0 Compartilhados
Escopolamina: a droga anuladora da vontade

A escopolamina ou burundanga é uma poderosa substância que, com frequência, está associada à delinquência e a crimes de roubos, sequestros e estupros. Ao contrário de outras substâncias parecidas, não existem referências a respeito de viciados, e só um restrito número de pessoas no mundo a consome com fins recreativos. Nesse caso, trata-se de uma perigosa substância utilizada essencialmente para prejudicar outras pessoas.

Também é verdade que ela tem algumas aplicações médicas. Clinicamente, ela é empregada para tratar a doença cinética, um tremor incontrolável derivado da esclerose múltipla. Além disso, pode ser utilizada como antiespasmódico, contra o mal de Parkinson e como analgésico local.

“As drogas são as inimigas do futuro e da esperança, e quando lutamos contra elas, lutamos pelo futuro”.
-Bob Riley-

O termo burundanga se originou no Caribe e na Colômbia. Atualmente, faz referência a uma poção empregada com fins delitivos. No entanto, sabemos que esse vocábulo é um derivado da palavra “morondanga”, que por sua vez, deriva de “morondo”, palavra que significa “careca ou sem cabelo”. Essa palavra vem da raiz latina “mundus”, que quer dizer “limpo” e do sufixo “anga”, que é depreciativo. Então, etimologicamente, burundanga se traduz como “aquilo que deixa a mente limpa ou em branco”.

A origem da burundanga ou escopolamina

A escopolamina é extraída de várias plantas, quase todas elas da família das solanáceas. Existem referências sobre o uso desse psicoativo, inclusive desde a Idade Média. Sabe-se que era empregado como filtro amoroso ou em interrogatórios. Era associado com a “arnica”, planta de uso comum entre os feiticeiros.

Também existem referências de que, na América, era usada no período anterior à chegada dos conquistadores, tanto em cerimônias como em rituais de cura. Existem indícios de que a burundanga é utilizada com frequência nas cerimônias e poções de vudu.

A utilização dessa droga permaneceu na marginalidade durante muito tempo. No entanto, na Colômbia, começaram a aparecer cada vez mais casos criminosos nos quais haviam usado a burundanga para cometer algo ilegal. Isso começou a acontecer na década de 70 do século XX. Infelizmente, essa prática se espalhou também para outros países.

O que é e como funciona esse alucinógeno?

Além de ser conhecida como burundanga, a escopolamina também é chamada por outros nomes. Em alguns lugares é denominada “droga do diabo”, “droga robô”, “droga zumbi” ou “hálito do diabo colombiano”. Essas conotações negativas são derivadas dos terríveis usos dados a essa substância, como também aos seus efeitos horríveis e às nocivas sequelas.

A burundanga é um alcaloide tropânico, uma substância que atua como depressora do sistema nervoso central. Na América se extrai o chamado “cacau da Savana” e cada um deles contém aproximadamente 30 sementes.

Planta da burundanga

Cada uma dessas sementes é suficiente para intoxicar um adulto.

Atualmente é raro que a burundanga seja extraída da planta. Agora é possível sintetizar a substância em laboratório. Isso quer dizer que as moléculas que são fabricadas quimicamente têm o mesmo efeito que as de origem natural. Desse modo, é comum que no mercado negro elas sejam combinadas com qualquer outro tipo de substâncias de forma indiscriminada. Inclusive, às vezes, adicionam a estas drogas a benzodiazepina para aumentar o seu efeito.

A principal característica da escopolamina é que ela inibe a vontade do indivíduo, afetando a função da memória e do comportamento. Isso quer dizer que ela bloqueia alguns neurotransmissores e faz com que o afetado siga mecanicamente as ordens que lhe são dadas. Devido a isso, acaba sendo utilizada para facilitar roubos, sequestros e estupros.

A ação da burundanga

A escopolamina provoca muitas reações no organismo. As pessoas que ingerem essa droga ficam confusas e com sono. Outros possíveis efeitos são boca seca, dilatação das pupilas, hipertensão, taquicardia, visão turva, fotofobia, retenção urinária, etc.

Mulher sob o efeito de drogas

Os efeitos e consequências da ingestão dessa substância dependem da quantidade de escopolamina absorvida e do estado de saúde da pessoa. Também influi o fato dela ser consumida na forma pura ou combinada com outras drogas. Em geral, existe uma estimativa de overdose quando se ingere uma quantidade superior a dez miligramas, no caso de crianças, e 100 miligramas nos adultos.

