Viagem ao otimismo - A Mente é Maravilhosa

Viagem ao otimismo

Maio 24, 2016 em Psicologia 1 Compartilhados
Otimismo

O município de Higuera de la Serna, na Espanha, foi à falência e seus moradores, em vez de reclamarem, colocaram mãos à obra para assumir os trabalhos que o município antes contratava e que agora não poderia assumir. Em seu tempo livre, todos ofereceram sua ajuda para assumir trabalhos desde limpeza à alvenaria. Este caso é apenas mais uma prova de que, em tempos difíceis, a união pode despertar um otimismo assombrado pelas circunstâncias.

A neurocientista Tali Sharot, da University College London, no Reino Unido, afirma, em uma entrevista realizada por Eduardo Punset, que da mesma forma que experimentamos ilusões de ótica, às vezes acreditamos que vemos algo muito diferente da realidade porque sucumbimos a outro tipo de ilusões, como as que descrevemos a seguir:

A ilusão da superioridade, na qual temos a tendência de pensar que somos superiores às outras pessoas. Isso acontece sobretudo no âmbito acadêmico, onde mais de 97% das pessoas pensam que são superiores. O que é impossível, por isso é uma ilusão.

“Tenho a minha própria versão do otimismo. Se eu não posso atravessar uma porta, atravessarei outra ou então farei outra porta. Algo maravilhoso virá, não importa o quão escuro esteja o presente”.
-Rabindranath Tagore-

A ilusão da introspecção se refere à nossa crença de que nossos motivos têm fundamentos, que sempre que fazemos algo, fazemos por alguma razão, quando na realidade há vezes em que não existe motivo algum. Simplesmente criamos um motivo para tentarmos explicar a nós mesmos por que fazemos algo.

O viés otimista se refere a superestimar nossas possibilidades de viver experiências positivas e subestimar nossas possibilidades de viver experiências negativas. Por esse motivo, chegamos a supervalorizar a nossa longevidade ou o nosso sucesso profissional e subestimamos as possibilidades de que o nosso parceiro ou parceira possa terminar conosco ou de que possamos ficar doentes.

Vantagens do otimismo

O viés otimista tem muitas vantagens e desvantagens. Entre as primeiras, podemos distinguir as seguintes:

A saúde. Ser otimista favorece a nossa saúde. Existem duas razões fundamentais para isso: se esperarmos que o futuro nos trará coisas boas, o estresse e a ansiedade são reduzidos. Por exemplo, um paciente otimista tende a fazer coisas que o tornem mais saudável: segue os conselhos do médico, se cuida mais e normalmente seu compromisso com o tratamento é maior.

Mulher com os braços abertos vendo o por do sol

Alcançar objetivos. O otimismo pode levar uma pessoa a ter um maior desempenho acadêmico e a realizar os seus objetivos, pois se depois de um mau resultado você pensar que vai correr tudo bem, você vai espantar o desânimo. Estudos sobre o otimismo têm demonstrado que as pessoas que impuseram este viés ao seu modo de ver a realidade trabalham mais horas, são mais perseverantes e acabam ganhando mais dinheiro.

“Nenhum pessimista jamais descobriu os segredos das estrelas, ou navegou por mares desconhecidos, ou abriu uma nova porta ao espírito humano”.
-Hellen Keller-

Assim, o otimismo é especialmente positivo quando é acompanhado de um bom locus de controle e uma boa autoeficácia, quando é sutil e não exagerado, e quando o colocamos em jogo diante de situações nas quais temos margem de ação.

Desvantagens do otimismo

O otimismo, embora tenha vantagens muito importantes, também pode ter um lado negativo de desvantagens, como as que enumeramos a seguir:

Se acreditamos que vai correr tudo bem, pode ser que não tomemos as precauções necessárias: não fazemos exames médicos com tanta frequência como gostaríamos, não colocamos o capacete na moto ou o cinto de segurança no carro, ou então não olhamos para os lados antes de atravessar a rua porque pensamos que não vai acontecer nada. Ou seja, é comum encontrar nas pessoas otimistas um sentimento de invulnerabilidade distorcido e pouco adaptativo.

Uma pessoa otimista pensa que vai terminar as atividades que tem que fazer muito antes, sejam os deveres da escola ou uma tarefa no trabalho. Ela subestima o tempo e o esforço que vão ser necessários.

O otimismo é especialmente negativo quando se opõe à ação, já que pode levar à inibição de medidas preventivas, pois geralmente acredita mais no acaso do que em si mesmo.

Como diferenciar um otimista de um pessimista

Foram realizados estudos sobre o otimismo e o pessimismo em estudantes submetidos a uma prova. Os otimistas que não foram aprovados não ficaram decepcionados porque pensaram que se sairiam melhor na próxima vez, e os pessimistas se sentiram pior porque pensaram que isso provava que não podiam passar na prova.

Por outro lado, os alunos otimistas que foram aprovados na prova pensaram que haviam feito um trabalho genial, e que também se sairiam bem na próxima prova, enquanto os pessimistas que passaram na prova pensaram que foi uma questão de sorte e se sentiram pior.

planta-nascendo-com-otimismo

Portanto, um otimista não se decepciona por não ter alcançado seu objetivo, mas é encorajado a continuar e a fazer melhor. A maior diferença entre um otimista e um pessimista é que o primeiro sempre sabe como tirar proveito do que, para a outra pessoa, é um problema.

“Você é tão velho quanto as suas dúvidas e tão jovem quanto a sua confiança em si mesmo”.
-Samuel Ullman-
Recomendados para você