Estresse gerencial: o que é e como reduzi-lo?

Estresse gerencial: o que é e como reduzi-lo?

Última atualização: 29 dezembro, 2021

Administrar uma empresa ou ocupar uma posição sênior pode ser uma fonte significativa de estresse. Subir no organograma geralmente significa levar trabalho para casa. Não é fácil se acostumar com essas novas dinâmicas; São contextos em que aumenta a probabilidade do chamado estresse gerencial.

É verdade que a vida de um gerente é mais confortável do que a de muitos outros, mas isso não significa que ele não tenha que lidar com o estresse e a ansiedade diariamente. Quanto mais responsabilidade e poder de decisão tivermos, mais preocupações teremos que negociar. Mesmo quando não estamos trabalhando.

O que é estresse gerencial?

O estresse gerencial é freqüentemente sofrido pelos gerentes em empresas por causa de seu ritmo de trabalho. Eles têm que tomar um grande número de decisões importantes. Decisões que afetarão diretamente o futuro da empresa.

Um dos principais problemas para os gerentes é que é difícil para eles se desconectarem depois de saírem do trabalho.

Vamos nos colocar nessa situação… Quanta pressão, né? Bem, é um dos principais males sofridos pelos diretivos em todo o mundo. E pode se traduzir em insônia, nervosismo, exaustão, dificuldade de concentração ou até náusea.

Mulher estressada no trabalho

As causas

Bem, quais são as causas desse estresse gerencial? A verdade é que as razões podem vir de muitos lados diferentes:

  • Mudanças no setor econômico. Quando uma mudança na economia afeta diretamente nosso setor, os gerentes são forçados a tomar decisões rápidas e complicadas. Uma tomada de decisão que pode significar o sucesso ou o fracasso da empresa. E o ambiente digital e a estrutura atual de informações significam que o cenário econômico pode mudar de um dia para o outro.
  • Maus hábitos ao delegar. Embora pareça óbvio, é importante delegar funções com sabedoria. Muitas vezes, por desconfiança ou má gestão do tempo, delegamos para as pessoas erradas. E as consequências disso podem facilmente se traduzir em estresse e ansiedade.
  • Não separar a vida pessoal da profissional. Um dos principais problemas para os gerentes é que é difícil para eles se desconectarem depois de saírem do trabalho. Sempre há alguma tarefa a cumprir, algo a supervisionar. E com computadores e smartphones, a tentação de avançar no trabalho em nosso tempo livre está aumentando.
  • Má comunicação. A comunicação é tudo. Pessoal e profissionalmente. É por isso que muitos gerentes caem na armadilha do estresse por não gerenciarem seus fluxos de comunicação corretamente. Sem uma boa estrutura de comunicação, é fácil cair na desconfiança e, portanto, no estresse.
  • Gerenciamento de conflitos. Em todas as organizações, por menores que sejam, todos os tipos de conflitos são gerados. Entre empregadores e empregados, entre diferentes gerentes e diferentes empresas. E a alta administração deve sempre se posicionar, atuando sobre o assunto para que sua visão das coisas prevaleça. E esses momentos de tanta tensão podem facilmente nos levar ao estresse.
Homem estressado no escritório

Medidas para combater o estresse gerencial

Se você está se perguntando se existe uma maneira de combater o estresse gerencial, a resposta é sim. Não existe um manual que nos diga o que fazer nesses casos. Mas essas dicas psicológicas podem ajudá-lo a reduzir o estresse :

  • Aceite o desconforto. Quando temos que controlar períodos de estresse ou ansiedade, é importante não bloquear os sentimentos que os causam. Ao fazer isso, estaríamos deixando o estresse tomar conta de nós. A ansiedade é causada por algo, e quanto mais cedo a reconhecermos e aceitarmos, melhor.
  • Horários na sua vida pessoal. Um dos principais problemas dos gerentes é que eles têm uma vida pessoal desorganizada. Pode ser estranho, já que em seus empregos eles tendem a ser o oposto. Por isso é importante gerir bem o nosso tempo livre para o dedicar ao lazer e ao descanso. E acima de tudo, estar com a família. Se deixarmos de lado esses paraísos emocionais, podemos acabar realmente saturados.
  • Dê importância à comunicação. Muitas pessoas não atribuem importância suficiente à comunicação porque entendem que é uma perda de tempo. E muito pelo contrário, uma vez que uma boa comunicação facilita consideravelmente o resto das tarefas. Dessa forma, será muito mais fácil tomar decisões a partir dos altos cargos da empresa.
  • Crie espaços de trabalho confortáveis. Se algo tem o estresse é que é extremamente contagioso. Por isso, é fundamental criar espaços seguros e confortáveis para a realização do nosso trabalho. Mas não apenas para nós; também em relação a todos aqueles que nos rodeiam. Portanto, se acharmos que um espaço de trabalho não está funcionando de maneira eficiente, pode ser necessário dar fazer algumas modificações nele.

Outro aspecto a ter em conta para controlar o nosso stress é a gestão do tempo. É muito comum que pessoas em posições de grande responsabilidade queiram cobrir tudo. No entanto, geralmente é melhor cobrir menos para um maior senso de controle.

E é aí que convém delegar funções, mas da forma correta. Não adianta delegar a outra pessoa se depois ficaremos obcecados para garantir que tudo funcione bem. Isso pode se traduzir em frustração constante e, portanto, estresse ou ansiedade.

Pode interessar a você...
As principais causas da ansiedade
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
As principais causas da ansiedade

As principais causas da ansiedade podem ser reunidas em uma série de dimensões específicas, como genética, estresse, trauma...



  • Freudenberger, H.J. (1974). “Staff burnout”. Journal of Social Issues. 30: 159–165.
  • Ganesh, R. et. al. (2018). The Stressed Executive: Sources and Predictors of Stress Among Participants in an Executive Health Program. Global Advances in Health and Medicine. 7: 2164956118806150.
  • Hüther, Gerald (2012). Biología del miedo. El estrés y los sentimientos. Barcelona: Plataforma Editorial.