Somos filhos do mundo e senhores de nossas vontades

· julho 27, 2016

Embarcando em sonhos sempre verdadeiros, acreditando nas verdades de nossa alma, enaltecendo como prioridade o que bate mais fundo em nossos corações e nossas vontades.

Somos filhos do mundo, somos senhores de nossas vontades

E por que não dizer que tudo que fazemos apresenta serventia? As coisas devem ser muito bem sabidas, para que em seguida mostrem-nos que tudo que vivenciamos. Elas têm um porquê e uma belíssima razão de ser e de existir.

Tudo que apareça para você em forma de experimentações cotidianas deve ser cuidadosamente apreendido na casa dos sentires. O espaço delimitado em que estamos embarcados nas esferas do globo está sempre querendo nos dizer algo. Devemos poder sempre ser inventivos, sendo pioneiros em nossas ações. Tudo que fizermos deve apresentar originalidade.

As coisas são como são, e não existirá nada que possamos fazer que modificará essa realidade. Mas podemos sim, muitas vezes, mudar as coisas de direção, e é por isso que estamos aqui, para que além da resignação, possamos ser o portal que alterará rotas.

Um mendigo que nos pede comida, um cãozinho abandonado que precisa de cuidado, uma criança com câncer, já sem esperanças de poder continuar a sua jornada, um cego precisando atravessar a rua…

Vontade de ajudar

São infinitos fatores que necessitam de nossa atenção. Emprestemos as nossas mãos generosas, para que essas pessoas e esses seres sintam que eles não estão sozinhos nesse mundo. Não faça de sua vida uma caminhada vã, uma caminhada solitária. Faça com que o seu egoísmo possa transformar-se em águas fecundas de bem-aventuranças.

De nada adiantará irmos à missa rotineiramente e acatarmos tudo que os evangelistas nos disserem, sem antes movermos céus e terras em favor de quem esteja de alguma forma em desvantagem em um mundo tão desigual quanto o nosso.

É importante que possamos nos aceitar como somos, sendo como peças originais que farão com que o maquinário funcione com perfeição e corretamente.

Somos de relevância singular no quadro que compõe o todo

As nossas vontades devem ser muito mais nobres do que apenas caprichos mimados de quem ainda não enxergou o mundo, exceto aquele mundo enfadonho da casa de nossos progenitores, que apesar de convidativo, não nos proporcionaria nada além de caminhos que já conhecemos inteiramente.

Precisamos de muito mais do que isso, nós precisamos desbravar universos, trabalhar; sentirmo-nos úteis à sociedade, contribuindo de alguma forma com a nossa parcela significativa de inteireza e acréscimo no quadro que compõe o todo.

Não podemos ficar presos em quadrados limitados, recebendo comida na boca, e sem obtermos o feedback que as circunstâncias lá fora nos proporcionariam. Saia do casulo, experimente a metamorfose, cuide bem de você, acredite nas verdades de sua alma, sempre existirá alguém que acreditará nela verdadeiramente e sem frescuras exacerbadas.

Vontades de um novo destino

Assim sendo, tudo que procriaremos serão novas paisagens, esperando pelo cenário perfeito que as tornará apreciadas.

Viva com toda a sua alma, vivencie as vontades, verdades que você acredita e que guarda junto do seu nobre coração, mesmo que este coração esteja calejado, sofrido, e já sem esperanças. É preciso mais do que simplesmente vontade, é preciso iniciativa.

O universo pleno que você carrega na alma é o encantado meio que lhe fará ver lindas estrelas cadentes, com o intuito de lhes dizer que não estamos sós, que sempre existirá força emanada do alto, vindo em nossa direção.

Faça com que tudo valha a pena, faça com que a sua vida seja de um colorido ímpar, enaltecendo o seu órgão sensitivo, que deve pulsar no sentido que lhe proporcionará verdadeiros prazeres. Sabemos que nada aqui é em vão e que a esperança sempre brilhará ofuscante por trás daquele monte.

Entenda suas vontades de mudança.

Acredite na força e nas vontades de seu espírito e deixe que ele lhe mostre, sempre que for preciso, a direção que lhe proporcionará verdadeiro sentido na busca de respostas. Siga sempre adiante, pois tudo que vive é a esperança que brota desmedida, no desembaraço do nosso vivo e pulsante coração.

Vá e não olhe para trás; existe vida que seguirá as trilhas que você deixou para trás, como pegadas que serão como bálsamos, onde a descoberta de novos mundos se descortinará um dia para um outro alguém, tão disposto a recomeçar como você uma dia sentiu no seu pulsar divino, nos doces acalentares de todo o seu vivenciar.