Uma overdose de escopolamina poderia levar uma pessoa a ter convulsões, entrar em coma e inclusive morrer. Em todos os casos, a vítima dessa terrível droga se transforma em alguém bastante influenciável. Também pode sofrer de amnésia. Não são capazes de lembrar o que aconteceu enquanto estavam sob a influência dessa substância. Por essa razão, é uma droga perfeita para a delinquência. A vítima nunca poderá dar detalhes do ocorrido que ajudem na captura dos culpados.

Um aspecto bem preocupante é que a escopolamina tem efeitos diversos, inclusive depois de produzida a intoxicação. Entre as principais sequelas estão: síndrome de demência causada pela substância, psicose, alterações cognitivas e de memória, estresse pós-traumático, etc. O limite que separa uma dose de uma overdose de burundanga é muito pequeno. Quando se ultrapassa essa linha, é fácil causar um estado de coma ou a morte da vítima.

A principal forma de administração da escopolamina

A escopolamina se administra e é absorvida pelo organismo de diferentes maneiras. Uma das formas mais frequentes é por via oral. Na sua apresentação mais comum, a burundanga é um pó fino e cristalino de cor branca. Não tem cheiro e possui um sabor amargo. Frequentemente, esse pó é dissolvido em uma bebida que é oferecida à vítima.

Pessoas consumindo drogas em festas

Na Colômbia, os casos mais comuns acontecem com mulheres jovens que iniciam uma conversa com homens em bares elegantes. Eles se oferecem para pagar uma bebida para a vítima e, em um descuido, colocam o pó da droga no copo. Assim, conseguem que elas entreguem a eles os cartões bancários, nomes de usuários e senhas para roubar suas contas.

Também existem casos onde a substância é injetada, na sua forma líquida, dentro de refrescos ou bebidas comerciais. O mecanismo é o mesmo: o delinquente ganha a confiança da vítima e a convida a consumir a bebida.

Outras formas de intoxicação

Atualmente está crescendo o número de casos através da inalação da droga. Nessas ocasiões, o delinquente faz a vítima aspirar algum elemento que contém a escopolamina. Então, o efeito da substância é mais rápido, porém mais perigoso.

Outro método utilizado é introduzir uma dose de escopolamina em um cigarro e conseguir que a vítima fume. Ao inalar a fumaça, todos os efeitos da droga começam a se manifestar. Também sabemos de vários casos onde uma pessoa simplesmente se aproxima com um papel e sopra o pó da droga nas narinas da vítima. Isso é suficiente para que ela absorva a substância e fique intoxicada.

Mulher consumidora de drogas

A escopolamina também pode ser administrada por via cutânea. Nessa modalidade, os delinquentes procuram pretextos e truques para aplicar a substância sobre a pele na forma de creme. Já ocorreram casos onde os bandidos conseguiram administrar a droga através de falsas promoções de cosméticos em lojas ambulantes. Esta forma de administração não produz efeitos imediatos, mas é igualmente poderosa quando a vítima absorve a substância.

As autoridades e os médicos recomendam tomar as medidas de precaução necessárias para evitar ser vítima desse tipo de intoxicação.

  • Em primeiro lugar, não consumir bebidas nem alimentos vindos de estranhos.
  • Em segundo lugar, estar atento e não descuidar do copo de bebida em um lugar público.
  • Em terceiro lugar, não comprar comida e cigarros de vendedores ambulantes. Recomenda-se adquirir esses produtos em lojas conhecidas.

Uma praga em crescimento

Tudo parece indicar que estão aumentando os crimes relacionados com a intoxicação por escopolamina. Sabemos que os dados não oficiais são muito altos, já que muitas vítimas não denunciam porque sentem vergonha de ter sido enganadas, às vezes de uma forma muito infantil. Apesar de tudo, são comuns os crimes associados com essa substância.

O dado mais preocupante é que cada vez mais existem crimes sexuais relacionados com administração de escopolamina. E mais grave ainda é o fato de que cresce o número de vítimas entre os menores de idade.

Jovem mulher com a mão nos olhos
Os criminosos utilizam a substância para conseguir que as crianças deixem que mantenham relações sexuais, mas também que possam gravar vídeos pornográficos ou tirar fotografias delas sem roupas. Também existem registros de casos de prostitutas que utilizam a escopolamina para roubar os seus clientes.

Este tipo de delito tem um grande impacto na segurança urbana. Quando não podemos confiar em pessoas estranhas, a sociedade começa a se deteriorar. Crimes desse tipo são um convite a pensar na grave crise de valores que enfrenta a nossa cultura e que terminará nos levando à decadência. Junto com as medidas legais e de segurança urbana, o que se deve promover é uma profunda reflexão que nos leve à solução desse grave problema.

Recomendados para você