Esquecimento é uma palavra que o coração não entende

Esquecimento é uma palavra que o coração não entende

julho 26, 2016 em Emoções 1 Compartilhados
Esquecimento é uma palavra que o coração não conhece

O amor entre um casal, vivenciado de verdade, deixa uma marca indelével, uma lembrança enraizada no coração da pessoa que o sentiu, onde não há espaço para o esquecimento.

A nossa percepção de quanto tempo durou um amor é algo muito subjetivo. Dure o tempo que durar, sempre parecerá pouco, porque sempre queremos mais. A sua intensidade nos aprisiona como uma droga que nos torna dependentes.

O êxtase que o amor nos faz sentir torna tudo maravilhoso; a vida fica mais colorida e parece que estamos plenos de alegria e dinamismo.
Compartilhar

Neste estado de graça não existem distância e nem limites: tudo é mágico.

Quando o desamor chega, a ideia do esquecimento se apresenta em nossas vidas como uma solução para seguir em frente e parar de sofrer. No entanto, não conseguimos controlar a nossa própria vontade. Como sabe traduzir Pablo Neruda em seu “Poema 20” do livro “Vinte Poemas de Amor e uma Canção Desesperada”, que reflete a sua capacidade de esquecer: Eu não a amo, é verdade, mas talvez a ame. O amor é tão curto e tão longo o esquecimento.

rosa-areia

Poema de Pablo Neruda

Este lindo poema de Pablo Neruda narra de forma brilhante a dificuldade e a dor de esquecer um grande amor.

“Posso escrever os versos mais tristes esta noite.

Escrever, por exemplo: “A noite está estrelada,
e tiritam azuis os astros, ao longe”.

O vento da noite gira no céu e canta.

Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Eu a amei, e às vezes ela também me amou.

Em noites como esta eu a tive nos meus braços.
A beijei muitas vezes debaixo do céu infinito.

Ela me quis, às vezes eu também a queria.
Como não ter amado os seus grandes olhos fixos?

Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Pensar que não a tenho. Sentir que a perdi.

Ouvir a noite imensa, mais imensa sem ela.
E o verso cai na alma como no pasto cai o orvalho.

Que importa que o meu amor não pudesse guardá-la.
A noite está estrelada e ela não está comigo.

Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe.
Minha alma não se conforma em tê-la perdido.

Como para aproximá-la meu olhar a procura.
Meu coração a procura, e ela não está comigo.

A mesma noite que faz branquear as mesmas árvores.
Nós, os de agora, já não somos os mesmos.

Já não a amo, é verdade, mas quanto a amei.
Minha voz procurava o vento para tocar o seu ouvido.

De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos.
Sua voz, seu corpo claro. Seus olhos infinitos.

Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame
É tão curto o amor, e é tão longo o esquecimento.

Porque em noites como esta eu a tive nos meus braços,
minha alma não se conforma em tê-la perdido.

Ainda que esta seja a última dor que ela me cause,
e estes sejam os últimos versos que eu lhe escrevo”.

As recordações do amor ficam impregnadas em nós; nem o tempo, nem a raiva, nem o nosso desconforto, nem estar com outra pessoa nos leva ao esquecimento.

Na verdade, tentar ficar com outra pessoa para esquecer alguém é bastante comum, mas normalmente não traz bons resultados: estamos enganando a nós mesmos e a outra pessoa.

crianças-arvore-coração

A solução não está no esquecimento

Não é necessário esquecer para seguir em frente com as nossas vidas. Temos que aceitar que vivemos situações diferentes em cada período da vida e muitas coisas são irrecuperáveis.

A única coisa que realmente existe é o nosso presente, e nele encontraremos a solução dependendo da forma como agirmos. Do passado trazemos o aprendizado e todas as suas lições para nos ajudar na nossa vida atual.

Procure extrair de cada experiência, seja boa ou ruim, todas as lições possíveis para nos ajudar a seguir em frente, já que não podemos mudá-las.

No amor, quando passamos por uma má fase que pretendemos esquecer, temos a oportunidade de nos conhecermos melhor, para não repetirmos os mesmos erros, com os mesmos sentimentos que não foram resolvidos.
Compartilhar
Recomendados para você