A fábula do surfista

· outubro 5, 2016

Hoje queremos compartilhar a fábula do surfista. Ainda que para muitos possa parecer um conto, a verdade é que é uma lição de vida. Ela vai muito além de falar de um esportista que se arrisca a subir em uma prancha e voar por cima de ondas: há um valioso ensinamento guardado em seu interior.

Quando você terminar de ler sobre a fábula do surfista vai ver que, na realidade, a história fala da vida, de como enfrentar os problemas, da virtude de ser paciente e da capacidade para detectar quando é o momento de agir e quando é o momento de esperar.

A fábula do surfista: chegada ao mar

Um surfista estava louco pelas ondas. A sensação de liberdade que elas proporcionavam sempre que estava sobre aquelas incríveis, violentas e absorventes manifestações da natureza nos mares bravos o encantava.

Entretanto, o surfista sabia perfeitamente que nem tudo era tão simples como lançar-se ao mar de cabeça e sem controle. Ele era consciente de que devia usar o cérebro para escolher a onda certa, caso contrário podia acabar em um hospital ou perdendo sua vida.

menina no mar nagevando pelas ondas

Além disso, o surfista se deixava levar por seu instinto e seu coração. Cada vez que uma onda se aproximava, ele sabia, de maneira natural, se era a que deveria subir ou não. Tamanha era sua experiência, convicção e confiança em si mesmo que tinha, em todo o momento, clareza para saber se era o momento ou não.

Sendo assim, sem pensar muito, o surfista foi para o mar. Era um dia em que o mar estava agitado e as ondas batiam com violência contra a praia. Ele sabia que era o momento, pois nem todos os dias encontram-se boas oportunidades para cavalgar nas costas da violenta e libertadora maré.

Esperando a onda

Uma vez que chegou à praia, o surfista não esperou muito para entrar no mar. Estava ansioso para subir na grande onda que lhe desse liberdade e felicidade. Só quando subia o mais alto possível ele se sentia, verdadeiramente, ele mesmo.

Entretanto, por mais bravo que estava o mar e por mais que as ondas batessem constantemente, ele não encontrava o momento certo de subir em nenhuma. As ondas passavam constantemente em frente a ele, mas sabia que não eram as suas. Não havia chegado o momento de se lançar na aventura, então ele esperou.

Chegou a grande onda

O surfista resolveu esperar. Olhava o panorama. Observava outros que, assim como ele, subiam nas ondas. Alguns desfrutavam e chegavam ilesos à costa. Outros experimentavam tombos em sequência. Além disso, a paisagem era bonita e estonteante. Ele desfrutava aquela sensação de espera, porque sabia que o momento estava próximo.

E foi assim que chegou a grande onda. Ele a viu chegando de longe. Sabia que era o momento. Por fim, se aproximava o momento de subir nas costas do mar embravecido para ver a paisagem do alto, desfrutando, sentindo a felicidade e a sensação de estar onde queria estar. Instantes de autêntica grandeza.

O surfista se preparou e subiu na grande onda como nunca havia sido capaz antes. Subiu nas costas de sua agressiva companheira durante um pequeno trajeto da viagem. Ele a dominou e se deixou levar.

onda do mar

Desfrutou de cada instante em que ambos caminharam juntos durante aquela maravilhosa jornada para, finalmente, acabar nas margens da praia com um sorriso de felicidade no rosto.

Conclusão

Aquele surfista era feliz com seu esporte preferido. Havia cavalgado sobre a onda com grande prazer e, agora, dispunha-se a entrar novamente no mar e esperar a seguinte. Voltaria a começar, aguardando que chegasse o momento, mas com uma nova experiência em sua bagagem emocional. Cada vez mais sábio, paciente, e conhecedor do mundo que o rodeava.

Você percebeu que a fábula do surfista assemelha-se muito com a nossa própria existência? Quem tem as ferramentas necessárias para saber esperar e aproveitar as oportunidades será feliz e desfrutará das grandes coisas boas que a vida nos brinda.

Nada acontece antes porque você é impaciente. A sabedoria tem que ser nossa para escolhermos os momentos, os amigos, os amantes… só temos que esperar e correr em direção à onda correta.