Como evitar o ciúme diante da chegada do irmão?

· novembro 18, 2018

Muitas crianças sentem ciúme com a chegada do irmão: elas precisam dividir espaço e atenção com alguém estranho, que faz muito pouco e exige muito tempo. Um tempo que antes era só delas.

Assim, se a situação não for bem administrada, dará lugar a uma enorme quantidade de ciúmes, motivação suficiente para comportamentos que não desejávamos ou mesmo que pensávamos que o pequeno já havia superado.

Um dos fantasmas por trás do ciúme é o medo. Na verdade, ele aumenta quando o bebê chega em casa e precisa de atenção quase 24 horas por dia. A criança sente que não é emocionalmente retribuída (pelo menos não como antes), que é ignorada. Portanto, o ciúme surge e o bebê que chega se torna um concorrente.

Felizmente, esta situação pode ser abordada de forma que não tenha consequências relevantes. Vejamos como conseguir isso.

Prepare o encontro para evitar o ciúme com a chegada do irmão

Para evitar o ciúme diante da chegada do irmão, a criança precisa entender por que o novo membro da família precisa de tanta atenção. Portanto, é importante que os pais lhe mostrem fotos de quando ela era bebê e expliquem os cuidados de que ela precisava. Dessa forma, quando o recém-nascido chegar, a criança vai entender melhor o que está acontecendo.

Se uma criança não entende como cuidar de bebês, por que os pais devem lhe dar tanta atenção e as razões pelas quais tem que dividir a atenção dos pais, ela pode rejeitar o novo irmão. Para evitar tudo isso, é essencial conversar sobre a situação em termos que a criança entenda e fazer um bom gerenciamento do tempo, para que o “príncipe destronado” não perca todo o seu espaço.

Além disso, os pais podem dar algo para a criança em nome do bebê que está a caminho. Pode ser uma boneca, pantufas ou qualquer outro elemento. Dessa forma, o que se pretende é que a criança tenha curiosidade sobre o bebê que vai chegar e que, talvez, até corresponda da mesma forma, preparando algo com um significado emocional para quando o encontro ocorrer.

Algumas crianças, quando sentem ciúmes, se mostram muito irritadas. Por outro lado, outras se expressam com tristeza.

Evitar o ciúme quando um novo irmão chega

O que acontece quando o bebê chega?

Preparar o encontro para evitar o ciúme é muito importante. Este será o ponto de partida, a primeira impressão, o momento em que o filho mais velho escolherá uma atitude em relação ao irmão que acabou de chegar. Então, se organizarmos bem, com esta apresentação poderemos evitar muitos problemas futuros.

Não importa como a preparemos, a criança pode relutar em conhecê-lo ou reconhecê-lo como parte da família. Pode ser uma manifestação de timidez, mas também de rejeição. Identificar se é uma ou outra postura nos ajudará a trabalhar a partir deste ponto, proporcionando um espaço para ela expressar as suas emoções e ajudando-a a trabalhar com elas.

Em muitos casos, os pais não deixam que o filho mais velho carregue o bebê, por mais que peçam. Este é um grave erro, porque uma das premissas para a criança não sentir inveja é que ela esteja envolvida nas atividades que são realizadas com o recém-nascido.

Deixar uma criança segurar um bebê pode ser perigoso, mas podemos permitir se ela estiver sentada e ficarmos ao seu lado controlando a situação em todos os momentos.

Irmão mais novo

O papel dos pais

Se a criança quiser participar, devemos deixá-la se envolver nas tarefas de cuidar do bebê. Na hora do banho, o irmão pode colaborar, se quiser ou se pudermos animá-lo (em nenhum caso forçá-lo ou chantageá-lo emocionalmente). Seja pegando uma toalha, o xampu, deixando-o esfregar suavemente a cabeça do irmão… O contato é essencial.

Quanto mais momentos compartilharmos com os dois ao mesmo tempo, maior será a integração e menos teremos que nos dividir. Nesse sentido, também precisamos evitar chegar ao outro extremo. Em nenhum caso o irmão mais velho deverá se responsabilizar por cuidar do irmão mais novo.

Se uma criança é impedida de se aproximar do irmão e tocá-lo com a desculpa de que as suas mãos estão sujas ou de que ele poderá machucá-lo, é provável que o ciúme venha à tona e a rejeição também.

Todas as ações tomadas e o esforço feito para evitar o ciúme diante da chegada do irmão não devem substituir o tempo de qualidade que uma criança precisa. Por maiores que sejam as necessidades do bebê, a criança mais velha continua tendo as suas necessidades e agradecerá o tempo que dedicarmos exclusivamente a ela. Os vínculos são únicos e intransferíveis.

Nesse sentido, os pais terão que se esforçar para tentar manter as rotinas que existiam antes, tentando manter especialmente aquelas que incluíam o filho mais velho. Dessa forma, a criança se sentirá próxima dos seus pais e verá que continua sendo importante para eles.

Conclusão sobre a chegada do irmão e o ciúme

Em suma, para evitar o ciúme quando um novo irmão chega, os pais têm uma boa margem de ação. Da mesma forma, conforme o bebê cresce aparecerão novos desafios e até mesmo ciúmes. De um modo ou de outro, esses fenômenos fazem parte da maravilhosa aventura de sermos pais.