A importância de estabelecer limites durante a quarentena

22 Maio, 2020
Estar em casa o dia todo não significa que estamos sempre disponíveis. Também precisamos de momentos para nos desconectarmos, tanto das mensagens e videochamadas quanto das jornadas excessivas de home office.
 

O home office está ocupando, em média, 10 horas dos nossos dias. Mais do que nunca, estamos mandando mensagens e fazendo videochamadas. Como resultado, podemos nos sentir saturados. A verdade é que não estamos dando atenção à importância de estabelecer limites durante a quarentena.

Jane Wilde Hawking escreveu em seu livro Viagem ao Infinito que, quando as pessoas lutam contra o destino, a única coisa que importa é proteger a sobrevivência. Certamente, podemos aplicar essa frase ao contexto atual.

No entanto, dentro dessas cápsulas de sobrevivência que são as nossas casas, também somos obrigados a proteger outra dimensão valiosa: o bem-estar.

Durante essas semanas de confinamento forçado, vivemos e aprendemos muitas coisas. Cada um de nós continua lidando com a situação da maneira como pode, com mais assertividade ou menos.

Alguns estão reencontrando a si mesmos em uma vida mais descontraída, íntima e acolhedora. Outros lutam contra a ansiedade. Assim, qualquer que seja a nossa realidade pessoal, haverá um momento em que precisaremos estabelecer alguma barreira de contenção contra certas dinâmicas.

 

Vejamos mais a seguir.

Mulher tomando chá na quarentena

Saber estabelecer limites durante a quarentena também é saudável

Todos nós sabemos que, na vida, a assertividade e a imposição de limites em determinadas situações são garantias de paz e equilíbrio mental. No entanto, quem imaginaria que no atual contexto de confinamento isso também seria necessário? Pode parecer estranho.

Por ficarmos isolados boa parte do dia, esperávamos desfrutar de cada conexão com nossos amigos e familiares por meio da tecnologia. Também pensávamos que o home office proporcionaria uma melhor qualidade de vida, permitindo escolher nossos horários para conciliá-los com a vida familiar.

No entanto, neste novo cenário, descobrimos que o dia a dia dentro de casa também não é fácil, o que nos coloca em situações que precisamos começar a regular de outra maneira.

 

O home office e a educação online ainda precisam melhorar

As empresas de telecomunicações dizem que o pico de conexão começa às 9:00 da manhã. É neste momento que mais pessoas estão online.

Em média, as jornadas de trabalho em home office chegam a durar dez horas, em vez de oito. E o que é mais impressionante, muitas pessoas definem uma parte de seu horário de trabalho entre meia-noite e três da manhã.

A razão para isso é simples: elas não conseguem se concentrar durante o dia ou não têm escolha a não ser trabalhar durante as horas em que as crianças dormem.

Por outro lado, percebemos muitas carências e problemas na área da educação à distância. Existem professores que se limitam a enviar exercícios sem dar aulas online. Os sistemas de avaliação nem sempre são os mais eficazes. A isso, se acrescenta o fator tecnológico: nem todas as crianças têm o seu próprio computador ou até uma boa conexão à Internet.

Definir limites durante o confinamento, neste caso, significa saber se organizar. A gestão adequada do tempo no home office nos permite não apenas ser mais produtivos, mas também evitar o estresse.

 

Quanto à educação online, também é aconselhável estabelecer um limite para o que pode e o que não pode ser alcançado.

Na maioria dos casos, os pais têm uma sobrecarga devido às aulas de seus filhos. É um problema que devemos avaliar e resolver.

Tomar um café durante o expediente

Estar em casa não significa estar sempre disponível

Estabelecer limites durante a quarentena também significa que os outros precisam entender que nem sempre estamos disponíveis.

Há momentos em que não queremos ter conversas pelo Zoom ou por qualquer outra plataforma de videochamada. E não porque não gostamos dessa pessoa, mas porque queremos ler um livro ou não fazer nada e acalmar a nossa mente.

Cada pessoa tem um ritmo e suas próprias necessidades. Às vezes, quase sem perceber, passamos horas escrevendo mensagens e ligando.

 

Tudo isso é positivo, além da nossa salvação diária nos dias de confinamento, mas todos nós precisamos de pausas, de tempo para nós mesmos. Portanto, estabelecer um limite também é saudável nesses casos.

Também é necessário estabelecer limites mentais durante a quarentena

A necessidade de estabelecer limites durante o confinamento também envolve monitorar a nós mesmos. É necessário levantar barreiras externas de contenção, reduzindo, por exemplo, a quantidade de informações que recebemos.

Além de gerenciar melhor o tempo ao longo do dia e combinar com amigos e familiares o melhor horário para fazer videochamadas, também precisamos erguer muros mentais.

O que isso significa? Significa, por exemplo, estabelecer limites para as preocupações excessivas. É necessário entender que o bem-estar é saber ser assertivo com os outros, mas também com nós mesmos, controlando aquilo que está em nossas mãos.

É verdade que existem coisas que estão além do nosso controle e que lidamos com a incerteza e o medo diariamente. No entanto, é preciso treinar a mente para não antecipar coisas que ainda não aconteceram e evitar ter ideias que visualizam o pior e intensificam a ansiedade.

 

Tenhamos claro que cuidar do nosso universo interno é tão importante quanto controlar o que nos chega de fora. O bem-estar está no equilíbrio, em saber como estabelecer limites, em ser claro em relação ao que mais precisamos em todos os momentos. Trabalhemos nisso.