Fake news: como elas podem nos afetar? - A Mente é Maravilhosa

Como as fake news podem nos afetar?

março 30, 2018 em Psicologia 50 Compartilhados
Como as fake news podem nos afetar?

Fake News ou notícias falsas são um fenômeno que existe há muitos anos. No entanto, com o surgimento das redes sociais tal fenômeno se proliferou cada vez mais. Supunha-se que a internet iria democratizar a informação, e ela realmente fez isso. No entanto, também trouxe consequências como esta.

Quase sempre a notícia falsa é acompanhada por uma imagem. Isso é o que aparentemente lhe dá credibilidade. No entanto, a imagem também revela-se falsa ou simplesmente extraída fora de contexto. Desta forma, é criada uma ilusão de algo que é verdadeiro quando não é.

Em outras ocasiões, o que é feito é espalhar uma informação falsa ou imprecisa. Uma comunidade com certos interesses é responsável por divulgar esta informação massivamente. Quando compartilhada repetidamente nas redes sociais, é dada como verdadeira, sem sê-la. Existem casos extremos como o de um suposto terremoto no Peru anunciado antecipadamente. A informação veio a gerar um pânico real, mas era tudo falso.

“Uma mentira não teria sentido se a verdade não fosse percebida como perigosa”.
-Alfred Adler-

Por que as notícias falsas apareceram?

A primeira questão que vem à mente é por que as notícias falsas aparecem. O que uma pessoa obtém com a difusão de informações falsas? A resposta tem a ver com dois objetivos que esses mentirosos profissionais têm: obter dinheiro e desacreditar para favorecer seus próprios interesses.

Fake news

Por um lado, as fake news acabam por ser um negócio muito lucrativo. Existem sites que transmitem notícias que saem do comum. Estas atraem muita atenção dos leitores. Têm títulos e imagens impressionantes. Imediatamente despertam uma curiosidade mórbida e o resto é história. Para cada clique dos usuários, algo entra nos cofres daqueles que produzem essas falsas notícias.

Por outro lado, verificou-se que as falsas notícias servem para aplicar o antigo princípio maquiavélico: “Calúnia, calúnia … Da calúnia algo permanece”. Você vê muito este tipo de notícia em tempos de campanhas políticas. A informação vem de fontes desconhecidas, acusando alguns dos candidatos de vícios, crimes ou erros que não são verdadeiros. Então eles esclarecem a mentira, mas sempre há alguma dúvida gerada. De fato, às vezes eles nem sequer deixam clara a questão. E se o fazem, então as pessoas não acreditam que a verdade seja a verdade.

Os riscos das falsas notícias

A questão não seria tão séria se não fosse porque envolve vários riscos e perigos. Informações precisas e verificadas são a principal fonte para tomar as decisões certas. Também é a partir das notícias que configuramos uma visão sobre o que acontece no mundo.

Mulher lendo jornal com óculos engraçado

Quando há grupos de interesse por trás das fake news, elas se tornam um elemento de manipulação. Elas ajudam a reforçar os preconceitos e a formar uma idéia errada de alguns grupos humanos, países, pessoas, etc. Geralmente, o que resta, em todo caso, é uma semente de suspeita.

A notícia falsa também tem o perigo de desencadear situações de ansiedade ou mesmo de pânico, como aconteceu no Peru com o suposto terremoto. É algo que também foi repetido na Colômbia, onde centenas de pessoas dormiram fora de suas casas por causa de falsas informações sobre um iminente terremoto. Ou no México, quando as “previsões” sobre um tsunami começaram a circular logo após o grande terremoto de 2017.

Como identificar as fake news?

É muito importante que aprendamos a identificar as fake news e saibamos diferenciá-las de informação reais. Todos somos chamados a nos tornar consumidores responsáveis ​​das notícias que circulam nas redes sociais. Não podemos ser instrumentos de interesses obscuros e intenções de manipulação mesquinhas.

Fake news

Quando você recebe informações, a primeira coisa que deve verificar é a fonte. É um meio conhecido? Ou está em algum lugar do qual você nunca ouviu falar? Visite o site de onde vem. Explore seus conteúdos. Se tudo estiver cheio de publicidade e a maioria dos títulos fala sobre situações estranhas ou improváveis, não dê crédito. As notícias assinadas pelos autores são sempre mais confiáveis.

Outra tática é copiar parte da informação e colocá-la em um mecanismo de busca. Assim, aparecerão os sites que confirmam essa informação e aqueles que a negam. A notícia falsa é muitas vezes muito emocional e sensacionalista. Leia bem o que ela diz e certifique-se de que os dados estejam bem embasados e que apresente uma boa escrita. Não se deixe manipular.

Recomendados para você